Éditions L'Âge d'Homme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de « Éditions L'Âge d'Homme» na Wikipédia em francês (desde abril de 2013). Ajude e colabore com a tradução.

L'Âge d'Homme é uma editora suíça fundada na cidade de Lausanne em 1966 por Vladimir Dimitrijevic. Sua sede está atualmente localizada em Paris.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Inicialmente conhecida pela difusão de autores eslavos graças à sua coleção Clássicos Eslavos, a Editora L'Âge d'Homme diversifica sua linha editorial com o passar do tempo, publicando revistas, trabalhos universitários, obras de ficção e inúmeros autores suíços como Henri-Frédéric Amiel, Étienne Barilier, Gaston Cherpillod, Charles-Albert Cingria, Georges Haldas, Charles-Ferdinand Ramuz, Léon Savary, ou franceses, como Pierre Gripari e Alain Paucard.

Dos anos 1960 a 1980, L'Âge d'Homme foi uma das principais editoras francófonas de escritores dissidentes soviéticos, como Alexandre Zinoviev.

Durante as guerras civis na Iugoslávia, a Editora publica inúmeras obras sustentando a Sérvia.

L'Âge d'Homme publica numerosos ensaios consagrados a temas políticos, históricos, culturais ou filosóficos de autores como Alain de Benoist, Pierre Marie Gallois, Éric Werner, Ibn Warraq ou Alexandre Del Valle. E também diversos volumes de Octave Mirbeau: três tomos de sua Correspondência Geral, seus Combates Literários, L'Abbé Jules e Sébastien Roch, assim como o monumental Dicionário Octave Mirbeau. Publicou igualmente autores anarquistas como Max Stirner (O único e sua propriedade, Dossier H), Noël Godin (Antologia da subversão carabina), dossiês Dada, e uma coleção e uma revista dedicada ao surrealismo, sob a direção de Henri Béhar.

A editora igualmente se engajou na defesa dos poetas suíços, tais como Lucien Noullez, Ferenc Rákóczy, Monique Laederach ou Pierrette Micheloud.

Em 2011, a editora contava com cerca de 4.500 títulos em seu catálogo.

Coleções[editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca Mélusine.
  • Cadernos de vanguardas.
  • Arquipélago eslavo.
  • Dossier H (dedicado a Georges Haldas).
  • Os grandes poemas do mundo.
  • Grandes Espiritualistas Ortodoxos do Século XX (dirigida por Jean-Claude Larchet).
  • Mensagens.
  • Poche suisse (dirigida por Jean-Michel Olivier).
  • Le rameau d'or.
  • Sophia.
  • Symbolon.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.