Émile perverti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Émile perverti
Autor(es) René Schérer
Idioma francês
País Flag of France.svg França
Gênero ensaio
Série Liberté 2000
Editora Roger Laffont
Lançamento 1974
Páginas 252 páginas

Émile perverti ou Des rapports entre l'éductation et la sexualité [Emílio pervertido ou Das relações entre a educação e a sexualidade] é um ensaio do filósofo francês René Schérer sobre política sexual, publicado em 1974 pela editorial Roger Laffont. A peça, que responde à introdução de uma educação sexual obrigatória nas escolas, teve um grande sucesso no momento de ser publicada.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Em Émile perverti, René Schérer faz uma deconstrução da educação contemporânea, seus pressupostos e as projeções morais dos adultos sobre as crianças. O autor critica os métodos da educação moderna e defende um novo modelo educacional para os jovens.[1]

Segundo Schérer, a pedagogia moderna baseia-se na exclusão do desejo sexual na relação docente. Esta repressão, que se apoia na literatura psicopedagógica, tem um efeito normatiu sobre a psique e o corpo dos adultos que se torna, erigindo a família nuclear como modelo, em una função reprodutiva. Infundindo toda a carga moral da sociedade na formação de futuros cidadãos, a educação é para Schérer o pedestal liberticida do controle da sexualidade.[2]

O autor ataca a suposta liberação sexual, analisa questões como o heterocentrismo, a reprodução das normas ou a negação do desejo sexual da criança na sociedade e denuncia a "puerilização" da educação.

Schérer constrói seus argumentos sobre uma crítica incisiva do Emílio de Rousseau[3] e bebe da fonte de Wilhelm Reich, Freud, Kant, Fourier,[4] bem como dos seus contemporêneos, Deleuze, Guattari, Foucault.

Referências

  1. Mérida Jiménez, Rafael M. "Cuerpos pedagógicos: Hacia una nueva lectura de 'Émile perverti' de René Schérer" (em espanhol). Prosopopeya: revista de crítica contemporánea, nº (janeiro 2008-2009) p. 201-210, ISSN 1575-8141.
  2. Bessin, Marc. L'enfance : Un panoptique, une tour de contrôle (em francês). Mouvements, nº 49 (janeiro 2007)p. 16-26.
  3. Asensi, Manuel. "El ignorante del maestro: Sobre ignorancia y emancipación" (em espanhol). Em: Desacuerdos, Vol. XI, p. 34-44. Arteleku-Diputación Foral de Guipúzcoa, Centro José Guerrero-Diputación de Granada, Museu d'Art Contemporània de Barcelona, Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia e UNIA arteypensamient.
  4. Diederik, Janssen. Crimen sollicitations: Tabooing incest after the orgy (em inglês). Thymos, Vol. IV, n.º 2 (2010-10-1). ISSN 1931-9045.