Ênio Tatto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ênio Tatto
Deputado Estadual de São Paulo
Período 15 de março de 2003
até atualidade
Dados pessoais
Nome completo Ênio Francisco Tatto
Nascimento 20 de maio de 1960 (59 anos)
Frederico Westphalen, RS, Brasil
Partido PT
Profissão Contador
Website www.eniotatto.com.br

Ênio Francisco Tatto (Frederico Westphalen, 20 de maio 1960), é um contador e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Atualmente exerce o quinto mandato de deputado estadual pelo estado de São Paulo. É irmão dos também políticos Arselino, Nilto, Jilmar e Jair Tatto, com reduto eleitoral na Capela do Socorro, zona Sul da cidade de São Paulo.[1]

Trajetória[editar | editar código-fonte]

É o sétimo filho de Jácomo Tatto e Inês Fontana Tatto que com seus dez filhos formaram uma típica família de descendentes de italianos, que em 1966, migrou para o estado do Paraná para trabalhar na colheita de soja. Enio Tatto é casado com Yolanda Rocha Tatto e pai de três filhos: Karla, Carmem e Carlos.

​Seus primeiros anos de vida foram de contato com a dura realidade do trabalho na agricultura, onde conheceu e viveu as privações infelizmente ainda comuns para grande parte de brasileiros.

Com sólida formação católica, junto com seus pais e irmãos mais novos, Enio migrou para São Paulo, em 1978. Ao chegar à Zona Sul da capital, onde mora até hoje, formou-se em ciências contábeis, foi metalúrgico e iniciou a militância política nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Igreja Católica.

Vivia-se naquela época um período de grande turbulência política e social. A luta contra a ditadura avançava e os movimentos populares e sindicais ampliavam-se com o apoio das CEBs e de outros segmentos da sociedade.

Com formação cristã e com a sensibilidade de quem viveu privações no campo e a dura vida da periferia de São Paulo, Enio engajou-se, desde sua chegada a São Paulo, nas lutas populares, participando do Movimento pela Anistia Ampla Geral e Irrestrita, do Movimento Contra a Carestia, da Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo, do Comitê Santo Dias da Silva (com quem Enio conviveu nas CEBs da Zona Sul), e na fundação, organização e construção do Partido dos Trabalhadores (PT), a partir de 1980.

Em 2002 foi eleito deputado estadual, sendo reeleito em 2006, 2010, 2014 e 2018[2]. Nesse período, chegou a liderar a bancada do seu partido na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Foi duas vezes líder da Bancada do PT, duas vezes líder da Minoria e membro titular das Comissões Transportes e Comunicações; de Finanças, Orçamento e Planejamento; de Assuntos Metropolitanos e Municipais; de Assuntos Desportivos e também da Comissão de Constituição, Justiça e Redação.

Na Assembleia, dedica-se especialmente às áreas de educação, meio ambiente e de direitos da cidadania. Apresentou cerca de mil projetos de lei, tendo aprovadas 43 leis.

​Atualmente é o 1º secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. É a terceira vez que ocupa cargo, feito não alcançado por nenhum outro deputado na história do Parlamento paulista.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.