Éramos Seis (2019)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre uma telenovela futura.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
TV-icon-novela-current.svg
Éramos Seis
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 50 minutos
Estado Em produção
Criador(es) Ângela Chaves
Baseado em Éramos Seis, de Maria José Dupré
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Pedro Peregrino
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Bernardo Guilherme
Daisy Chaves
Juliana Peres
Elenco
Tema de abertura "Linda Flor (Ai, Ioiô)", Fafá de Belém
Localização Rio de Janeiro, RJ
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 30 de setembro de 2019
Cronologia
Programas relacionados Éramos Seis (1958)
Éramos Seis (1967)
Éramos Seis (1977)
Éramos Seis (1994)

Éramos Seis é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo a partir de 30 de setembro de 2019, substituindo Órfãos da Terra. Será a 94.ª "novela das seis" exibida pela emissora. Baseada na romance de mesmo título de Maria José Dupré, é adaptada por Ângela Chaves, com colaboração de Bernardo Guilherme, Daisy Chaves e Juliana Peres, direção de Oscar Francisco e Carla Bohler, direção geral de Pedro Peregrino e direção artística de Carlos Araújo.[1] É a quinta adaptação da obra em formato de telenovela, sendo a primeira versão da RecordTV em 1958, seguida por duas da Rede Tupi em 1967 e 1977 e do SBT em 1994.

Conta com Glória Pires, Antonio Calloni, Nicolas Prattes, Danilo Mesquita, Giullia Buscacio, André Luiz Frambach, Carol Macedo e Susana Vieira nos papeis principais.

Antecedentes

Gessy Fonseca e Gilberto Chagas durante a primeira adaptação da obra para a televisão em 1958, pela RecordTV.

Em 1943 a escritora Maria José Dupré lançou seu segundo romance, Éramos Seis, que viria a se tornar uma das obras de maior sucesso da literatura brasileira, homenageada pela Academia Brasileira de Letras com o Prêmio Raul Pompeia.[2] Em julho de 1945 o livro foi adaptado pela primeira vez como radionovela na Rádio Tupi, escrita por Álvaro Augusto e com Sônia Barreto como a primeira Dona Lola da história.[3] No mesmo ano foi transformada em filme na Argentina.[4]

Em 1958 foi adaptada pela primeira vez como telenovela pela RecordTV, escrita e dirigida por Ciro Bassini e trazendo Gessy Fonseca como protagonista, sendo exibida em dois capítulos semanais e ao vivo – uma vez que na época ainda não existia gravação no Brasil e as novelas não eram diárias.[5] Foi a telenovela mais assistida no Brasil naquele ano.[6] Em 1967 a TV Tupi realizou a segunda versão, escrita por Pola Civelli e dirigida por Hélio Souto, ainda na época das novelas ao vivo, trazendo no papel principal Cleyde Yáconis, que também esteve na primeira versão como Clotilde.[7]

Em 1977 a Tupi realizou outra versão da novela – tendo mais recursos na época, além de já haver gravação –, sendo escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, dirigida por Atílio Riccó e protagonizada por Nicette Bruno.[8] Em 1994 foi adaptada pela quarta vez pelo SBT, trazendo novamente textos de Sílvio e Rubens e direção de Henrique Martins e Del Rangel, com Irene Ravache como protagonista.[9] Foi considerada a melhor novela da emissora, uma vez que se desvencilhava das adaptações de mexicanas.[10][11]

Produção

A Viação Férrea Campinas-Jaguariúna foi utilizada para simular os trens da capital na década de 1920.

Em julho de 2017 a Rede Globo adquiriu os direitos autorais de adaptação de Éramos Seis.[12] Com isso, RecordTV e SBT foram impedidos de exibir qualquer trecho de suas versões.[13] Silvio de Abreu revelou que gostaria de adaptar a obra pela terceira vez, porém a emissora escalou Ângela Chaves para o cargo, uma vez que o autor foi promovido para diretor de teledramaturgia do canal.[14] Ângela começou a entregar os capítulos completos em setembro de 2018.[15] A norma da direção foi para que a novela estreasse com todos os capítulos escritos e pelo menos 20 gravados, utilizando um formato de adiantamento do trabalho já realizado por outras emissoras.[16] As gravações começaram em julho de 2019 em São Vicente, litoral de São Paulo, com cenas da primeira fase.[17]

As demais cenas externas foram gravadas em Campinas, Paulínia e Jaguariúna, interior paulista, utilizando como locação a Viação Férrea Campinas-Jaguariúna para simular os trens da capital na época.[18] As cenas externas do casarão de Emília foram gravadas no Palácio dos Cedros, em São Paulo.[19] A figurinista Labibe Simão ficou responsável por criar figurinos que pudessem mostrar a evolução das roupas utilizadas entre as décadas de 1920, 1930 e 1940 – quando se passa a trama – e a maior parte das vestimentas veio de brechós.[20] A casa dos protagonistas foi inspirada na arquitetura barroca, enquanto o casarão de Emília teve o interior inspirado no Palácio de Versalhes, na França, com diversas obras de arte e esculturas.[20]

Escolha do elenco

Glória Pires, Elizabeth Savalla e Lília Cabral eram as opções da direção para interpretar Lola, sendo que a primeira foi a escolhida.[21][22][23] Escalado como Júlio, Antonio Calloni foi substituído por Cássio Gabus Mendes, que foi deslocado para outro personagem antes do início das gravações, e Antonio retomou o protagonista.[24] A direção desejava ter Fábio Assunção no papel de Felício, porém o ator passava por problemas na vida pessoal e o papel ficou para Paulo Rocha.[25] A ideia era ter as duas Lolas anteriores – já que Gessy Fonseca e Cleyde Yáconis haviam falecido – em outros papeis na novela: Nicette Bruno interpretaria Maria, enquanto Irene Ravache seria Emília.[26] Porém isso foi impossibilitado, já que Nicette estava na novela anterior, Órfãos da Terra, e Irene Ravache apresentava problemas no quadril, sendo que Denise Weinberg e Susana Vieira ficaram com os personagens.[27]

Cleo chegou a ser confirmada como Isabel, estratégia da direção para juntar mãe e filha nos mesmos papeis na ficção – como antes já havia ocorrido com Regina Duarte e Gabriela Duarte em Por Amor e Lucinha Lins e Cláudio Lins em Esmeralda – mas ela foi substituída por Giullia Buscacio por uma questão de idade: os atores que interpretariam seus irmãos mais velhos eram bem mais jovens que ela.[28]

Enredo

Lola (Glória Pires) é uma mulher doce e dedicada à família, casada Júlio (Antonio Calloni), que sonha ser rico e se endivida para financiar uma casa na Avenida Angélica, em São Paulo, tendo juntos quatro filhos. O responsável e estudioso Carlos (Danilo Mesquita) é o orgulho da família, mas vive um romance conturbado com Inês (Carol Macedo), cujo o pai dela é contra. De caráter duvidoso, Alfredo (Nicolas Prattes) vive em conflito com os pais por seu jeito rebelde e baderneiro, além de odiar o irmão mais velho por ciúme. Isabel (Giullia Buscacio) é a queridinha do pai, mas choca a todos quando se envolve com Felício (Paulo Rocha), um homem bem mais velho e desquitado – algo abominável na época. Já Julinho (André Luiz Frambach) ambiciosa ascender socialmente e vê a oportunidade disso ao namorar Soraya (Rayssa Bratillieri), filha do rico turco Assad (Werner Schünemann), para quem seu pai trabalha.

Ainda há as irmãs de Lola: Clotilde (Simone Spoladore) sonha em se casar com Agemiro (Ricardo Pereira) sem saber que ele já é casado; já Olga (Maria Eduarda de Carvalho) casa-se com Zeca (Eduardo Sterblitch), farmacêutico do interior que tenta se acostumar com a cidade grande. A tia paterna de Lola, Emília (Susana Vieira), é uma viúva milionária e amarga que nunca ajudou os familiares e vive reclusa em seu casarão cuidando da filha, Justina (Julia Stockler), que tem problemas mentais e não pode sair de casa por isso. Ela enviou a filha mais nova, Adelaide (Joana de Verona), para Portugal ainda criança, porém a moça retorna adulta e entra em guerra com a mãe, tanto pelas ideias modernas e feministas, quanto pela insistência de que a irmã não deve ser privada do convívio social.

Shirley (Barbara Reis) acredita que foi deixada grávida na juventude por Afonso (Caco Ciocler), sem saber que tudo não passou de uma armação da mãe dele, que não queria o filho envolvido com a empregada da casa e aproveitou a internação dele para mentir que ambos haviam se abandonado. Dezoito anos depois os dois se encontram e descobrem a verdade, porém Shirley já está casada com Afonso (Cássio Gabus Mendes), que assumiu a filha deles, Inês, como sua. Filha de Geni (Kelzy Ecard) e Virgulino (Kiko Mascarenhas) Lili (Triz Pariz) é apaixonada por Julinho, mas nunca teve uma chance por ser pobre. Ainda há Marion (Ellen Rocche), dançarina de cabaré apaixonada por Júlio.

Exibição

Originalmente Éramos Seis estava programada para estrear em 2020, substituindo Nos Tempos do Imperador.[29] Em janeiro de 2019, porém, foi anunciado que as duas novelas haviam trocado de posto, uma vez que a trama imperialista exigia mais tempo de pesquisa para que houvesse uma reconstituição fiel do Brasil em 1850.[30] Após a mudança, a novela estava programada para estrear no fim de novembro de 2019, porém foi adiantada em dois meses para 30 de setembro quando Órfãos da Terra foi encurtada devido ao esgotamento da história.[31] As chamadas começaram em 30 de agosto.[32]

Elenco

Ator[33] Personagem
Glória Pires Eleonora Amaral de Lemos (Lola)
Antonio Calloni Júlio Abílio de Lemos
Danilo Mesquita Carlos Abílio de Lemos
Nicolas Prattes Alfredo Abílio de Lemos
Giullia Buscacio Isabel Abílio de Lemos
André Luiz Frambach Júlio Abílio de Lemos Filho (Julinho)
Susana Vieira Emília Amaral Bourbon
Carol Macedo Inês Ferreira dos Santos
Paulo Rocha Felício
Rayssa Bratillieri Soraya Assad
Simone Spoladore Clotilde Amaral
Ricardo Pereira Argemiro Almeida
Maria Eduarda de Carvalho Olga Amaral
Eduardo Sterblitch José Carlos Freitas (Zeca)
Caco Ciocler João Aranha[34]
Bárbara Reis Shirley Ferreira dos Santos
Cassio Gabus Mendes Afonso dos Santos
Joana de Verona Adelaide Amaral Bourbon
Julia Stockler Justina Amaral Bourbon
Werner Schünemann Jorge Assad (Assad)
Mayana Neiva Karine Fagundes Assad
Giselle Batista Leontina Neves
Breno Nina Bruno Neves (Neves)
Ellen Rocche Marion
Denise Weinberg Maria Amaral
Camila Amado Candida Amaral
Walderez de Barros Marlene de Lemos
Triz Pariz Maria Lídia Coutinho (Lili)
Kelzy Ecard Genoveva Coutinho (Genu)
Kiko Mascarenhas Virgulino Coutinho
Jhona Burjack Lúcio Coutinho
Brenno Leone Elias
Stepan Nercessian Delegado Gusmões
Cláudia Ventura Profª. Benedita
Virgínia Rosa Durvalina
Thiago Justino Higino
Guilherme Ferraz Tião
Caroline Verban Nely
Ramon Francisco Alaor
Carla Nunes Amanda
Marcela Jacobina Natália[35]
Duda Batista Emiliana Amaral Freitas
Marjorie Queiroz Maria Emília Amaral Freitas
Miguel Galhardo Tavinho Amaral Freitas

Participações especiais

Ator Personagem
Lavínia Pannunzio Lucy Assad
Othon Bastos Padre Venâncio[36]
Xande Valois Carlos (criança)
Pedro Sol Alfredo (criança)
Maju Lima Isabel (criança)
Davi de Oliveira Julinho (criança)
Gabriella Saraivah Inês (criança)
Melissa Nóbrega Soraya (criança)
Bruna Negendank Lili (criança)
Arthur Gama Lúcio (criança)
Lipinho Costa Tião (criança)

Música

Referências

  1. «Stepan Nercessian é confirmado no elenco da novela Éramos Seis». Notícias de TV. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  2. «Fichas de Leitura». Apoio Escolar 24 Horas. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  3. «As muitas versões de Éramos Seis». Memórias Cinematográficas. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  4. «Éramos Seis - Filme». Cinemateca Brasileira. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  5. «Éramos Seis: relembre todas as versões desse clássico da TV». Observatório da Televisão. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  6. «Éramos Seis, um sucesso em adaptações». Rede RCS. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  7. «Éramos Seis (1967)». Teledramaturgia. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  8. «Éramos Seis (1977)». Teledramaturgia. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  9. «Éramos Seis (1994)». Teledramaturgia. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  10. «'Éramos Seis' termina com sucesso discreto autor=Esther Hamburger». Folha de S.Paulo. 5 de dezembro de 1994. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  11. «O paraíso do anonimato recuperado». O Globo. 7 de dezembro de 1994. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  12. «Globo apaga do Youtube vídeos de Éramos Seis, do SBT, e prepara seu próprio remake; protagonistas já estariam definidos». Observatório da Televisão. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  13. «Globo apaga vídeos de novela do SBT no YouTube». Metropoles. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  14. «Silvio de Abreu diz que quer fazer remake de antigo sucesso; confira». Metropoles. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  15. «Globo inicia os trabalhos da nova versão de Éramos Seis». Observatório da Televisão. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  16. «Novo remake de "Éramos Seis" estreará com maioridade de capítulos prontos». UOL. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  17. «Cenas de 'Éramos Seis', nova novela da Globo, são gravadas em São Vicente». Diário do Litoral. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  18. «Mais Caminhos acompanha gravações da nova novela 'Éramos Seis'». Gshow. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  19. «Susana Vieira: Saiba detalhes da volta da atriz à TV». Revista Quem. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  20. a b «Éramos Seis mergulha na arquitetura e na moda da primeira metade do século 20». Observatório da Televisão. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  21. «Os 24 anos da versão do SBT para Éramos Seis, saudada como uma das melhores novelas da emissora». Observatório da Televisão. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  22. «Lilia Cabral deve ser a protagonista do remake de Éramos Seis». Observatório da Televisão. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  23. «Gloria Pires é afastada da Globo por dois anos: vem saber o que aconteceu». MSN. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  24. «Antonio Calloni substitui Cássio Gabus Mendes na novela Éramos Seis». Notícias de TV. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  25. «Diretores de Éramos Seis querem Fábio Assunção no elenco». Observatório da Televisão. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  26. «Eternas dona Lola, Nicette Bruno e Irene Ravache serão destaque na nova versão de Éramos Seis». Observatório da Televisão. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  27. «Problema de saúde faz Irene Ravache usar muleta nas gravações de Espelho da Vida». Observatório da Televisão. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  28. «Problema de saúde faz Irene Ravache usar muleta nas gravações de Espelho da Vida». Observatório da Televisão. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  29. «Com mudança de novela, As Five pode ser antecipada na Globo». O Canal. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  30. «Dificuldade de produção causou adiamento de novela sobre D. Pedro». Folha de S.Paulo. Consultado em 5 de setembro de 2019 
  31. «Globo agenda início das gravações de Éramos Seis». Observatório de Televisão. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  32. «'Éramos Seis': Globo divulga 1º teaser da nova novela das 6». Estadão. Consultado em 10 de setembro de 2019 
  33. Redação (26 de agosto de 2019). «"Éramos Seis": conheça o elenco da nova novela das 6». Gshow. Consultado em 11 de setembro de 2019 
  34. Redação (9 de setembro de 2019). «Caco Ciocler será João Aranha em "Éramos Seis"». Gshow. Consultado em 11 de setembro de 2019 
  35. https://noticiasdetv.com/2019/09/17/entrevista-marcela-jacobina-sera-mulher-de-ricardo-pereira-na-novela-eramos-seis/
  36. «Othon Bastos fará participação afetiva em 'Éramos Seis'». Gshow. Consultado em 7 de setembro de 2019 
  37. a b c d «Fafá de Belém e Rubel regravam músicas antigas para a trilha sonora da novela "Éramos seis"». Central Cultura. Consultado em 7 de setembro de 2019 

Ligações externas