Una su 13

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de 12+1)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Una su 13
Cartaz da versão francesa
 Itália  França
1969 •  cor •  94 min 
Direção Nicolas Gessner
Luciano Lucignani
Roteiro Antonio Altoviti, Marc Behm, Nicolas Gessner
Baseado em Двенадцать стульев, de
Ilya Ilf and Yevgeni Petrov
Elenco Sharon Tate
Vittorio Gassman
Orson Welles
Género comédia
Idioma inglês

Una su 13, também conhecido como 12 + 1, é um filme franco-italiano de 1969, do gênero comédia, dirigido por Nicolas Gessner e Luciano Lucignani, com roteiro baseado em livro dos escritores soviéticos Ilya Ilf and Yevgeni Petrov.

Falado em inglês, foi o último filme de Sharon Tate antes de ser assassinada pela Família Manson em agosto de 1969.[1] O filme foi lançado postumanente na Itália em outubro de 1969 e seu lançamento nos Estados Unidos só ocorreu em maio de 1970, quase um ano após a morte da atriz, onde recebeu o nome de The Thirteen Chairs.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Mario Beretti (Gassman) é um jovem barbeiro nova-iorquino ítalo-americano namorador, que recebe de herança treze cadeiras velhas de uma tia na Inglaterra e resolve vendê-las para conseguir algum dinheiro. Depois da venda, ele fica sabendo que uma das cadeiras contém em seu forro jóias extremamente valiosas. Desesperado, ele começa uma aventura para encontrar as cadeiras e descobrir as jóias. Nesta jornada, que faz junto com uma negociante de artes encantadora, Pat (Tate), ele viaja de Londres a Roma e na aventura acaba conhecendo personagens estranhos que pretendem ajudá-lo ou enganá-lo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Una su 13 foi gravado entre fevereiro e abril de 1969. Tate estava nos primeiros meses de gravidez e como algumas das cenas eram com sua personagem seminua, estas foram as primeiras filmadas. À medida que as filmagens e sua gravidez progrediam, o diretor tampava a barriga dela com grandes bolsas e cachecóis.

Por causa de sua morte, quando ele foi lançado postumamente Tate recebeu top-billing dos produtores como artista principal - que é Vittorio Gassman - com seu nome em primeiro lugar entre os créditos, no filme, nas cópias posteriores em VHS, nos cartazes e nas marquises dos cinemas. Além disso, em outros de seus filmes, relançados depois de sua morte, como O Vale das Bonecas, ela também foi creditada como atriz principal.

Refilmagens[editar | editar código-fonte]

Entre as várias versões cinematográficas que o livro de Ilf & Petrov teve, incluindo a de Mel Brooks, Banzé na Rússia (1970), uma delas foi a brasileira Treze Cadeiras (1957), com Oscarito no papel principal.[2]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. «Sharon Marie Tate». FindAGrave. Consultado em 1 de julho de 2012. 
  2. «Oscarito». cinemabrasileiro.net. Consultado em 1 de julho de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme do cinema italiano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.