Índios (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
""Índios""
Single de Legião Urbana
do álbum Dois
Lançamento dezembro de 1986 (1986-12)
Formato(s) 12"
Gênero(s) Pós-punk
Duração 04:23
Gravadora(s) EMI
Composição Renato Russo
Produção Mayrton Bahia
Cronologia de singles de Legião Urbana
"Eduardo e Monica"
(1986)
"Quase sem Querer"
(1987)

Índios é uma canção composta por Renato Russo. Foi lançada em 1986, no álbum Dois da banda Legião Urbana, e foi editada como o terceiro single promocional do álbum em dezembro do mesmo ano.

O título original da canção inclui aspas, como se vê dos encartes dos álbuns Dois e Música P/ Acampamentos.[1][2]. Segundo Renato Russo, as aspas são para denotar que o título refere-se não aos primeiros habitantes do Brasil, mas à inocência ou ingenuidade imbuída no povo brasileiro desde os primórdios, sendo sempre ludibriado por seus governantes.[3] A música suplica por um mundo diferente, com pessoas menos egoístas.[4]

Histórico e Estrutura[editar | editar código-fonte]

A canção é um pós-punk com uma batida eletrônica, inspirada no pós-punk britânico. Tem 54 versos e é marcada pela repetição do verso "quem me dera, ao menos, uma vez..." no início da maioria das estrofes.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Em geral, a recepção da canção foi positiva. É uma das mais lembradas dos fãs e esteve presente em muitos concertos da banda, sendo relançada, em 2001, como single do álbum ao vivo Como É Que Se Diz Eu Te Amo.

Antônio Carlos Miguel, em crítica ao álbum Dois para o Jornal da Tarde, destaca a faixa como a "mais fascinante do disco". Diz o crítico: "Numa levada hipnótica, repetindo o mesmo tema musical, ele [Renato Russo] procura traduzir o desespero dos primeiros e reais donos do Brasil. (...) Trabalhos como este, unindo prazer e consciência, podem até contribuir para a sobrevivência dos últimos índios. Ou mostrar aos ditos civilizados que ainda podemos aprender muita coisa com a inocência dos gentios".[5]

Gilmar Eitelwein, em crítica para o Jornal Zero Hora, diz que "a letra de Índios é muito boa" e, ao falar da faixa "Andrea Doria", diz que ela também - em referência a ""Índios"" - "ataca a falsidade humana encontrada em cada esquina".[6]

Legião Urbana[editar | editar código-fonte]

Faixas[editar | editar código-fonte]

12" PROMO (EMI 9951 023)[7]
Lado A
N.º TítuloCompositor(es)Intérprete Duração
1. ""Índios""  R. RussoLegião Urbana 4:23
2. "Proteção" (Remix)P. SeabraPlebe Rude 4:32
Lado B
N.º TítuloCompositor(es)Intérprete Duração
3. "Alguém" (Remix)K. ZambianchiKiko Zambianchi 5:10
4. "Formosa" (Remix)F. Haiat / E. Amarante / G. IsnardZero 4:55
Duração total:
19:00

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. LEGIÃO URBANA. Dois. Rio de Janeiro: EMI-Odeon Brasil, 1986. 1 disco sonoro (47 min), 33 1/3 RPM, estéreo, 12 pol. Encarte interno.
  2. LEGIÃO URBANA. Música P/ Acampamentos. Rio de Janeiro: EMI-Odeon Brasil, 1992. 1 disco sonoro (90 min), 33 1/3 RPM, estéreo, 12 pol. Encarte interno.
  3. «MÚSICA E IDEOLOGIA: ANÁLISE DISCURSIVA DAS CANÇÕES "GERAÇÃO COCA-COLA", ""ÍNDIOS"" E "QUE PAÍS É ESTE"» (PDF). 2014. Consultado em 10 de março de 2018 
  4. «A Música como possibilidade de desenvolvimento humano» (PDF). 2010. Consultado em 10 março de 2018 
  5. Miguel, Antônio Carlos (04 de agosto de 1986). «Celebrações à Luz Neon». São Paulo (cidade), SP: Grupo OESP. Jornal da Tarde. Consultado em 02 ago. 2013  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  6. Eitelwein, Gilmar (10 de agosto de 1986). «Uma Legião de palavras doces e ácidas. Como a música». Porto Alegre, RS: Grupo RBS. Zero Hora (337). Consultado em 02 ago. 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. «Various - Disco Promocional Mix (Vinyl)». Discogs. Consultado em 02 ago. 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)