25 de Dezembro (álbum)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
25 de Dezembro
Álbum de estúdio de Simone
Lançamento 1995
Gênero(s) Natalino
Duração 40:46
Idioma(s) Português
Espanhol
Formato(s) LP, K7, CD
Gravadora(s) PolyGram
Cronologia de Simone
Simone Bittencourt de Oliveira
(1995)
Café com Leite
(1996)

25 de Dezembro é um álbum de estúdio lançado em 1995 pela cantora brasileira Simone, sob o selo da gravadora PolyGram.

O disco apresenta exclusivamente canções cristãs e com temática natalina, inaugurando um segmento até então inexistente na indústria fonográfica nacional.

O álbum tornou-se um êxito comercial no Brasil, ultrapassando a marca de 1 milhão de cópias vendias.

Produção e lançamento[editar | editar código-fonte]

Após sua saída da gravadora EMI Odeon a cantora Simone foi contratada pela CBS, atual Sony Music.[1] Durante sua estadia na gravadora a artista afirmou que foi sabotada por diversos membros da direção da empresa, sobretudo na divulgação e promoção do seu último disco lançado intitulado Simone Bittencourt de Oliveira.[1]

Em entrevista a cantora afirmou: "Quando fiz meu último disco na Sony em 1995, começaram a dizer dentro da gravadora que eu estava acabada. Fazia um show lindo dirigido pelo José Possi Neto, divulgava meu trabalho e a direção da Sony dando contra o tempo inteiro. A cada disco, eu oferecia uma música de trabalho. A gravadora pegava outra qualquer. O processo de vendagem e execução do disco, de agendar entrevistas e programas de tevê é obrigação da gravadora. E eles me sabotavam. Foi quando comecei a produzir em 1995 na surdina o 25 de Dezembro e fechei com a PolyGram".[1]

A decisão de gravar um disco de canções natalinas partiu da própria cantora, ao viajar para os Estados Unidos, e entrar numa loja de discos e se ver rodeada de álbuns com temática natalina.[2]

Com uma produção musical orquestral com pompa e ostentação, o disco 25 de Dezembro trouxe standards natalinos, tais como: "Sino de Belém" (versão de "Jingle Bells", de James Pierpont, 1857), "Natal das Crianças" (Blecaute, 1955), "O Velhinho" (Otávio Babo Filho, 1954), "Noite feliz" (versão em português da canção austríaca "Stille nacht", de Franz Gruber e Joseph Mohr, 1818) e "Natal Branco" ("White Christmas", Irving Berlin, 1942).[3]

Em relação a estratégias promocionais, não contou com uma turnê como era de costume na carreira da artista, ao invés disso a canção "Então é Natal" (versão em português de "Happy Xmas (War Is Over)", de John Lennon e Yoko Ono, 1971) fez parte da turnê de 1995 da cantora, tornando-se o ponto alto dos shows.[4]

A canção "Pensamentos" foi incluída na trilha sonora nacional da novela "Explode Coração", de Glória Perez, exibida entre 1995/1996 pela TV Globo. Na trama a canção foi tema da personagem "Eugênia", interpretada por Françoise Forton.[5]

Em 1998, o álbum foi relançado com uma faixa bônus: a canção "Ave Maria", com participação do coral Meninas Cantoras de Petrópolis.[6]

Recepção crítica e comercial[editar | editar código-fonte]

A revista Veja, edição de 1 de maio de 1996, publicou que durante uma festa de gala na sede da gravadora PolyGram, no Rio de Janeiro, em 15 de novembro de 1995, artista recebeu das mãos do presidente da companhia, Marcos Maynard, um disco de platina por 250 mil cópias distribuídas do disco.[7] Meses depois, o álbum já tinha vendido 1,1 milhão de cópias, número necessário para um disco de diamante.[7]

Até 2011, o trabalho vendeu mais de 1,2 milhões de cópias, segundo a revista Veja.[8] Sobre o sucesso do disco, a cantora comentou: "Foi algo muito inesperado. Sabíamos que havia uma carência de discos natalinos brasileiros, mas o sucesso foi muito maior do que poderíamos imaginar. Ainda hoje, esse disco renasce nesse período do ano".[4]

O êxito do disco não poupou a cantora de virar meme para as novas gerações. Tal fato foi relatado em uma entrevista ao apresentador e jornalista Pedro Bial: "Eu sofri bullying com 'Então é Natal' (...) A música tocou tanto que uma geração que não me conhecia, não conhecia a minha história, foi influenciada por pessoas que não queriam que acontecesse essa coisa boa que aconteceu comigo, porque há pessoas que têm raiva do sucesso do outro".[9]

Apesar das críticas, a cantora disse em entrevista a revista Época que sentia orgulho de ter lançado o disco.[10]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptados do site oficial.[11]

CD/LP/K7
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Então é Natal (Happy Xmas (War Is Over))"  
4:00
2. "Natal Branco (White Christmas)"   3:04
3. "Bate o Sino (Jingle Bells)"  Evaldo Rui 3:19
4. "Pensamentos"   4:40
5. "O Velhinho"  Otávio Filho 2:49
6. "Jesus Cristo"  
  • R. Carlos
  • E. Carlos
3:50
7. "Que maravilha viver... (What a Wonderful World)"  
4:00
8. "Natal das Crianças"  Blecaute 3:06
9. "Boas Festas" (part. Timbalada)Assis Valente 2:39
10. "Noite Feliz (Silent Night)"  
4:53
Duração total:
36:20
CD - Faixa bônus de relançamento
N.º TítuloCompositor(es) Duração
11. "Ave Maria" (part. Meninas Cantoras de Petrópolis) 4:26
Duração total:
40:46
Faixas de 25 de Diciembre

Créditos adaptados do site oficial.[12]

CD
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Llegó Navidad (Happy Xmas (War Is Over))"  
  • J. Lennon
  • Y. Ono
  • Versão: Graciella Carballo
4:00
2. "Blanca Navidad (White Christmas)"  
  • I. Berlin
  • Versão: M. Pinto
3:04
3. "Campanitas de Navidad (Jingle Bells)"  Domínio Público 3:19
4. "Pensamientos (Pensamentos)"  
  • R. Carlos
  • E. Carlos
4:40
5. "El Regreso (O Velhinho)"  
  • O. Filho
  • Versão: Karen Guindi
2:49
6. "Jesus Cristo"  
  • R. Carlos
  • E. Carlos
3:50
7. "¡Que bonito es vivir! (What a Wonderful World)"  
  • G.D. Weiss
  • B. Thiele
  • Versão: Camilo Murillo
4:00
8. "Navidad de Los Niños (Natal das Crianças)"  
  • Blecaute
  • Versão: K. Guindi
3:06
9. "Boas Festas" (part. Timbalada)
  • A. Valente
2:39
10. "Noche de Paz (Silent Night)"  
  • F. Gruber
  • J. Mohr
  • Versão: Domínio Público
4:53
Duração total:
36:20

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Tabelas anuais[editar | editar código-fonte]

Tabela musical (1995) Posição
Brasil (Nopem)[13] 42
Tabela musical (1996) Posição
Brasil (Nopem)[13] 6

Referências

  1. a b c Alves Jr., Dirceu (16 de agosto de 2004). «"Cheguei a duvidar do meu potencial"». IstoÉ Gente. Terra Networks. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2004 
  2. Antunes, Pedro (24 de dezembro de 2020). «'Então é Natal', de Simone, é a música mais injustiçada do Brasil». Splash. UOL HOST. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 24 de dezembro de 2020 
  3. Ferreira, Mauro (25 de dezembro de 2020). «Álbum de Natal de Simone, '25 de dezembro' faz 25 anos com méritos ofuscados por memes». G1. Globo.com. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 25 de dezembro de 2020 
  4. a b Trigueiro, Paulo. «Na casa de Simone, Então é Natal não tem vez». Curiosamente. Diário de Pernambuco. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2021 
  5. Xavier, Nilson. «Explode Coração». Teledramaturgia. Consultado em 24 de novembro de 2022 
  6. «25 de Dezembro - Simone». Discogs. Consultado em 15 de janeiro de 2021 
  7. a b Masson, Celso (1 de maio de 1996). «Disco banhado a ouro». Veja. Grupo Abril. p. 124 
  8. Zylberkan, Mariana (24 de dezembro de 2011). «A maldição dos discos natalinos». Veja. Grupo Abril. Consultado em 17 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 17 de março de 2020 
  9. Correa, Bárbara (16 de setembro de 2020). «Simone afirma que sofreu bullying por música "Então é Natal"». O Estado de S. Paulo. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2021 
  10. Astuto, Bruno (11 de novembro de 2015). «Simone fala dos memes de seu CD de natal: "Não dou atenção"». Época. Consultado em 24 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2016 
  11. «25 de Dezembro - Simone». Simone (Site oficial). Consultado em 15 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2020 
  12. «25 de Diciembre - Simone». Simone (Site oficial). Consultado em 15 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2020 
  13. a b Vicente, Eduardo. «Listagens Nopem 1965-1999». Academia.edu. Consultado em 13 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 13 de novembro de 2022