Ângela (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ângela
Inezita Barroso (violão), Eliane Lage e Alberto Ruschel, destaques no cartaz do filme.
 Brasil
1951 •  pb •  90 min 
Direção Abílio Pereira de Almeida
Tom Payne
Roteiro Nelly Dutra Ruschel[1]
Elenco Eliane Lage
Alberto Ruschel
Inezita Barroso
Mário Sérgio
Ruth de Souza
Género drama, romance
Música Francisco Mignone
Companhia(s) produtora(s) Companhia Cinematográfica Vera Cruz
Distribuição Universal Pictures
(à época sob o nome Universal Filmes)
Lançamento 15 de agosto de 1951
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Ângela é um filme brasileiro de 1951 dirigido por Tom Payne e Abílio Pereira de Almeida, com roteiro de Nelly Dutra Ruschel, baseado no conto "Sorte no Jogo", de Hoffmann.[1]

O filme marcou a estreia de Inezita Barroso no cinema brasileiro.[2]

O dinheiro da produção acabou ainda durante as filmagens, em Pelotas. O cenógrafo Pierino Massenzi foi então enviado a São Paulo, para pedir mais dinheiro ao produtor Franco Zampari.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Dinarte, jogador incorrigível, ganha no carteado uma propriedade, à qual decide visitar na mesma noite. Chegando à fazenda, Ângela, enteada de Gervásio (o perdedor), comunica a morte da mãe. Dinarte envolve-se e casa-se com Ângela e promete não jogar mais, porém não consegue cumprir a promessa e a família entra em decadência, da qual Ângela tenta preservar seu bebê.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Vencedor nas categorias:
Melhor ator secundário: Luciano Salce
Melhor atriz secundária: Ruth de Souza
Cenografia: Pierino Massenzi
  • Prêmio Associação Brasileira de Cronistas Cinematográficos[1] (1952)
Vencedor nas categorias:
Melhor ator secundário: Luciano Salce
Melhor atriz secundária: Ruth de Souza

Elenco[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora ficou a cargo do maestro Francisco Mignone, regendo a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo.[1]

Canções:

Referências

  1. a b c d e f g «Dados da filmografia». Cinemateca Brasileira. Consultado em 29 de julho de 2011 
  2. «Inezita Barroso». Dicionário Cravo Albin. Consultado em 29 de julho de 2011 
  3. Laura Cánepa (dezembro de 2005). «Pierino Massenzi: Memória viva da Vera Cruz (entrevista)». AudioVisual (revista da Unisinos). Consultado em 29 de julho de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.