7 Things

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"7 Things"
Single de Miley Cyrus
do álbum Breakout
Lançamento 17 de junho de 2008
Formato(s) CD, Download digital
Gravação 2008
Gênero(s) Pop punk
Duração 3:33
Gravadora(s) Hollywood Records
Composição Miley Cyrus, Antonina Armato, Tim James
Letrista(s) Miley Cyrus, Antonina Armato, Tim James
Produção John Fields
Informações sobre o vídeo musical
Gravação 30 de maio de 2008 em Los Angeles, Califórnia
Lançamento 2 de junho de 2008
28 de junho de 2008
27 de junho de 2008
Diretor(es) Brett Ratner
Cronologia de singles de Miley Cyrus
"Start All Over"
(2007)
"Fly on the Wall"
(2009)

"7 Things" é o primeiro single do álbum Breakout, da cantora Miley Cyrus. Foi lançado como single em maio de 2008. Miley desenvolveu a canção enquanto estava em turnê com a Best of Both Worlds Tour, ao sentir emoções numerosas por um ex-namorado que muitos alegavam ser o cantor Nick Jonas dos Jonas Brothers com quem namorou em 2008.

"7 Things" recebeu críticas mistas dos críticos, mas fez sucesso comercial em todo o mundo, tornando-se um hit top 100 nas paradas na Austrália, Japão, Noruega e Estados Unidos. O single foi certificado ouro pela Australian Recording Industry Association (ARIA), enquanto a sua aparição na Japan Hot 100 fez "7 Things" ser a primeira canção de Cyrus a se destacar em um país asiático. O clipe da canção foi dirigido por Brett Ratner e foi indicado ao MTV Video Music Awards em 2008 e 2009. Miley interpretou a canção nas turnês Wonder World Tour de 2009 e na Gipsy Heart Tour de 2011.

Descrição da canção[editar | editar código-fonte]

Foi escrito por Cyrus, Antonina Armato e Tim James, todos que também escreveram o hit de Miley, See You Again, e muitas outras músicas para o CD Hannah Montana 2: Meet Miley Cyrus. A canção é adorada por muitos jovens, pois fala dos namoros e desse tipo de coisas que os jovens discutem.

Na canção, Cyrus enumera sete coisas que ela odeia sobre um ex-namorado. Também descreve a dor de uma recente separação. Ela acusa o garoto de sentir coisas por outras garotas, escrito no verso "You love me, you like her". No final, ela enumera sete coisas que ela gosta sobre o ex-namorado.

Correm boatos de que a música foi escrita para Nick Jonas, devido á recente separação e o fato de Miley usar no videoclipe um colar dado por Nick com o símbolo da diabetes, doença da qual ele sofre.

De acordo com uma revisão, "7 Things" é pop punk em versos com um coro, resultando em um estranho, mas divertido híbrido de Natalie Imbruglia "Torn" e "Just A Girl" do No Doubt. Billboard descreveu que a canção combina o estilo de Avril Lavigne e com o do seu pai, Billy Ray Cyrus.

Em uma entrevista a uma rádio norte-americana, Miley já admitiu, chorando, que "7 Things" é realmente para o seu ex-namorado Nick Jonas. Mais recentemente, o próprio Nick disse que a música era para ele, depois de ter negado várias vezes.

Mesmo depois de várias declarações de amor e desapontamento, Nick e Miley (conhecidos popularmente como Niley) ele terminou com ela no Ano Novo.
Após várias especulações, o casal voltou a namorar, e o irmão de Nick Jonas, foi quem confirmou isso a imprensa.

Nick e Miley reataram 1 semana após do fim de seu namoro com o modelo Justin Gaston.

"7 Things" não é única música de Breakout sobre o Nick, a outra é Goodbye e também "Full Circle". Nick já escreveu e gravou com seus irmãos músicas sobre a Miley, como Sorry e "Can't Have You", do álbum A Little Bit Longer. Essa cançao é um grance sucesso.

Informação da Airplay[editar | editar código-fonte]

Vídeo Musical[editar | editar código-fonte]

Foi dirigido pelo diretor Brett Ratner, que recentemente dirigiu o clipe Touch My Body, da cantora Mariah Carey. Imagens promocionais foram lançadas no dia 2 de Junho de 2008. Foi lançado oficialmente no canal Disney Channel, no dia 28 de Junho de 2008 às 7:55 da noite.

O vídeo mistura ela mesma (Cyrus) e outras garotas de coração partido usando palavras da música para "atacar" os exs. (Uma dessas garotas é a atriz Nicola Peltz que fez uma breve aparição no clipe).

Hoje, o clipe passa de 206 milhões de visualizações. Sendo também o quarto videoclipe mais visto da história da carreira de Miley.

Desempenho nas paradas[editar | editar código-fonte]

Na semana que terminou em 21 de junho de 2008, "7 Things" estreou no número 85 na Billboard Hot 100. A canção subiu para o número 70 na semana que terminou 05 de julho de 2009 antes de saltar para o número 70 em sua terceira semana, devido à vendas de 130 mil downloads digitais, "7 Things" transferiu-se para o número nove na semana que terminou em 26 de julho de 2008, superando "See You Again" e tornando-se até o momento o single de melhor desempenho no Hot 100. No Canadá, a canção estreou no número 40 na semana que terminou em 05 de julho de 2008 e chegou ao número 13 na semana de 26 de julho de 2008.

"7 Things" foi também um sucesso na Austrália e Nova Zelândia. A canção fez sua estreia no Australian Singles Chart no número 38 em 17 de agosto de 2008. Depois de cinco semanas, "7 Things" atingiu o seu pico no gráfico, no número 10. A canção foi certificada ouro pelo o Australian Recording Industry Association (ARIA) pelas vendas de mais de 35.000 cópias. "7 Things" estreou no número 27 sobre o New Zealand Singles Chart em 17 de agosto de 2008 e, depois de oito semanas na parada, chegou ao número 24. "7 Things" também se tornou a primeira música de Miley a traçar em um país asiático: Na semana que terminou em 27 de setembro de 2008, "7 Things" estreou no número 81 no Japan Hot 100; alcançou o número nove na semana que terminou 17 de outubro de 2008 e atingiu o seu pico no número oito na semana que terminou 24 de outubro de 2008.

No UK Singles Chart, "7 Things" fez a sua estreia no número 87 em 13 de setembro de 2008 e atingiu o seu pico no número 25 em 13 de dezembro de 2008. Na Europa continental, a canção chegou ao número 44 em Eurochart Hot 100 Singles e no número 14, na Áustria. "7 Things" estreou em número oito na parada de singles da Noruega Noruega Singles Charts em 19 de agosto de 2008.

Desempenho Comercial[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]