90482 Orco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
90482 Orcus
Transnetuniano (plutino)[1]
Orcus nasa.jpg
Características orbitais[2]
Semieixo maior 39,231 UA
Periélio 30,727 UA
Afélio 48,084 UA
Excentricidade 0,22024
Período orbital 247,37 a (90353,56 d)
Inclinação 20,544 °
Argumento do periastro 73,689°
Longitude do nó ascendente 268,427°
Número de Satélites 1 (Vanth)
Características físicas
Dimensões 917 ± 25 km[3]
Massa (6,32 ± 0,05)×1020 kg (sistema)[4] kg
Densidade média 1,53 +0,15
−0,13
[3] g/cm³
Gravidade equatorial ~0,03 g
Período de rotação 13,188 horas[5]
Velocidade de escape ~0,45 km/s
Albedo 0,231 +0,018
−0,011
[3]
Temperatura média: 44 K[5] / -229 ºC
Magnitude absoluta 2,2[2] (2,27 ± 0,05)[4]
Vanth: 4,88 ± 0,05[4]

90482 Orcus é um objeto transnetuniano no cinturão de Kuiper. Foi descoberto em 17 de fevereiro de 2004 por Michael Brown, Chad Trujillo e David Rabinowitz. Imagens precovery de até 8 de novembro de 1951 foram mais tarde identificadas.[2] Michael Brown diz que Orcus é "quase certamente" um planeta anão,[6] embora a UAI não tenha o designado formalmente como tal.

Orcus é um plutino, ou seja, está uma ressonância orbital 2:3 com Netuno, completando duas voltas ao redor do Sol a cada três de Netuno. Plutão possui uma órbita parecida à de Orcus, porém os dois corpos sempre estão em fases opostas da órbita: enquanto Orcus está no afélio Plutão está no perélio e vice-versa. Por causa disso, além do fato de sua lua Vanth lembrar a grande lua de Plutão Caronte, Orcus tem sido visto como antiPlutão. Isso influenciou muito a escolha de seu nome, como o deus Orcus era o equivalente etrusco de Plutão, e virou um nome alternativo para Plutão.[7]

Órbita e rotação[editar | editar código-fonte]

As órbitas de Orcus (em azul), Plutão (em vermelho) e Netuno (em cinza). Orcus e Plutão aparecem nas posições de abril de 2006. A data de seus periélios (q) e afélios (Q) também está marcada.

Orcus é um grande plutino (um objeto em ressonância orbital 2:3 com Netuno).[1] Com um período orbital de 247 anos, sua órbita é parecida com a de Plutão, porém é orientada diferentemente (enquanto um corpo está no afélio o outro está no perélio e vice-versa). Embora sua órbita fique próxima da de Netuno em um ponto, a ressonância orbital significa que Orcus sempre está a uma grande distância do planeta (a separação angular entre eles é de mais de 60°). Em um período de 14 000 anos Orcus fica a mais de 18 UA de Netuno.[8] Como Orcus e Plutão possuem ressonâncias 2:3 com Netuno e possuem órbitas parecidas porém opostas, Orcus é às vezes descrito como "anti-Plutão".[7]

Orcus orbita o Sol a uma distância média de 39,2 UA, com um perélio (menor distância ao Sol) de 30,4 UA e um afélio (maior distância ao Sol) de 48,1 UA. Está atualmente a 48,0 UA do Sol[9] e vai alcançar o afélio em 2019.[10] Simulações pela Deep Ecliptic Survey (DES) mostram que nos próximos 10 milhões de anos Orcus poderá adquirir um perélio de 27,8 UA.[11]

O período de rotação de Orcus é desconhecido. Diferentes pesquisas fotométricas apresentam diferentes resultados. Algumas mostram pequenas variações de amplitude com períodos entre 7 e 21 horas, enquanto outras não mostram variação.[12] O valor obtido por Ortiz et al., cerca de 10 horas, é frequentemente citado na literatura.[5] Os polos de rotação de Orcus provavelmente coincidem com os polos orbitais de sua lua, Vanth, o que significa que o polo de Orcus está virado para a Terra, explicando as dificuldades em medir seu período de rotação.[12] É possível que o verdadeiro período de rotação coincida com o período orbital de 9,5 dias da lua.[4]

Nome[editar | editar código-fonte]

Por ser parecido com Plutão, Orcus deveria receber o nome de uma divindade do submundo, de acordo com as convenções de nomenclatura da União Astronómica Internacional. Os descobridores sugeriram o nome de Orcus, que foi aprovado e publicado em 22 de novembro de 2004. Orcus é um outro nome para o deus grego Hades e um deus separado da morte na Mitologia romana.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

Tamanho e magnitude[editar | editar código-fonte]

Impressão artística de 90482 Orco

A magnitude absoluta de Orcus é de cerca de 2,2[2], comparável à de 2,6 do cubewano 50000 Quaoar. Observações pelo Telescópio Espacial Spitzer no infravermelho longe[13] e pelo Observatório Espacial Herschel no submilímetro estima um diâmetro de 850 ± 90 km.[14] O diâmetro determinado a partir de medições do Spitzer apenas é de 940 ± 70 km.[4] Orcus tem um albedo de cerca de 22% a 34%,[14] o que pode ser típico de objetos transnetuniano aproximando a faixa de 1000 km de diâmetro.[15]

O tamanho mencionado acima foi estimado assumindo que Orcus não possui satélites. A presença de Vanth, um satélite relativamente grande, pode mudar os valores consideravelmente. A magnitude absoluta de Vanth é estimada em 4,88, o que significa que ele é 11 vezes menos brilhante que Orcus. Se os albedos dois corpos forem iguais o diâmetro de Orcus é de cerca de 900 km (assumindo um diâmetro de 940 km se não tivesse satélites), enquanto o tamanho de Vanth é de cerca de 280 km. No entanto, se o albedo de Vanth for duas vezes menor que o de Orcus, o o diâmetro dos corpos é de 860 e 380 km, respectivamente.[4]

Em 2013 foi publicada uma nova análise de dados do Observatório Espacial Herschel, que determinou um diâmetro de 917 ± 25 km para Orcus e 276 ± 17 km para Vanth, assumindo que os dois corpos tenham o mesmo albedo.[3]

Massa[editar | editar código-fonte]

Como Orcus faz parte de um sistema binário, a massa do sistema é estimada em 6,32 ± 0,05×1020 kg, cerca de 3,8% da massa de Éris, o planeta anão mais massivo conhecido.[4] Como essa massa está dividida entre Orcus e Vanth, depende do tamanho relativo deles. Se o tamanho do satélite for de um terço do primário, sua massa equivale a 3% da massa total. Por outro lado, se o tamanho de Vanth for de 380 km (veja acima), sua massa pode ser de até 1/13 da massa total do sistema ou cerca de 8% da massa de Orcus.[4]

Satélite[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Vanth

A partir de observações feitas pelo Telescópio Espacial Hubble em novembro de 2005, Mike Brown e T.A. Suer detectaram um satélite orbitando Orcus.[16] Essa descoberta foi anunciada na IAUC 8812 em 22 de fevereiro de 2007.[17] O satélite recebeu a designação provisória S/2005 (90482) 1 até receber o nome de Vanth. Ele orbita Orcus em uma órbita quase circular com uma excentricidade de menos de 0,0036 e um período orbital de 9,53 dias.[4] Vanth está a apenas 8980 ± 20 km de Orcus e está muito perto dele para análises espectroscópicas terrestres em relação à composição de sua superfície.[4] Mike Brown suspeita que, assim como o sistema Plutão-Caronte, Orcus e Vanth estão em acoplamento de maré.[7] Vanth não parece ter surgido por colisão porque seu espectro é bastante diferente do de Orcus, podendo ser um objeto capturado.[7]

Referências

  1. a b «MPEC 2009-E53 :Distant Minor Planets (2009 MAR. 30.0 TT)». Minor Planet Center. 11 de março de 2009. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  2. a b c d «JPL Small-Body Database Browser». Jet Propulsion Laboratory. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  3. a b c d Fornasier; et al. (julho de 2013). «TNOs are Cool: A survey of the trans-Neptunian region. VIII. Combined Herschel PACS and SPIRE observations of nine bright targets at 70-500 μm». Astronomy & Astrophysics. 555. pp. A15, 22 pp. Bibcode:2013A&A...555A..15F. doi:10.1051/0004-6361/201321329 
  4. a b c d e f g h i j Brown, M.E.; Ragozzine, D.; Stansberry, J.; Fraser, W.C. (2010). «The size, density, and formation of the Orcus-Vanth system in the Kuiper belt». The Astronomical Journal. 139 (6): 2700–2705. Bibcode:2010AJ....139.2700B. arXiv:0910.4784Acessível livremente. doi:10.1088/0004-6256/139/6/2700 
  5. a b c Barucci, M. A.; Merlin; Guilbert; Bergh; Doressoundiram; et al. (2008). «Surface composition and temperature of the TNO Orcus». Astronomy and Astrophysics. 479 (1): L13–L16. Bibcode:2008A&A...479L..13B. doi:10.1051/0004-6361:20079079 
  6. Michael E. Brown (23 de setembro de 2011). «How many dwarf planets are there in the outer solar system? (updates daily)». California Institute of Technology. Consultado em 23 de setembro de 2011 
  7. a b c d Michael E. Brown (23 de março de 2009). «S/2005 (90482) 1 needs your help». Mike Brown's Planets (blog). Consultado em 25 de março de 2009 
  8. «MPEC 2004-D15 : 2004 DW». Minor Planet Center. 20 de fevereiro de 2004. Consultado em 5 de julho de 2011 
  9. «AstDys (90482) Orcus Ephemerides». Departamento de Matemática, Universidade de Pisa, Itália. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  10. «HORIZONS Web-Interface». JPL Solar System Dynamics. Consultado em 2 de julho de 2008 
  11. Buie, Marc W. (22 de dezembro de 2007). «Orbit Fit and Astrometric record for 90482». SwRI (Space Science Department). Consultado em 19 de setembro de 2008 
  12. a b A. Delsanti, F. Merlin, A. Guilbert–Lepoutre at al. (2010). «Methane, ammonia, and their irradiation products at the surface of an intermediate-size KBO? A portrait of Plutino (90482) Orcus». Astronomy and Astrophysics. 627 (2). 1057 páginas. Bibcode:2010A&A...520A..40D. arXiv:1006.4962Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201014296 
  13. Stansberry, J.; Grundy, W.; Brown, M.; Cruikshank, D.; Spencer, J.; Trilling, D.; Margot, J.-L. (2008). «Physical Properties of Kuiper Belt and Centaur Objects: Constraints from the Spitzer Space Telescope». In: M. A. Barucci, H. Boehnhardt, D. P. Cruikshank, and A. Morbidelli (eds.). The Solar System Beyond Neptune. Tucson: University of Arizona Press. pp. 161–179. Bibcode:2008ssbn.book..161S 
  14. a b T.L. Lim, J. Stansberry, T.G. Müller (2010). «"TNOs are Cool": A survey of the trans-Neptunian region III. Thermophysical properties of 90482 Orcus and 136472 Makemake». Astronomy and Astrophysics. 518: L148. Bibcode:2010A&A...518L.148L. doi:10.1051/0004-6361/201014701 
  15. Wm. Robert Johnston (17 de setembro de 2008). «TNO/Centaur diameters and albedos». Johnston's Archive. Consultado em 27 de outubro de 2008 
  16. Daniel W. E. Green (22 de fevereiro de 2007). «IAUC 8812: Sats OF 2003 AZ_84, (50000), (55637), (90482)». International Astronomical Union Circular. Consultado em 5 de julho de 2011 
  17. Wm. Robert Johnston (4 de março de 2007). «(90482) Orcus». Johnston's Archive. Consultado em 26 de março de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre 90482 Orco
(90480) 2004 CG109 | 90481 Wollstonecraft | 90482 Orcus | (90483) 2004 DM4 | (90484) 2004 DU6