Òmnium Cultural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Òmnium Cultural
Tipo Associação cultural
Fundação 11 de julho de 1961 (57 anos)
Sede Catalunha, Barcelona
Membros 133.811
Línguas oficiais Língua catalã
Presidente Jordi Cuixart
Sítio oficial www.omnium.cat

Òmnium Cultural é uma entidade sem ânimo de lucro fundada em 1961 que trabalha pela promoção da língua e a cultura catalã, a educação, a coesão social e a defesa dos direitos nacionais da Catalunha.[1]

Em 2017 a Òmnium Cultural tinha mais de 90.000 sócios distribuídos pelas suas 40 sedes territoriais e em junho do 2018 anunciava que o número quase chegava aos 120.000. Também tem uma vinculação direta com a Ação Cultural do País Valenciano e a Obra Cultural Balear no marco da Federação Llull.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Òmnium Cultural foi fundada a 11 de julho de 1961 por Lluís Carulla, Joan Baptista Cendrós, Fèlix Millet, Joan Vallvé e Paz Riera. Fèlix Millet foi o primeiro presidente da entidade e foi sucedido por Paz Riera, Joan Vallvé, Joan Carreras e Josep Millàs. Em dezembro de 1963, poucos dias depois das declarações de abade Aureli M. Escarré ao jornal Le Monde em defesa da identidade catalã,[3] a Òmnium Cultural foi identificada e fechada por ordens do governador civil Antonio Ibáñez Freire, mas continuou a trabalhar clandestinamente na defesa e promoção da língua e cultura catalãs. Esta situação prolongou-se até 1967, quando a entidade recebeu autorização da Administração.[4]

Durante os anos 70, 80 e 90 do séc. XX, a Òmnium vai levar a cabo numerosas campanhas para promover o catalão em diferentes âmbitos (escola, livros, restauração, nos meios de comunicação) e para defender os direitos nacionais de Catalunha (campanha "Freedom For Catalonia", campanha pelo CAT nas matrículas, etc.). A partir de 2003, sob a presidência de Jordi Porta, a entidade vai renovar-se com o impulso de novos projetos e atividades (Festa pela Liberdade, programas de coesão social, novos programas culturais), com uma nova imagem gráfica e uma mudança de localização da sede nacional, do Palácio Dalmases para a Rua Diputació, 276, no Eixample de Barcelona.

A Òmnium foi encarregada de organizar a manifestação que teve lugar o 10 de julho de 2010 em Barcelona, sob o lema "Somos uma nação. Nós decidimos", e a 29 de junho de 2013 organizou o Concerto pela Liberdade no Camp Nou, com o apoio do Assembleia Nacional Catalã (ANC) e outras entidades. Nos anos 2013 e 2014 impulsionou a campanha "Um país normal". Ainda em 2014, com o ANC, pôs em marcha a campanha "Agora é a hora", a favor da independência da Catalunha, quando estava próxima a consulta à população sobre a independência da Catalunha de 9 de novembro daquele mesmo ano. A campanha teve uma réplica no verão de 2015, antes das eleições para o Parlamento da Catalunha de 2015. Devido à participação de Muriel Casals na lista independentista Juntos pelo Sim, a então presidenta da Òmnium deixou o cargo, sucedendo-a Quim Torra [5] até a assembleia celebrada o 19 de dezembro de 2015, momento em que foi eleito presidente Jordi Cuixart. [6]

A 16 de outubro de 2017 a juíza da Audiência Nacional (Espanha) Carmen Lamela decretou prisão incondicional para Jordi Cuixart no seguimento da Operação Anubis.[7] Também ordenou prisão por Jordi Sànchez, presidente do ANC. A justiça acusa a Òmnium e a ANC de convocar a concentração de 20 de setembro em frente ao Departamento de Economia, acusando-os de dificultar o trabalho da Guarda Civil (Espanha). Desde então, várias organizações incluindo a Amnistia Internacional, Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, PEN club, a Organização Mundial Contra a Tortura, Frente Line Defenders e a International Association of Democratic Lawyers pediram a sua libertação.[8][9][10][11][12]

Desde a detenção de Cuixart, a figura pública mais importante da entidade foi o porta-voz Marcel Mauri. [13]

A 15 de março do 2018 a Guarda Civil (Espanha) selou a sede da entidade cultural durante todo o dia,[14] levando documentação de contabilidade dos anos 2016-2018 e cópia em CD; três telefones móveis, um dos quais pessoal; quatro discos duros e requisitaram o correio de quatro trabalhadores. Ao todo, 10 gigas de documentação e 320 gigas de imagens do banco gráfico.[15]

Número de sócios[editar | editar código-fonte]

Ano Sócios
2008 19.000
2009 20.000
2010 23.000
2011 27.000
2012 31.791
2013 37.289
2015 54.452
2016 62.573
2017 95.359 [16]
2018 131.494

Âmbitos de trabalho e actividade[editar | editar código-fonte]

Lume do Canigó em Barcelona.

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • Noite literária de Santa Lúcia — a Festa das Letras Catalãs na qual se entregam alguns dos prémios mais prestigiosos das letras catalãs. Celebra-se de forma itinerante e é transmitido ao vivo pela cadeia de televisão TV3. Nos dias anteriores organizam-se diversas atividades na cidade que acolhe a festa.
  • Prémio de Honra das Letras Catalãs — O projeto quer prestigiar os grandes referentes da cultura catalã e dar a conhecer a sua obra. A princípios de junho celebra-se o ato de entrega no Palácio da Música Catalã.
  • A Lança de Sant Jordi — Na festa de Sant Jordi a Òmnium sai à rua de muitas cidades com várias atividades, impulsionando nos dias anteriores uma campanha na Internet para dar a conhecer as novidades editoriais em catalão e fomentar o consumo. Encerra com uma festa do mundo literário e editorial.
  • A chama do Canigó — Esta festa da chama e dos fogos de artifício de São João é uma forma de coesão e construção coletiva muito difundida por todos os territórios de Língua catalã. Organiza-se o acesso ao Canigó e dá-se apoio às equipas do fogo de por todos os lados do país. Também organiza o ato de receção no Parlamento da Catalunha e na praça de Sant Jaume de Barcelona.
  • Calendário de Tradições e Costumes — Calendário ilustrado com as festas tradicionais mais relevantes dos Países Catalães, e dar a conhecer os costumes e elementos gastronómicos mais importantes.
  • Outras atividades — Durante todo o ano a Sede Nacional e as regionais acolhem conferências, mesas redondas, ciclos culturais e apresentações.

Língua e educação[editar | editar código-fonte]

  • El Tinter de les Lletres Catalanes — Quer fomentar o uso do catalão escrito nos centros educativos e estimular a criatividade das crianças e jovens. Agrupa o Prémio Sambori Òmnium de narrativa e o Prémio Pissiganya de poesia.
  • Observatório da Língua Catalã — Formado pela Òmnium e Plataforma pela Língua, o Observatório encarrega o centro CRUSCAT do Instituto de Estudos Catalães o Relatório sobre a situação da língua catalã e organiza apresentações sobre a Língua catalã.
  • Somos Escola — Plataforma formada por entidades cívicas e educativas em defesa do modelo de escola catalã de forma a coordenar respostas aos ataques perpetuados contra o modelo de imersão linguística em uso desde os anos 80. Atividades de mobilização diversas.

Coesão social[editar | editar código-fonte]

Vários projetos de coesão:

  • A toda voz é um programa que consiste numa leitura pública de poesia que se faz nas datas próximas aos festejos de Sant Jordi. Fazem-se duplas de pessoas, uma tem como língua própria o catalão e a outra uma língua diferente, e leem em público poemas na língua original e a tradução em catalão. É uma atividade aberta a todos os que queiram participar E cada ano gira à volta de um eixo temático.
  • Arrelarreu - Trabalho entre centros educativos e bibliotecas para fomentar o vínculo a partir de contos populares de várias tradições).

País[editar | editar código-fonte]

  • Festa pela Liberdade — e outras atos centrais ao Dia Nacional da Catalunha, a 11 de setembro. Realizam-se atos por toda a Catalunha e em Barcelona a Festa pela Liberdade.
  • Internacionalização — Ações comunicativas, de divulgação e diplomacia cívica para dar a conhecer o processo catalão ao mundo e procurar complicidades e apoios. Algumas das campanhas já feitas são: "Catalans want to vote", "What do you know about Catalan culture?", "What's going on in Catalonia?"
  • Campanhas de mobilização — Diversas campanhas e atos destinados a difundir o direito a decidir e a independência de Catalunha. Algumas ações dos últimos anos: Campanha Um país normal, Concerto pela Liberdade, campanha Agora é a hora (juntamente com a Assembleia Nacional Catalã), Amanhã podes ser tu.[17]

Sedes[editar | editar código-fonte]

A sede nacional da Òmnium está situada na rua Diputació de Barcelona. Mas a entidade conta ainda com 40 sedes regionais repartidas por toda a Catalunha.

Além destas, a Òmnium tem presença na Catalunha do Norte e Alghero:

  • Òmnium Cultural Catalunha Norte - é uma entidade que atua no Rosselló, com sede em Perpinhã, e que se fundou no ano 1987.
  • Òmnium Cultural Alguer- é uma entidade constituída na cidade da Sardenha em 1991, e mantém uma estreita relação com Òmnium Cultural. Entre os seus fundadores encontramos Francesc Manunta, Antoni Soggiu, Carmela Frulio e outros que dão apoio às atividades linguísticas a favor do catalão. Faz parte do Observatório da Língua Catalã.

Lista de presidentes[editar | editar código-fonte]

# Nome Início mandato Fim do mandato Refs
1 Fèlix Millet i Maristany 11 de julho de 1961 1968
2 Paz Riera i Sala 1968 1 de abril de 1978 [18]
3 Joan Vallvé e Cruzes 1 de abril de 1978 28 de fevereiro de 1984 [19]
4 Joan Carreras i Martí 28 de fevereiro de 1984 20 de março de 1986
5 Josep Millàs i Estany 20 de março de 1986 2 de abril de 2002 [20]
6 Miquel Bês i Calzadilla (interino) 2 de abril de 2002 18 de novembro de 2002
7 Jordi Porta i Ribalta 18 de novembro de 2002 20 de março de 2010 [21]
8 Muriel Casals i Couturier 20 de março de 2010 21 de julho de 2015 [22]
9 Quim Torra (interino) 21 de julho de 2015 19 de dezembro de 2015
10 Jordi Cuixart 19 de dezembro de 2015 No cargo [23]


Prémios e reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Em 1984 a Generalidade da Catalunha se concedeu-lhe a Creu de Sant Jordi e em 2012, a Medalha de Ouro da Generalidade da Catalunha, um galardão que compartilhou com a Cáritas;[24] e o Prémio Nacional de Projeção Social da Língua Catalã.

Fundo documental[editar | editar código-fonte]

A 18 de abril de 2007, a Òmnium Cultural cedeu o seu fundo documental ao Arquivo Nacional de Catalunha, tal como estabelece o contrato que assinaram o então presidente da entidade, Jordi Porta, e o Conselheiro de Cultura, Joan Manuel Tresserras. O fundo, que inclui o período 1961-1990, é considerado um dos mais importantes para documentar o ativismo da sociedade civil catalã em defesa da língua e da sua cultura durante os últimos anos do franquismo, a Transição Espanhola e o início da democracia. Trata-se da documentação da entidade cultural, com conteúdos fundamentais para o estudo da defesa da língua e cultura catalãs e da resistência contra o regime. No acervo encontra-se a documentação de Secretaria (órgãos diretores, relatórios jurídicos, delegações territoriais, relações com outras entidades); concessão de bolsas e ajudas; cursos de história da Catalunha; edição de livros e audiovisuais; prémios (Festas de Santa Llúcia, Baldiri Reixach, Prémio de Honra das Letras Catalãs); documentação de Fèlix Millet e de outros membros de Òmnium Cultural; contabilidade; e arquivo visual e sonoro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Òmnium Cultural | enciclopèdia.cat». www.enciclopedia.cat. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  2. «Presentació». Òmnium Cultural (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  3. Llansana, Marina. «Silenciar les entitats - 19 febrer 2017». El Punt Avui (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  4. FARRÀS, Andreu (2001). L'oasi català. Barcelona: Editorial Planeta. pp. 266–268 
  5. «Òmnium escull Quim Torra com a president en substitució de Muriel Casals». Ara.cat (em catalão). 21 de julho de 2015. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  6. 324cat (19 de dezembro de 2015). «Òmnium Cultural proclama Jordi Cuixart nou president de l'entitat i renova la direcció». CCMA (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  7. «L'Audiència decreta presó sense fiança per a Sànchez i Cuixart». Ara.cat (em catalão). 17 de outubro de 2017. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  8. «Document». www.amnesty.org (em inglês). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  9. «OHCHR | High Commissioner's global update of human rights concerns». www.ohchr.org. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  10. International, P. E. N. (8 de agosto de 2018). «Statement following PEN International's visit to». PEN International (em inglês). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  11. «Spain: Open Letter: End the arbitrary pre-trial detention of social leader Mr. Jordi Cuixart / November 22, 2018 / Urgent Interventions / Monitoring protection mechanisms / OMCT». www.omct.org. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  12. «IADL calls for release of Catalan political prisoners». International Association of Democratic Lawyers (em inglês). 3 de dezembro de 2018. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  13. «El portaveu d'Òmnium Cultural, Marcel Mauri, fa una crida a la mobilització dissabte per exigir la llibertat de Jordi Cuixart i Jordi Sànchez». Òmnium Cultural (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  14. «Òmnium ha pagado con cuotas de los socios el 85% de sus gastos durante el 'procés'». eldiario.es (em espanhol). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  15. 324cat (15 de março de 2018). «12 hores de registre a Òmnium en una operació de la Guàrdia Civil per l'1-O». CCMA (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  16. «Òmnium suma 14.000 socis nous i l'ANC 4.500 des de l'octubre». ElNacional.cat. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  17. «"Demà pots ser tu": la campanya d'Òmnium i diverses entitats per denunciar "la repressió" de l'Estat». Ara.cat (em catalão). 5 de abril de 2018. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  18. «Edición del domingo, 02 abril 1978, página 23 - Hemeroteca - Lavanguardia.es». hemeroteca.lavanguardia.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  19. «Edición del miércoles, 29 febrero 1984, página 25 - Hemeroteca - Lavanguardia.es». hemeroteca.lavanguardia.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  20. «Edición del viernes, 21 marzo 1986, página 43 - Hemeroteca - Lavanguardia.es». hemeroteca.lavanguardia.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  21. «Edición del lunes, 18 noviembre 2002, página 39 - Hemeroteca - Lavanguardia.es». hemeroteca.lavanguardia.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  22. «Edición del domingo, 21 marzo 2010, página 52 - Hemeroteca - Lavanguardia.es». hemeroteca.lavanguardia.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  23. «Jordi Cuixart és proclamat nou president d'Òmnium». Òmnium Cultural (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  24. 324cat (17 de julho de 2012). «Òmnium i Càritas, distingides amb les Medalles d'Or del Parlament». CCMA (em catalão). Consultado em 11 de fevereiro de 2019