Ángel Parra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ángel Parra
'
Nascimento Luis Ángel Cereceda Parra
27 de junho de 1943
Valparaíso
Morte 11 de março de 2017 (73 anos)
Paris
Sepultamento cemitério do Père-Lachaise
Cidadania Chile, França
Progenitores
Cônjuge Marta Orrego, Ruth Valentini
Filho(s) Ángel Parra, Javiera Parra
Irmão(s) Isabel Parra
Ocupação compositor de bandas sonoras, cantor, músico, escritor, cantautor, romancista, ator de cinema, guitarrista, artista discográfico, voz, viola, Guitarron chileno
Prêmios
Causa da morte câncer de pulmão
Página oficial
http://www.angelparra.cl/

Ángel Cereceda Parra (Valparaíso, 27 de junho de 1943 - Paris, 11 de março de 2017) foi um cantor, compositor e escritor chileno.

Filho da compositora Violeta Parra e do ferroviário Juan Cereceda Arenas, participou do movimento da Nueva Canción Chilena, e durante um certo período, sua música situava-se entre a canção de protesto e o folclore do Chile, cantando ocasionalmente com sua irmã Isabel Parra. Também foi um dos primeiros compositores chilenos a abrir-se a outros estilos musicais, como o rock, colaborando com o grupo Los Blops.

Por suas idéias políticas e sua vinculação à Unidade Popular de Salvador Allende, em 1973, logo após o golpe de Estado de Pinochet, ficou detido no Estádio Nacional e no campo de concentração de Chacabuco.[1] Nesse período escreveu "La pasión según San Juan, Oratorio de Navidad" que gravou e publicou na Europa logo após sua libertação.

No exílio, morou no México e na França, dedicando-se a denunciar ao mundo a triste situação de seu país. Nesse período, produziu um LP de guitarra popular chilena La prochaine fois e o último disco gravado com Isabel, em 1981.

A partir de 1989 visitou o Chile por várias vezes para realizar apresentações, continuando porém a morar na França. Na década de 1990 gravou diversos discos, como o que comemorou os 500 anos do descobrimento da América (com letras do escritor galego Ramón Chao, pai do músico Manu Chao), o que comemorando o 50º aniversário da morte de Gabriela Mistral e outro em homenagem a Violeta Parra. No final de 2004 recebeu, com sua irmã Isabel, a distinção de "Figura fundamental da música chilena".

Morreu em 11 de março de 2017, em decorrência de um câncer.[2]

Referências

  1. «Campamento de Prisioneros "Chacabuco"» (em espanhol). Memoria Viva. Consultado em 12 de março de 2017 
  2. «Muere Ángel Parra, hijo de la cantautora Violeta Parra» (em espanhol). El Pais. Consultado em 11 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.