1080° Snowboarding

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1080° Snowboarding
Capa norte-americana
Desenvolvedora(s) Nintendo Entertainment Analysis & Development
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Masamichi Abe
Mitsuhiro Takano
Produtor(es) Shigeru Miyamoto
Programador(es) Giles Goddard
Colin Reed
Artista(s) Yoshitaka Nishikawa
Compositor(es) Kenta Nagata
Plataforma(s) Nintendo 64
Lançamento
  • JP 28 de fevereiro de 1998
  • AN 1 de abril de 1998
  • PAL 30 de novembro de 1998
Gênero(s) Corrida
Modos de jogo Um jogador
multijogador
1080° Avalanche

1080° Snowboarding (テン・エイティ スノーボーディング Ten Eiti Sunōbōdingu?) é um jogo eletrônico de snowboarding desenvolvido pela Nintendo Entertainment Analysis & Development e publicado pela Nintendo em 1998. No jogo, o jogador controla um dos cinco snowboarders jogáveis a partir de uma perspectiva em terceira-pessoa, usando uma combinação de botões para pular e realizar manobras através de oito estágios e seis modos de jogo diferentes.

1080° foi anunciado em 21 de novembro de 1997 e desenvolvido durante nove meses. Em geral, obteve aclamação da crítica, ganhando o prêmio Interactive Achievement Award da Academy of Interactive Arts and Sciences. 1080° vendeu mais de um milhão de unidades e obteve uma sequência, 1080° Avalanche, que foi lançada em 28 de novembro de 2003 para o Nintendo GameCube. O jogo original foi relançado para o Virtual Console do Wii cinco anos depois.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Captura de tela do modo match race em 1080° Snowboarding.

O jogador controla um snowboarder em um de seis modos: existem dois modos de manobra (trick attack e contest),[1] três modos de corrida (race, time attack, e multijogador),[2] um modo de treino, e um modo de opções.[3] O objetivo do jogo é chegar rapidamente na linha de chegada ou receber o maior número de pontos por combinações de manobras.[4]

Nos modos de manobra, os jogadores acumulam pontos por completar as manobras. O modo trick attack exige que os jogadores realizem uma série de manobras através de um determinado estágio. Já no modo contest, os jogadores realizam manobras e deslizam sobre bandeiras para ganharem pontos. O jogo apresenta 25 manobras; cada uma delas é realizada ao usar uma combinação das posições circulares do analógico do controle, o botão R, o botão Z e o botão B; os pontos são calculados com base na complexidade e duração da manobra.[5] Os dois tipos de manobras são as manobras grab, em que a prancha é agarrada de uma maneira específica, ou manobras spin, na qual o snowboarder gira a prancha em um certo número de graus.[4] Para ser efetuado o giro de 1080 graus, são necessárias nove ações, mais do qualquer outra manobra no jogo.[6]

1080° tem três modos de corrida; nestes modos, a vitória pode ser alcançada ao tomar rotas alternativas ao longo do percurso e balançando o snowboarder após um pulo para evitar a perda de velocidade. Manobras são pontuadas nos modos de corrida, mas não contam nada para a vitória.[7] No modo match race, o jogador compete em uma série de corridas contra snowboarders controlados pela inteligência artificial (IA).[8] O jogo cronometra o jogador durante todo o estágio e os jogadores recebem um medidor de danos que se enche quando os snowboarders caem ou são derrubados. O nível de dificuldade nas partidas de corrida podem ser configuradas para fácil, médio ou difícil, ajustando a complexidade e o número de corridas. Se o jogador falhar ao tentar derrotar o competitor IA, ele deverá se retirar. O jogador tem três chances de vencer o computador antes que o jogo acabe.[7][9]

Os jogadores devem inicialmente escolher entre um dos cinco personagens: dois do Japão, um do Canadá, um dos Estados Unidos ou um do Reino Unido. Cada snowboarder tem habilidades diferentes e é adequado para diferentes estágios e modos, possuindo estatísticas em campos como técnica, velocidade, e peso.[10][11] Três snowboarders adicionais são desbloqueados ao completar certos estágios e modos do jogo.[11] Oito pranchas estão inicialmente disponíveis para cada personagem, e uma prancha adicional que pode ser desbloqueada mais tarde no jogo. Cada prancha também se destaca em diferentes situações, assim que cada um possui diferentes forças em categorias como balanço e controle de margem.[11]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

1080° foi programado pelos ingleses Giles Goddard e Colin Reed, desenvolvido pela Nintendo Entertainment Analysis & Development e publicado pela Nintendo, e produzido por Shigeru Miyamoto.[12] Goddard e Reed haviam anteriormente programado Wave Race 64.[13]

Enquanto desenvolviam 1080°, Goddard e Reed usaram uma técnica chamada "skinning" para eliminar as juntas entre os polígonos que compunham os personagens. Sua programação usou uma combinação de animação padrão e cinemática inversa, fazendo com que os personagens mudassem sua aparência durante colisões com base no que o personagem colidiu, em que direção colidiu, e em que velocidade ele estava quando ocorreu a colisão.[14] As roupas de Tommy Hilfiger e as pranchas de Lamar aparecem durante todo o jogo como um marketing incorporado.[15] A trilha sonora de 1080°, com "batidas de techno e rappy" e "vocais desprezíveis e desalinhadas" foi composta por Kenta Nagata,[4][12] que também compôs músicas para Mario Kart 64.[16]

O desenvolvimento de 1080° realizou-se de abril ou maio de 1997 até março de 1998.[14] O lançamento de 1080° foi anunciado em 21 de novembro de 1997 na feira de exposição da Nintendo Space World; até então, o título do jogo era Vertical Edge Snowboarding.[17] Antes do jogo ser lançado, jornalistas puderam jogar 1080° na Nintendo Gamer's Summit de janeiro de 1998.[18] O jogo foi lançado em 28 de fevereiro do mesmo ano no Japão[19] e em 1 de abril na América do Norte. A Nintendo atrasou o lançamento do jogo na Europa com a esperança de turbinar as vendas com o lançamento marcado para o inverno;[20] sendo finalmente lançado em 30 de novembro de 1998 no continente e nas regiões PAL.[21]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 
Resenha crítica
Publicação Nota
Allgame 4.5 de 5 estrelas.[5]
Computer and Video Games 9.2[22]
Edge 8/10[23]
Game Informer 9.25/10[24]
Game Revolution B+[7]
Gamebits 8.2/10[25]
GamePro 5 de 5 estrelas.[26]
GameSpot 8.6/10[21]
Gaming Target 8.4/10[27]
IGN 8.6/10[4]
Pontuação global
Publicação Nota média
GameRankings 89,6%[27]
Metacritic 88/100[28]
MobyGames 89/100[29]
Premiações
Premiador Prêmio
Academy of Interactive Arts & Sciences Jogo de Esportes para Console do Ano[30]

Em geral, 1080° foi bem recebido pelos críticos. No Metacritic, atingiu uma pontuação média de 88/100 com base em 14 análises feitas até 2008, indicando "críticas geralmente favoráveis".[28] Em outros mediadores, o jogo atingiu 89,6% no Game Rankings[27] e 89/100 no MobyGames.[29] Foi chamado de "um dos jogos mais estimados em ambos os gêneros de corrida e esporte" pela GameSpot.[21] 1080° manteve-se como líder entre os títulos de snowboard no momento, sendo "tão bom [...] que levou anos até que a gigante produtora Electronic Arts entrar com um título sólido na competição, em um console bem mais poderoso", na forma da série SSX.[31] A revista Edge elogiou-o dizendo que é o jogo eletrônico "mais convincente de experência numa prancha de snowboard até agora", com uma "atmosfera de sobriedade", ao contrário de qualquer outro jogo da Nintendo até então.[23]

De acordo com alguns críticos, os gráficos do jogo possíam a melhor qualidade que o Nintendo 64 suportava até o momento.[23][22] Os críticos geralmente elogiaram os aspectos gráficos do jogo como pureza, detalhe, suavidade, e a falta de falhas de polígonos.[21][25] Mais especificamente, críticos elogiaram o uso da câmera, o modelo físico "bem sólido",[21] a impressão de velocidade dos corredores, e os efeitos de neve no jogo, como o reflexo do sol na neve quando apropriado, a maciez da neve e a neve acumulada aparecendo e se comportando diferentemente dependendo da ocasião.[4][25] Erros gráficos apontados pelos críticos incluem "puxadas" rápidas, sombras mal-posicionadas, e travamento quando os corredores passavam através de pistas com árvores;[4] apesar de serem geralmente colocados como problemas menores.[21]

Apesar de escrever uma análise positiva, a Edge achou falhas na IA do jogo; eles afirmaram que 1080° sofre de "trapaça" para com os oponentes controlados pela CPU.[23] Eles criticaram a simplicidade e a habilidade da IA de rapidamente se aproximar do jogador perto do fim da corrida; eles também notaram que a IA tomava um "uma rota sempre predeterminada", dando a possibilidade ao jogador de saber quando a IA iria cair, "oferecendo uma oportunidade de ultrapassá-lo [o computador], mas transmitindo pouca satisfação com isso."[23] A revista também declarou que o atraso da versão PAL "é francamente ridícula". Eles acreditavam que, devido à crise de lançamentos dignos da Nintendo, "qualquer título de qualidade provavelmente ficaria no topo de vendas com pouca dificuldade."[32]

A Allgame considerou que o esquema de controle de 1080°, que exige um "alta técnica", é uma dos pontos fortes do jogo, depois da dificuldade inicial.[5] A Computer and Video Games analisou positivamente o esquema de controle, mas discordou de sua dificuldade, notando que "os controles foram tão brilhantemente implementados que você é capaz de jogar perfeitamente bem com apenas um mão no analógico e no botão Z."[22] A GameSpot chamou os controles do jogo de "completamente envolventes" e disse que "o movimento do agachamento — que torna as curvas super apertadas — faz isso ficar divertido de se jogar".[21] A música também foi geralmente elogiada; a IGN chamou-a de "um brilhante exemplo de o que pode ser alcançado no formato"[4] e a Allgame chamou-a de "uma das melhores trilhas sonoras do N64 até então."[5] Os efeitos sonoros de 1080° também foram elogiados.[5][25] Apesar disso, a Gamebits criticou a trilha sonora como "mínima" e insuficiente".[25]

Em uma análise retrospectiva da Official Nintendo Magazine em 2006, Steve Jaratt comentou que 1080° "ostentou a melhor representação de jogo eletrônico de neve" e complementou com sons "ruidosos". Comentários positivos também foram feitos sobre o manuseio e a qualidade do modo multijogador. Comentários positivos também foram feitos sobre a qualidade do multijogador. Em suma, Jarratt acreditou que "este é um snowboarder direto, de acrobacias livres, rápido e divertido."[33]

1080° Snowboarding é um dos títulos contidos no livro 1001 Video Games You Must Play Before You Die (tradução livre: "1001 jogos eletrônicos que você precisa jogar antes de morrer") de 2010.[34][35]

Legado[editar | editar código-fonte]

A PC Data, que calculou as vendas nos Estados Unidos, relatou que 1080° Snowboarding vendeu 817.529 unidades e gerou 40,9 milhões de dólares em receitas no final de 1998. Isso o tornou o sétimo lançamento do Nintendo 64 mais vendido do ano no país.[36] Por fim, 1080° vendeu 1,23 milhão de unidades nos Estados Unidos,[37] e mais de 23 mil no Japão.[38] Em 1999, ganhou o prêmio de Jogo de Esportes para Console do Ano na Academy of Interactive Arts & Sciences.[30] Uma sequência de 1080° Snowboarding, 1080° Avalanche, foi lançada para o Nintendo GameCube em 2003.[39][40] 1080° Snowboarding foi relançado para o serviço Virtual Console do Wii em 28 de janeiro de 2008 na América do Norte.[41] Wave Race: Blue Storm apresentou personagens de 1080°.[42] Um dos snowboarders de 1080°, Kensuke Kimachi, apareceu comoum troféu no jogo Super Smash Bros. Melee.[43] A música de fundo do estágio Golden Forest está presente em Super Smash Bros. Brawl.[44]

Referências

  1. Nintendo 1998, p. 15–16.
  2. Nintendo 1998, p. 12–15, 17.
  3. Nintendo 1998, p. 4–6.
  4. a b c d e f g Casamassina, Matt (2 de abril de 1998). «1080° Snowboarding». IGN. Consultado em 17 de abril de 2007 
  5. a b c d e Sackenheim, Shawn. «1080° Snowboarding». Allgame. Consultado em 17 de abril de 2007. Arquivado do original em 2 de janeiro de 2010 
  6. Cartão de operação para 1080° Snowboarding. Nintendo Co., Ltd. 1998.
  7. a b c Dr_Moo. «1080 Snowboarding - N64». Game Revolution. Consultado em 21 de agosto de 2010. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  8. Nintendo 1998, p. 12.
  9. Nintendo 1998, p. 12–13.
  10. «1080 Snowboarding (n64)». G4. 20 de abril de 1999. Consultado em 14 de maio de 2007. Arquivado do original em 29 de setembro de 2007 
  11. a b c «1080° Snowboarding». Prima Games. 9 de dezembro de 1999. Consultado em 6 de março de 2007. Arquivado do original em 3 de março de 2006 
  12. a b Nintendo Entertainment Analysis & Development (1 de abril de 1998). 1080° Snowboarding. Nintendo of America, Inc. Cena: Créditos do jogo 
  13. «1080 Snowboarding». Rotten Tomatoes. Arquivado do original em 1 de outubro de 2007 
  14. a b IGN Staff (19 de março de 1998). «1080 Snowboarding Interview». IGN. Consultado em 20 de abril de 2007 
  15. «1080 Snowboarding (N64)». GameSpy. Consultado em 15 de maio de 2007. Arquivado do original em 16 de outubro de 2007 
  16. «Mario Kart 64 Tech Info». GameSpot. Consultado em 16 de maio de 2007. Arquivado do original em 30 de setembro de 2007 
  17. IGN Staff (21 de novembro de 1997). «Head for the Slopes». IGN. Consultado em 15 de maio de 2007 
  18. IGN Staff (30 de janeiro de 1998). «1080 Shreds the Competition». IGN. Consultado em 15 de maio de 2007 
  19. «Website oficial». Nintendo (em japonês). Consultado em 3 de outubro de 2020. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 1999 
  20. IGN Staff (26 de março de 1998). «1080 Delayed in Europe». IGN. Consultado em 15 de maio de 2007 
  21. a b c d e f g Smith, Josh (25 de maio de 1998). «1080:TenEighty Snowboarding». GameSpot. Consultado em 17 de abril de 2007 
  22. a b c Constantides, Alex (15 de agosto de 2001). «1080 Snowboarding». Computer and Video Games. Consultado em 26 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 1 de dezembro de 2006 
  23. a b c d e «1080° Snowboarding». Edge 57 ed. Future Publishing. Abril de 1998. pp. 86–88 
  24. Reiner, Andrew. «1080: Avalanche». Game Informer. Consultado em 16 de maio de 2007. Arquivado do original em 14 de dezembro de 2007 
  25. a b c d e Gagne, Ken (11 de maio de 1998). «1080 SNOWBOARDING». Gamebits. Consultado em 17 de abril de 2007 
  26. AIRHENDRIX (23 de abril de 2004). «Review: 1080 Snowboarding». GamePro. Consultado em 20 de maio de 2007. Arquivado do original em 9 de fevereiro de 2009 
  27. a b c «1080 Snowboarding». Game Rankings. Consultado em 3 de outubro de 2020. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2019 
  28. a b «1080° Snowboarding». Metacritic. Arquivado do original em 28 de outubro de 2008 
  29. a b «"1080° Snowboarding for Nintendo 64 (1998)"». MobyGames. Blue Flame Labs. Consultado em 13 de agosto de 2015 
  30. a b «Console Sports Game of the Year». Academy of Interactive Arts & Sciences. Consultado em 23 de abril de 2007. Arquivado do original em 7 de março de 2008 
  31. Casamassina, Matt (1 de dezembro de 2003). «1080: Avalanche». IGN. Consultado em 16 de maio de 2007 
  32. «1080° Snowboarding». Edge 62 ed. Future Publishing. Setembro de 1998. 96 páginas 
  33. Jarratt, Steve (Maio de 2006). «What do you mean, you've never played 1080° Snowboarding». Official Nintendo Magazine 
  34. «1001 Video Games You Must Play Before You Die». listology.com. Consultado em 20 de setembro de 2012. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  35. Mott, Tony (2010). 1001 Video Games You Must Play Before You Die (em inglês). Londres: Quintessence Editions Ltd. ISBN 978-1844036813 
  36. «High Scores: Top Titles in the Game Industry». Feed Magazine. 22 de abril de 1999. Arquivado do original em 8 de maio de 1999 
  37. «US Platinum Videogame Chart». The Magic Box. Consultado em 17 de abril de 2007 
  38. «Nintendo 64 Japanese Ranking». Japan Game Charts. Consultado em 13 de novembro de 2007. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2008 
  39. «1080° Avalanche». Metacritic. Consultado em 3 de outubro de 2020 
  40. Kasavin, Greg (3 de dezembro de 2003). «1080 Avalanche». GameSpot. Consultado em 17 de abril de 2007 
  41. «"1080° Snowboarding" é única novidade de Virtual Console». Universo Online. 28 de janeiro de 2008. Consultado em 3 de outubro de 2020 
  42. Schneider, Peer. «Wave Race: Blue Storm Characters». IGN. Consultado em 3 de junho de 2007 
  43. «Text List». Super Smash Bros. Arena (Gamespy). Consultado em 21 de agosto de 2010. Arquivado do original em 16 de março de 2008 
  44. «Full Song List with Secret Songs - Smash Bros. Brawl Stage». SmashBros.com. Consultado em 13 de agosto de 2015 
Bibliografia
  • Manual de instruções de 1080° Snowboarding. Japão: Nintendo. 1998 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]