Érico II da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Érico II
Rei da Dinamarca
Erik emune.jpg
Reinado 11341137
Consorte Malfrid de Kiev
Antecessor(a) Nicolau I
Sucessor(a) Érico III
 
Casa Casa de Estridsen
Nome completo
Érico Eriksen
Morte 18 de setembro de 1137
Sepultamento Catedral de Ribe, Jutlândia, Dinamarca
Filho(s) Sueno III da Dinamarca
Pai Érico I

Érico, o Memorável (em dinamarquês: Erik II Emune) (?, ? de ? — Ribe, 18 de setembro de 1137) foi rei da Dinamarca entre 1134 e 1137. Era filho ilegítimo de Érico I.

Após o falecimento de Canuto Lavardo, assassinado por Magno Nilsson, filho de Nicolau I da Dinamarca, Érico II Emune se uniu aos partidários de seu irmão assassinados, dirigidos pela família de Skjalm Hvide de Zelândia, para se opor à autoridade real.

Foi derrotado e teve que fugir para a Noruega em 1133. O arcebispo de Lund, Asser, primo de Canuto Lavardo, prestou ajuda a Érico, e o imperador germânico Lotário II enfrentou o rei Nicolau I em 1134, em Halberstadt. Magno Nilsson teve que se render, pela primeira vez na história do reino, ao império.

O exército de Érico II, que estava instalado em Lund, foi reforçado por 300 cavaleiros mercenários alemães que, em 4 de junho de 1134, em Fotevik, perto de Skanör na Escânia, travou uma sangrenta batalha com o exército real, derrotando-o. Neste batalha morreu Magno Nilsson, junto com cinco bispos e vários nobres dinamarqueses.

Nicolau I fugiu, refugiando-se no sul da Jutlândia, onde foi assassinado pelos seus habitantes em 25 de junho de 1135. Érico II foi reconhecido rei e, em recompensa, outorgou aos seus partidários os cargos e títulos dos falecidos. Eskil Christiernses, sobrinho de Asser, foi nomeado bispo de Roskilde.

Com o objetivos se assegurar-se no posto de rei, Érico Emune mandou executar, em 1135, com oito de seus filhos, seu irmão Haroldo Kesia, que tentava ascender ao trono na Jutlândia. Em meio a tudo isso, instalou-se um levante dos camponeses de Zelândia e o rei foi assassinado em Ribe.

Em 1131, Érico II Emune se casou com Malfrida, filha de Mistilau II de Kiev, viúva do rei Sigurdo I da Noruega, que a havia repudiado.

Não teve mais que um filho legítimo, o futuro Sueno III nascido antes de 1125.

Precedido por
Nicolau I
Rei da Dinamarca
1134 - 1137
Sucedido por
Érico III
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.