Édson Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo dançarino com mesmo nome, veja Jacaré (dançarino).
Édson Santos de Souza
Édson Santos em 2008 (Fonte: Agência Brasil)
Ministro-chefe da Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do  Brasil
Período 20 de fevereiro de 2008
até 31 de março de 2010
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Antecessor(a) Matilde Ribeiro
Sucessor(a) Eloi Ferreira Araújo
Vereador
Dados pessoais
Nascimento 27 de março de 1953 (64 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Partido PT
Profissão Sociólogo
linkWP:PPO#Brasil

Édson Santos de Souza (Rio de Janeiro, 21 de julho de 1954)[1] é um sociólogo e político brasileiro. Entrou para a política filiado ao Partido Comunista do Brasil em 1985, transferindo-se para o Partido dos Trabalhadores em 1994 onde está atualmente como deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro. Durante sua carreira política, foi vereador da cidade do Rio de Janeiro, sendo eleito vice-presidente da Câmara de Vereadores.

Foi eleito Deputado Federal em 2006 e reeleito em 2010.

Tem histórico de participação em decisões para igualdade racial, tendo sido, entre 2008 e 2010, Ministro-Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu no bairro do Horto, no Rio de Janeiro. Cursou Ciências Sociais na Universidade Estadual do Rio de Janeiro no início da década de 1980, quando foi diretor da União Nacional dos Estudantes. Também foi presidente do Conselho de Moradores da Cidade de Deus, onde viveu por mais de dez anos.[4]

Foi filiado ao Partido Comunista do Brasil de 1985 a 1994, quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores. É membro do Diretório Nacional desta legenda desde 2006. Foi vereador da cidade do Rio de Janeiro de 1989 a 2006, por quatro mandatos consecutivos. Foi vice-presidente e presidente da Comissão Permanente de Transportes e Trânsito da Câmara de 1993 a 1996. Em 1998 fez mestrado em administração de empresas no Instituto Alberto Luiz Coimbra da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi eleito segundo vice-presidente da Câmara de Vereadores em 2005 e também presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Moradia Popular. Participou de 16 Comissões parlamentares de inquérito. Aprovou a lei que criou o Conselho Municipal de Política Urbana (COMPUR), a lei que instituiu o Feriado Municipal de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro, e a lei da meia-entrada para estudantes em eventos culturais.[4]

Foi canditado a senador pelo estado do Rio de Janeiro em 2002, tendo recebido cerca de 1,8 milhão de votos, ficando em quarto lugar, à frente de nomes como Artur da Távola e Leonel Brizola. Em 2006 foi eleito deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores.[4] Em 2007 foi responsável pela instalação do monumento a João Cândido, líder da Revolta da Chibata, nos jardins do Museu da República, de costas para o Palácio do Catete e de frente para o Atlântico.[4] Em 2008, enquanto disputava a pré-candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro, foi escolhido pelo governo federal para assumir a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Substituiu Matilde Ribeiro, envolvida no escândalo dos cartões corporativos.[4]

Em 31 de março de 2010 deixou o Governo para concorrer ao cargo de Deputado Federal[5], tendo sido eleito para mandato na Câmara dos Deputados, em Brasília, até 2014. Nas eleições de 2014, concorreu à reeleição como Deputado Federal, mas não logrou eleger-se.[6]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Matilde Ribeiro
Ministro-chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Brasil
2008 – 2010
Sucedido por
Eloi Ferreira Araújo