5.º Regimento de Carros de Combate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
5º Regimento de Carros de Combate
Entrada do Regimento
País  Brasil
Estado  Paraná
Corporação Exército Brasileiro
Subordinação 5ª Brigada de Cavalaria Blindada
Denominação Regimento Tenente Ary Rauen
Sigla 5º RCC
Criação 3 de abril de 1944
Patrono Tenente Ary Rauen
Lema "A força do aço e a fibra dos heróis"
Insígnias
Distintivo da OM
Símbolo do Regimento
Comando
Tenente-Coronel Jonas Nunes de Almeida Junior
Sede
Guarnição Rio Negro - PR
Endereço Avenida Deputado Ivan Ferreira do Amaral, s/nº, Bom Jesus. CEP 83880-000. Telefone: (47) 3642-7032
Internet 5rcc.rp@gmail.com

O 5º Regimento de Carros de Combate (5º RCC) é uma Organização Militar do Exército Brasileiro subordinada à 5ª Brigada de Cavalaria Blindada e estrategicamente posicionada na região sul do país, sendo aquartelado na cidade de Rio Negro, no Paraná. Tem como atividade-fim a Segurança Nacional, particularmente a defesa do território e a proteção de militares, civis e instalações patrimoniais presentes na área de atuação do Regimento.

História[editar | editar código-fonte]

O 5º Regimento de Carros de Combate foi criado pelo Decreto nº 6.400 em 3 de abril de 1944, com a denominação de 1º Regimento Motomecanizado. Seu primeiro comandante foi o Coronel Cyro Riopardense de Resende, tendo o Regimento se instalado em Santo Ângelo-RS, ocupando o antigo aquartelamento do 4º Regimento de Cavalaria Independente.

Em virtude da reestruturação ocorrida no Exército, no ano de 1946, o Regimento passou a denominar-se 1º Regimento de Cavalaria Mecanizado. Em maio de 1954, recebeu a denominação de 1º Regimento de Reconhecimento Mecanizado e, em 1971, a Unidade passou a denominar-se 5º Regimento de Carros de Combate, modificando sua natureza e organização. Transferida de Santo Ângelo para Rio Negro em 1973, a Unidade ocupou as instalações que abrigaram o 2º Batalhão Ferroviário (Batalhão Mauá) e o 3º Batalhão de Comunicações do Exército.[1]

Em 2005, o Regimento recebeu seu estandarte histórico e a denominação histórica de “Regimento Tenente Ary Rauen”, em homenagem ao ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira Ary Rauen, que tombou em combate durante o ataque à Montese, na Segunda Guerra Mundial.

Ao longo dos anos, várias viaturas foram empregadas no Regimento. Até a década de 70, utilizou-se a Viatura M3A1 Stuart. Em 1973, esta foi substituída pelo Carro de Combate M41, utilizado até o final da década de 90. Já em 1997, o Regimento recebeu os Carros de Combate M-60 A3 TTS, versão que pertence a geração dos blindados computadorizados, todos eles de origem norte-americana.

Em 2012, começou a receber as Viaturas Blindadas de Combate - Carro de Combate - (VBC-CC) Leopard 1A5 BR, da empresa alemã Kraus-Maffei Wegmann. Hoje, o 5º RCC conta com 54 VBC-CC Leopard 1A5 BR, além de uma Viatura Blindada Especial Socorro Bergepanzer e uma Viatura Blindada Especial Escola.[2]

Neste mesmo ano, foi iniciada a construção das novas instalações às margens da BR-116. Visando atender aos requisitos contratuais do Projeto Leopard, a nova estrutura do 5º RCC atende as principais demandas da tropa blindada.

No ano de 2016, o 5º Regimento de Carros de Combate foi condecorado com a Ordem do Mérito de Defesa[3], em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados às Forças Armadas do Brasil.

Subunidades[editar | editar código-fonte]

Atualmente o 5º RCC está organizado com um Estado-Maior, um Esquadrão de Comando e Apoio, quatro Esquadrões de Carros de Combate e um Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR).

Patrono[editar | editar código-fonte]

Ary Rauen nasceu em 20 de maio de 1922 na cidade de Papanduva - SC, que na época, era um distrito da cidade de Canoinhas. É filho de Alfredo Rauen e de Maria Werber Rauen. Seus pais trabalhavam com comércio, exploração de erva-mate, pecuária e lavoura. Morou na cidade de Mafra - SC de 1927 a 1934, onde estudou na escola paroquial "São José" e no antigo grupo escolar "Professor Luiz Eves". Concluiu o curso de formação de oficiais da reserva em 1942, classificando-se em primeiro lugar, sendo orador de sua turma e recebendo como prêmio a espada que hoje repousa no salão de honra do 5º Regimento de Carros de Combate e que todo ano é entregue, simbolicamente, ao primeiro colocado entre os aspirantes formados pelo Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva.

Foi convocado para integrar a Força Expedicionária Brasileira (FEB) no 11º Regimento de Infantaria (atual 11º Batalhão de Infantaria de Montanha) com sede em São João Del-Rei - MG. Participou, dentre várias outras, das campanhas de Monte Castello, Castelnuovo e Montese.

Sua atuação na Batalha de Monte Castello o fez reconhecido e respeitado por outros militares da Força Expedicionária Brasileira, incluindo o General Carlos de Meira Mattos[4]. Segundo o General, "o Tenente Ary Rauen era a mocidade em ação, era entusiasmo, energia e coragem. Todos nós confiávamos nele, estávamos certos de que, dentro de minutos, aquele reduto seria mais uma vitória das armas brasileiras, pois, face a ele e lutando contra ele, estava o Pelotão do Tenente Ary".[5]

Após o ataque a Monte Castello, em 11 de abril de 1945, chegou a ordem para o ataque a Montese, com a ofensiva tendo início em 14 de abril. O pelotão do Tenente Ary Rauen atacava pelo flanco direito e era detido por fogos de artilharia alemães. Fruto da ação inimiga, o Tenente Ary Rauen foi mortalmente atingido na cabeça[6]. Tombou dando sua última ordem ao sargento adjunto, que ele não parasse até que o objetivo fosse alcançado.

Em 2005, o 5º Regimento de Carros de Combate recebeu a denominação histórica "Regimento Tenente Ary Rauen", em homenagem a este ex-combatente.[7]

Seção de Instrução de Blindados[editar | editar código-fonte]

O emprego de simuladores tem trazido benefícios extraordinários e há unanimidade de opiniões quanto à sua capacidade de alavancar as capacidades dos recursos humanos em relação ao poder de combate, especialmente de tropa blindada. O simulador permite treinar as guarnições CC tanto em condições normais, quanto em situações extremas, que somente poderiam ser vivenciadas em combates reais. 

A simulação para adestramento da tropa no 5º RCC abrange os seguintes simuladores virtuais: Simulador de Procedimento de Torre (SPT), Simulador de Procedimento de Motorista (SPM), Treinador Sintético Portátil (TSP), Dispositivos de Simulação de Engajamento Tático (DSET) e Steel Beasts. O SPT é um equipamento que treina a guarnição CC, com exceção apenas do motorista. O SPM é o equipamento de simulação virtual destinado ao treinamento do motorista da VBC Leopard 1 A5. O TSP é um equipamento que permite simular uma guarnição de carros de combate com a particularidade de poder treinar cada militar na sua determinada função dentro da VBC Leopard 1 A5. O DSET tem a capacidade de simular, através de feixes de raios laser, a trajetória balística da munição e a confirmação do impacto. Este equipamento permite o treinamento com engajamento tanto de alvos estáticos, como em movimento, assim como o duelo entre blindados. Cabe ressaltar que este simulador é que proporciona a maior proximidade com a realidade. O Steel Beasts é um software de simulação virtual excelente no adestramento tático das guarnições de carros de combate, uma vez que permite integrar em um ambiente virtual sistemas de armas, carros de combate, aeronaves e diversos outros meios de emprego militar.

Novas Instalações[editar | editar código-fonte]

O Regimento passou a ocupar uma nova instalação, às margens da BR-116, dotada de uma moderna estrutura adequada ao emprego do sistema de armas Leopard 1A5 BR. O novo aquartelamento conta com uma estrutura de manutenção com oito boxes, sendo quatro para o chassi e quatro para torre, além de uma estrutura operacional e administrativa que otimizam o trabalho das subunidades.

Foi inaugurado no ano de 2016 o terceiro bloco de apartamentos do Residencial Araucária, melhorando as condições de moradia da família militar.

O projeto contempla, ainda, quadras poliesportivas, um ginásio coberto, um campo de futebol com pista de atletismo, pista de pentatlo militar e um novo Hotel de Trânsito para a guarnição.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. «Guia Riomafra». de 03 de abril de 2013 
  2. «Site de notícias "Forças Terrestre"». de 30 de outubro de 2009 
  3. Decreto do Ministério da Defesa de 7 de junho de 2016.
  4. «Click Riomafra -». 22 de novembro de 2012 
  5. BARROS, Dr. Aluizio de (1957). Expedicionários Sacrificados na Campanha da Itália. Rio de Janeiro: B. Buccini. 142 páginas 
  6. «Exército Brasileiro -». Apresentação sobre a FEB - 2012 
  7. «Boletim do Exército nº 16 -» (PDF). 22 de abril de 2005