Éden (Sorocaba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Éden é um Bairro situado no Distrito Industrial, no extremo nordeste da cidade de Sorocaba, no estado de São Paulo. A população do bairro esta estimada em mais de 30 mil habitantes.[1] A população tentou, várias vezes mal-sucedidas, emancipar-se de Sorocaba.

Éden
—  Bairro do Brasil  —
Éden.png
Distrito Éden (Sorocaba)
Município Sorocaba
População
 - Total 30 mil habitantes[1]
Limites Aparecidinha, Cajuru, Vitoria Régia, Alto da Boa Vista
Distância até o centro 14km
Fonte: Não disponível

A Região Éden-Cajuru-Aparecidinha, configura-se como região industrial e residencial e juntas somam mais de 60 mil habitantes. Localiza-se há cerca de 14 km de distancia do centro de Sorocaba e faz fronteira com a Zona Industrial-Adm de Sorocaba e com o município de Itu. Seu acesso para o centro é feita pela avenida Independência, também conhecida como rodovia SP 79, onde se encontra grande número de indústrias e serviços.

Localizado na Região Nordeste de Sorocaba e distante cerca de 14 km do centro de Sorocaba, o Éden fazia parte das terras devolutas pertencentes ao estado de São Paulo e com a Lei Municipal n° 539 de 17 de Abril de 1957, passa a ser denominado inicialmente de "Vila Éden" Constituindo inicialmente por famílias de agricultores, chácaras, e sítios, foram registrados, 2019 habitantes, segundo o censo demográfico de 1970, realizado pelo IBGE. Com características rurais e uma grande extensão de terras disponíveis, torna-se viável para investimentos. Como o então distrito de Votorantim consegue sua autonomia e vira município, Sorocaba perde os recursos fiscais advindos de Votorantim, e assim novas decisões, são tomadas, pela administração de Sorocaba. Como uma estratégica de desenvolvimento cria uma Zona Industrial, na qual o Éden e bairros próximos, como Cajuru e Aparecidinha fazem parte. Assim uma área com características rurais, foi se transformando e passando a desempenhar a função mais Urbana e Industrial.

História do Éden[editar | editar código-fonte]

Nos primórdios do descobrimento, nestas terras existiam apenas povoados indígenas, que eram interligados por uma rede de vias e caminhos denominados de “PEABIRÚ”; caminhos que faziam a ligação do Atlântico com os Andes, essas vias foram muito importantes para os Bandeirantes, é provável que num desses caminhos que ligava a Aldeia de Maniçoba (antigo nome da atual cidade de Itu) até o morro de Ibirasojaba (Iperó e Araçoiaba da Serra), por onde passou o Pe. Manoel da Nóbrega, tenha tido um descanso em “PIRAJIBÚ”. Para entender melhor: Por volta de 1589, Afonso Sardinha acompanhado de seu filho homônimo, chegaram ao Rio Ipanema e ao morro de Araçoiaba da Serra procurando por ouro, onde relataram: “Na serra de Ibirasojaba, distante oito dias da vila de Sorocaba e doze da vila de São Paulo, a jornadas moderadas, encontramos aquilo que cremos ser jazidas de ouro”. Mas ao invés disso ali encontraram apenas ferro, uma montanha de ferro. Em 1591, por ordem do Governador-Mor Dom Francisco de Sousa, iniciou-se a construção do que seria a primeira siderúrgica de todas as Américas, empreendimento fadado ao insucesso, que logo depois em 1598/99 encerrou suas atividades, os trabalhadores que então vieram para a siderúrgica, ficaram desempregados e dividiram-se, voltando alguns para a Vila de São Paulo, outros se estabeleceram na Vila de Sorocaba, núcleo comandado por Baltazar Fernandes e alguns para Itapebuçu (grande pedra chata) que depois ficou denominado Itavuvu, nas margens do rio Sorocaba. Dentre esses que ficaram em Itavuvu e em Ipanema, entre os anos de 1600 e 1611 fundaram a vila de São Felipe (em alusão ao Rei da Espanha D.Felipe II) em ambos os povoados, quando houve intervenção do Governador-Mor que, por motivos políticos, dissolveu e mudou o povoado; alguns foram para a Vila de Sorocaba, uns outros se espalharam e ainda outros formaram um núcleo às margens de uma antiga trilha indígena (Peabirú), batizando de Pirajibú, esse povoado foi marcado pelo sossego, onde após muitos anos se tornou um distrito de Sorocaba, recebendo nova denominação: ÉDEN, pois era tranquilo e calmo como o paraíso. O Éden tentou diversas vezes se emancipar de Sorocaba, todas as tentativas foram mal sucedidas. Hoje se tornou um distrito industrial e continua a ser uma via de ligação (peabirú) entre Sorocaba e Itu.

Tentativa de Emancipação[editar | editar código-fonte]

No final dos anos de 1980 e início dos anos de 1990, os jornais sorocabanos noticiam a possibilidade de dois distritos da cidade,Éden e Cajuru do Sul, tornarem-se uma nova cidade. O que motivava esse projeto de emancipação era o descontentamento de parte da população que alegava o descaso público com a região.

Fruto dessa insatisfação, algumas lideranças locais iniciam um processo de discussão que buscava emancipar a região. Surge então o movimento Pró-emancipação dos bairros do Éden e Cajuru do Sul (PROEMEC). Para iniciar o processo de emancipação dos bairros, uma série de encontros da Sociedade Amigos de Bairro do Éden (SAB), membros do movimento Pró-emancipação dos bairros do Éden e Cajuru do Sul (PROEMEC) e a população local interessada pelo assunto, se reuniam para discutir as possibilidades da emancipação, traçar estratégias e manter informada a população.

Nas primeiras movimentações do grupo, cinco moradores estiveram no gabinete do Paço Municipal e, pelo que foi noticiado, manifestaram-se contrários à emancipação. O prefeito da época reconheceu esses moradores como “os verdadeiros líderes locais”. Na eminência de uma possível emancipação, membros do movimento separatista e prefeitura divergiram em opiniões cada um expressando seus interesses e seus motivos. Porém, finalmente, o Instituto de Geografia e Cartografia (IGC), responsável pela análise do processo, elabora seu parecer desfavorável ao desmembramento do Éden. Entre os cinco requisitos, dois foram os que impediram a emancipação. O primeiro apontamento foi por não “apresentar distância mínima de três quilômetros entre o seu perímetro urbano e o município de origem” e o segundo por “interromper a continuidade do município de origem, bem como a preservação da continuidade histórico-cultural, ambas ligadas a proximidade das partes envolvidas.”

A partir desse laudo, ocorreu uma contestação sobre a real distância dos três quilômetros entre as duas “manchas urbanas” Éden-Sorocaba. Essa contestação gerou noticiários polêmicos sobre o assunto nos jornais. Segundo entrevista realizada no mês de abril de 2011, com um dos membros do movimento da época, este afirma que seu grupo chegou a pensar em solicitar a emancipação do Cajuru, o que aumentaria a distância em mais dos três quilômetros exigidos, o que provavelmente facilitaria a emancipação.

O Parque Vitória Régia (Sorocaba) foi o bairro utilizado para a medição da distância entre as “manchas urbanas” Éden-Sorocaba, sendo que dos 3000 metros necessários para a emancipação constatou-se apenas 2380 metros, restando outros 620 metros para a consolidação de mais um dos itens da lei em vigor na época. Sendo assim, solicitar a emancipação do Cajuru ampliaria em pelo menos mais cinco quilômetros em relação ao Éden e entre o Parque Vitória Régia e o Cajuru mais de sete quilômetros. Como a distância entre as duas manchas urbanas aumentaria as possibilidades para a emancipação alterava o contexto até então apresentado, seria necessário uma nova análise e um novo parecer técnico por parte o IGC. Ou seja, já não era mais o Éden que se emanciparia, mas um território que englobava os bairros do Éden e o do Cajuru.

Pelo que percebemos, ao longo do processo de tentativa de emancipação, o desgaste do grupo formado foi inevitável e aos poucos enfraquecendo. A cada dia foi perdendo seu propósito, culminando na transformação do distrito em um bairro de Sorocaba, impossibilitando assim a sua emancipação. É relevante destacar que, enquanto distritos subordinados ao município Sorocabano, Éden e Cajuru do Sul não tinham autonomia e sempre dependiam das ações dos agentes públicos em promover qualquer tipo de melhoria. Na condição de bairro haveria a mesma dependência, portanto, caso houvesse a emancipação, mesmo com as dificuldades enfrentadas, emergiriam novas possibilidades, novas condições, uma nova perspectiva.

Racionamento de Água[editar | editar código-fonte]

Em 2014 com a forte seca que se debateu pelo estado de São Paulo, o SAAE de Sorocaba teve que iniciar um sistema de rodizio no abastecimento de Água, nos bairros da Zona Industrial de Sorocaba, o nível da Represa do Ferraz que abastece a região baixou quase 2 metros, e chegou a 20 centímetros. Foram 5 meses de racionamento que atingiram apenas os bairros do Éden, Cajuru do Sul e Aparecidinha, a região foi dividida em duas, uma recebia água entre 6 horas da manha e 18 horas da tarde, e a outra entre 18 horas da tarde e 6h da manha do outro dia. O racionamento parcial de água na cidade atingiu cerca de 60 mil moradores da Zona Industrial.[2]

Bairros Anexos[editar | editar código-fonte]

A Partir de 1985 com o surgimento da Zona Industrial o então Distrito do Éden começou a receber inúmeros novos loteamentos, com isso atualmente, exitem diversos bairros anexos ao Éden, como:

  • Jardim Boa Esperança
  • Vila Novo Éden
  • Jardim Portal do Éden
  • Jardim Jatobá
  • Jardim Alegria
  • Jardim Harmonia
  • Jardim Primavera
  • Jardim Amália
  • Jardim Copaíba
  • Jardim Turmalina
  • Jardim Itália
  • Jardim Carolina
  • Jardim Éden Ville
  • Jardim Paraíso
  • Jardim Regente
  • Jardim Lena
  • Jardim dos Pássaros
  • Jardim das Azaleias
  • Jardim das Orquídeas
  • Jardim Nathália
  • Jardim Dona Tereza
  • Jardim Portobello
  • Res. Campos do Conde

Transporte[editar | editar código-fonte]

Área de Transferência

O Éden tem um "mini-terminal" de ônibus as chamadas Área de Transferência (AT). Onde é possivel embarcar em diversas linhas que passam pelo bairro. Além de fazer integração com outras linhas e ir a outras regiões da cidade sem passar pelo centro, pagando uma única tarifa. desde que o passageiro tenha o "cartão social"

Linhas Urbanas (atende a Área de Transferência do Éden)

  • 05 V. Carvalho/V. Fiori (Atende AT Éden e Jd. das Azáleias)
  • 31 Cajuru
  • 38 Aparecidinha via Éden
  • 53 Éden
  • 61 Iporanga
  • 72 Bairro dos Carvalhos
  • 75 Campininha
  • 31/1 Circular Nilton Torres (Linha alimentadora que atende o Jardim Nilton Torres no Cajuru, passando pela Área de Transferência do Éden ate o Jardim das Azaleias)


Linhas Interbairros (Atende a Área de Transferência do Éden)

  • 303 Interbairros III (Itavuvu/Éden)
  • 304 Interbairros IV (Éden/Brigadeiro Tobias)

Linhas Intermunicipais

  • 6209 - Itu (Centro) - Sorocaba (Centro) via Hosp. Pirapitingui

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Unidade Básica de Saúde (UBS)
  • UPA do Éden
    Unidade de Pronto Atendimento Éden (UPA): Com uma média de 11 mil atendimentos por mês[3] a UPA do Éden foi inaugurada em Agosto de 2015, esta localizado na Rua Miguel José Gimenes, 4.235, ao lado da sede do Corpo de Bombeiros da Zona Industrial, e funciona 24 horas. Oferece atendimentos para adultos e crianças, com médicos plantonistas na área de clínica geral e pediatria (oito médicos durante o dia e seis à noite). A unidade tem cinco consultórios para adultos, dois consultórios de pediatria, salas de observação, postos de enfermagem, sala para assistente social, arquivo médico e raio-x, sala de esterilização, entre outros espaços administrativos e operacionais. Há 14 leitos de observação e quatro de emergência. A UPA segue o padrão de atendimento das UPHs da cidade – Zona Norte, Zona Oeste e Zona Leste – e é gerenciada e operada pelo Banco de Olhos de Sorocaba (BOS), por meio de convênio firmado com a Prefeitura.

Escolas e Pre-escolas[editar | editar código-fonte]

  • E.E prof° Francisco Coccaro - (6° ao 9° ano, Ensino Médio)
  • E.E Dr° Gualberto Moreira - (Ensino Fundamental e Médio)
  • E.M prof° Oswaldo de Oliveira - (Ensino Fundamental)
  • Colégio Portal - (Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II)
  • Escola Estadual do Éden - (Ensino Fundamental, Médio e Supletivo)
  • Oficina do Saber - (Escola de Tempo Integral)


Centros de Educação infantil

  • CEI 14 Eng. Carlos Reinaldo Mendes
  • CEI 83 Maria Carmen Rodrigues Saker
  • CEI 94 “Ana Lúcia Pazini” – Jardim Alegria

Benefícios Públicos[editar | editar código-fonte]

  • Sabe Tudo Jardim Jatobá
  • UNITEN Éden (cursos gratuitos em diversas áreas (Metrologia/Sistema Toyota de Produção entre outros) a unidade Éden funciona na Av. Bonifácio de oliveira Cassu, 751.
  • Casa do Cidadão Éden
  • Bancos/Lotérica
  • Posto Policial 24 horas
  • Delegacia de Policia (6° DP de Sorocaba)
  • Corpo de Bombeiros
  • Estação de Tratamento de Água (ETA-Éden) (Abastece os bairros da região Éden, Cajuru, Aparecidinha)
  • Lojas, Farmácias, Supermercados.
  • Industrias
  • Praças e Parques Públicos
  • Ginásio Poliesportivo José Carlos Oliveira "Teco" (Batizado com o nome de um conhecido e muito querido jogador do time de futebol Atlético Brasil F.C., falecido em 2013. Em 2014 o time de futsal "Futsal Brasil Kirin" com o craque Falcão, usaram o ginasio para treinos e partidas no local)

Parque do Éden[editar | editar código-fonte]

Localiza-se no entorno da Estação de Tratamento de Água do bairro (ETA-Éden). O Parque da ETA-Éden possui equipamentos de ginástica da "Academia ao Ar Livre", pista de caminhada e um deque de madeira sobre o manancial de captação da água, o que possibilitará uma ampla visualização da área do parque, composta por grande área de vegetação natural, com gramado e diferentes espécies de árvores nativas e frutíferas. A ETA-Éden continuará integrando o sistema de distribuição de água de Sorocaba, porém, terá seu setor operacional isolado do espaço de lazer, que será aberto ao público.

Música[editar | editar código-fonte]

O bairro vem se tornando um berço de novas bandas de rock, que vem ganhando grande expressão no cenário alternativo da cidade, a exemplo das bandas Fones e INI que servem de incentivo para outros jovens do bairro formarem novas bandas. O bairro também é palco de festivais de música, como o tradicional Coletivo 53, idéia surgida entre os jovens do bairro e organizado anualmente.e nunca mais foi organizado o coletivo 53 deixando o bairro morrer!

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

[carece de fontes?]

  1. a b “Sorocaba Integra” está atuando em 8 bairros na prevenção ao uso de drogas
  2. {{|http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2014/07/07/apos-captar-agua-sorocaba-inicia-racionamento-parcial.htm
  3. {{|url=http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/especial-publicitario/prefeitura-de-sorocaba/sorocaba-em-noticias/noticia/2016/02/upa-do-eden-completa-seis-meses-e-com-mais-de-65-mil-atendimentos.html