Érico II da Dinamarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Érico II
Rei da Dinamarca
Erik emune.jpg
Reinado 11341137
Consorte Malfrida de Quieve
Antecessor(a) Nicolau I
Sucessor(a) Érico III
Casa Casa de Estridsen
Nome completo
Érico Eriksen
Nascimento 1090
Morte 18 de setembro de 1137
Enterro Catedral de Ribe, Jutlândia, Dinamarca
Filho(s) Sueno III da Dinamarca
Pai Érico I

Érico, o Memorável (em dinamarquês: Erik II Emune) (meados de 1090Ribe, 18 de setembro de 1137) foi rei da Dinamarca entre 1134 e 1137. Era filho ilegítimo de Érico I.

Após o falecimento de Canuto Lavardo, assassinado por Magno Nilsson, filho de Nicolau I da Dinamarca, Érico II Emune se uniu aos partidários de seu irmão assassinados, dirigidos pela família de Skjalm Hvide de Zelândia, para se opor à autoridade real.

Foi derrotado e teve que fugir para a Noruega em 1133. O arcebispo de Lund, Asser, primo de Canuto Lavardo, prestou ajuda a Érico, e o imperador germânico Lotário II enfrentou o rei Nicolau I em 1134, em Halberstadt. Magno Nilsson teve que se render, pela primeira vez na história do reino, ao império.

O exército de Érico II, que estava instalado em Lund, foi reforçado por 300 cavaleiros mercenários alemães que, em 4 de junho de 1134, em Fotevik, perto de Skanör na Escânia, travou uma sangrenta batalha com o exército real, derrotando-o. Neste batalha morreu Magno Nilsson, junto com cinco bispos e vários nobres dinamarqueses.

Nicolau I fugiu, refugiando-se no sul da Jutlândia, onde foi assassinado pelos seus habitantes em 25 de junho de 1135. Érico II foi reconhecido rei e, em recompensa, outorgou aos seus partidários os cargos e títulos dos falecidos. Eskil Christiernses, sobrinho de Asser, foi nomeado bispo de Roskilde.

Com o objetivos se assegurar-se no posto de rei, Érico Emune mandou executar, em 1135, com oito de seus filhos, seu irmão Haroldo Kesia, que tentava ascender ao trono na Jutlândia. Em meio a tudo isso, instalou-se um levante dos camponeses de Zelândia e o rei foi assassinado em Ribe.

Em 1131, Érico II Emune se casou com Malfrida, filha de Mistilau II de Quieve, viúva do rei Sigurdo I da Noruega, que a havia repudiado.

Não teve mais que um filho legítimo, o futuro Sueno III nascido antes de 1125.

Precedido por
Nicolau I
Rei da Dinamarca
1134 - 1137
Sucedido por
Érico III
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.