Ação Memorial Cultural Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ação Memorial Cultural Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas
O Pensador de Angola
Tipo museu vivo
Inauguração 19 de setembro de 2017
Diretor Jorge Ferreira
Curador Ayres Sales
Geografia
País  Brasil
Cidade Recife
Coordenadas 8° 3' 10.6" S 34° 56' 22.1" O
Localização em mapa dinâmico

A Ação Memorial Cultural Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas - Ação Memorial Cultural PROCAEP é uma organização cultural Brasileira, sem fins lucrativos e sem natureza jurídica, que está localizada na cidade do Recife, no bairro do Engenho do Meio, que se constitui como museu vivo. Fundado em 2017 pelos pernambucanos Jorge Ferreira, Mestre de Capoeira Angola e Ayres Sales, Produtora Cultural, o Museu foi inaugurado, em 19 de Setembro de 2017, com a Exposição e Oficina 'O Navegar na Memória Antropológica Pernambucana'. O museu desenvolve diversas atividades de formação e experimentação cultural de forma itinerante, em espaços fechados e a céu aberto, no meio urbano e rural.

O museu em sua perspectiva pernambucana tem como objetivo e missão difundir a cultura da Capoeira Angola, através de sua filosofia e prática voltado à preservação da história, da arte e da cultura. O eixo norteador da Ação diz respeito a modo de laboratório vivo, onde o museu vai até o povo na intenção da cultura que produz, faz nascer, renasce o conhecimento, as sabedorias empíricas, mostra novamente o antigo, demonstra o novo, o saber fazer dos homens, é sempre contemporânea, até mesmo quando expõe o que é antigo, pesquisando, preservando, comunicando e ensinando o Patrimônio Material e Imaterial da miscigenação entre indígenas, africanos e europeus encontrados na Capoeira Angola. A atuação do museu também está focada em promover e fortalecer a autoestima, constituir uma rede de interação com diversas instituições afins, públicas e privadas, religiosas e de ação social, fomentar a economia criativa, projetos de história oral, pesquisas e publicações, preservação de memórias e a continuidade de suas atividades.

É um projeto cultural do estilo museal, torna-se referência como espaço cultural itinerante que abriga relevantes modos de acervos através de núcleos onde encontram-se registros da memória pernambucana através da oralidade e da observação em tempo real, contribuindo com um serio trabalho de Arte/Cultura/Saúde/Educação e Educação Patrimonial. O modelo de atuação aos indivíduos da sociedade acontece de forma sistemática por meio de visitas que o próprio museu faz, atendendo deste modo o maior quantitativo de pessoas possíveis, dentre elas pessoas portadoras de necessidades especiais.

O museu possuí rico acervo memorial e oral da etnomusicologia, etnodançologia e de objetos artísticos de antepassados da 'Kaa-pûera' com forte ênfase nos registros históricos e iconográficos relacionados ao período que se deu como colonial, permitindo que inúmeros consulentes, pesquisadores e apreciadores tenham acesso aos núcleos memoriais as áreas de história, filosofia, dança, música, arte, geografia e cultura brasileira, nutrindo na priorização de ações educativas para alcançar destaque na defesa e promoção da Educação no Brasil. Promove exposições nacionais e internacionais, formação de público (cursos de formação e capacitação, oficinas, colóquios, encontros e visitas), conservação e restauro.

História[editar | editar código-fonte]

O Museu foi fundado por Jorge Ferreira, Mestre de Capoeira Angola, nascido em Recife - PE em 1985, e por Ayres Sales, Interprete-Pesquisadora em Dança, nascida em Olinda - PE em 1993.

No ano de 2016, idealizaram um projeto museológico a partir do Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas – PROCAEP voltada à preservação e exposição de seu acervo. A Ação cultural foi inaugurada no ano de 2017, tendo sua primeira aparição com a finalidade de integrar a programação da 11º Primavera dos Museus, realizada pelo Instituto Brasileiro de MuseusIBRAM, expondo textos, documentos e análises relacionadas às vivências e ao contexto formação e atuação do PROCAEP.

A Ação Memorial Cultural Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas - Ação Memorial Cultural PROCAEP foi inaugurado em setembro de 2017, com a exposição e oficina 'O Navegar na Memória Antropológica Pernambucana' montada no espaço do Serviço Integrado de Saúde - SIS do Estado de Pernambuco, que apresentou pela primeira vez ao público uma parte do conjunto da história do Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas - PROCAEP. No ano seguinte, o museu inaugurou a ação educativa Roda de Capoeira Angola no Marco Zero, Recife - PE.

O museu se constitui a partir de concepções contemporâneas da Sociomuseologia, enquanto lugar de experiências e preservação de saberes tradicionais.

Em 2018, a Ação integrou também a programação da 12° Primavera dos Museus e da 16º Semana dos MuseusIBRAM[1]

[2] .

Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas - PROCAEP[editar | editar código-fonte]

O Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas – PROCAEP foi fundado em 2007 e é autonomamente organizado por integrantes que se ocuparam diretamente do desenvolvimento e estruturação deste núcleo de referência em Capoeira Angola. Trata-se de uma organização cultural sem fins lucrativos, sem natureza jurídica, sob a coordenação do Mestre Jorge Ferreira.

Concebido enquanto projeto educativo e de resistência, um laboratório vivo Pernambucano, o projeto foi constituído sob uma ótica própria de Cultura, congregando as atividades desenvolvidas em torno do Jogo da Capoeira, dando suporte a novas iniciativas de pesquisa, difusão das memórias e divulgação de seus valores históricos, artísticos, culturais e ecológicos, dos conhecimentos no aspecto filosófico, folclórico, linguístico e educativo, relacionados à herança cultural de matrizes africana, indígena e europeia, das miscigenações da manifestação fundamentada de raiz popular que caracteriza e estrutura a Cultura Pernambucana.

O projeto desenvolve ações de salvaguarda e de fomento do Estudo (Tradição Oral e Teoria Filosófica) e da Prática (Experiência de vida, Corporal, Mental e Espiritual) da Capoeira Angola, promovendo assim, políticas públicas estruturantes, como garantia dos direitos e autenticidade na formação do cidadão e estratégias de desenvolvimento sustentáveis.

É de grande importância relatar a participação do PROCAEP e do Mestre Jorge Ferreira no vídeo 'Jogo Aberto: Conversas sobre a Capoeira Angola do Recife e de Olinda', realização Centro de Artes e Comunicação da UFPE e FUNDARPE [3].

Em 2014, o projeto foi aprovado para dar oficinas no Festival de Inverno de Garanhuns, oferecido pela FUNDARPE[4]; e em 2015, o projeto foi habilitado entre os concorrentes ao Prêmio Boas práticas de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, oferecido pelo IPHAN[5].

Todas as atividades do projeto tem como prioridade a capacidade pedagógica da Tradição Oral e da prática da Capoeira Angola, mobilizadas enquanto instrumento de socialização e ressocialização dos indivíduos praticantes, visando melhoria da qualidade de vida e fortalecimento da autoestima, ao trabalhar o conhecimento e o reconhecimento de si e do mundo ao redor, promoção da Cultura de Paz e construção da cidadania, por meio de pesquisas e reflexão acerca da formação histórica da nação.

Acervos[editar | editar código-fonte]

O acervo não se apresenta de forma segmentada. Ao contrário, são interdependentes, portanto, é composto por dois eixos, entre as quais destacam-se os núcleos:

Biblioteca[editar | editar código-fonte]

O núcleo é composto por textos, cartas, livros e manuscritos são obras de autorias individuais, coletivas e de domínio público.

Galeria Sine/Cine+stésica[editar | editar código-fonte]

É composta por nove núcleos, entre eles:

1. Personalidades que corresponde à árvore genealógica composto por dois Conselheiros e um Mestre.

2. O Pensador de Angola correspondente a origens dos sagrados materno e paterno, ao encontro da unidade.

3. Treino correspondente ao jogo-luta-dança que é proporcionado entre praticantes, não praticantes e admiradores, no momento de ver uma oficina acontecendo.

4. Cortejo que corresponde à vivência e a saudação a todos em comunidade.

5. Instrumentos musicais possui sete peças, classificadas em segmentos específicos: reco-reco, agogô, pandeiro, berimbau gunga, berimbau médio, berimbau viola e atabaque.

6. Roupas é composta por indumentárias que transparecem o tempo de moda a cada nova época.

7. Símbolos retrata-se nas proteções corporais, de chão e de execução do movimento, como as figuras geométricas, imagens, sons, cheiros e sentidos que são aguçados mediante êxtase, transparecidos na linguagem do corpo.

Roda de Capoeira Angola - Patrimônio Imaterial da Humanidade

8. Roda de Capoeira Angola é a maior coleção em tempo real, pois nela reúnem-se todos os outros núcleos em forma de ritual.

9. Roda de Diálogo que proporciona momentos de conversas abertas com variados temas.

Informações e serviços[editar | editar código-fonte]

A Ação Memorial Cultural Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas - Ação Memorial Cultural PROCAEP realiza exposições temporárias em espaços diversos; oficinas; atividades práticas e teóricas diárias de movimentação, música, canto e roda de Capoeira Angola; além de cursos de formação do agentes multiplicadores, curso de Economia Criativa, entre outras atividades culturais.

Os dias sistemáticos da Ação Museal funcionam de Terça à Quinta, das 19 horas até às 21:30 hrs. Rua Lindolfo Collor, n°65, Engenho do Meio, Recife - PE, 50730-060. Atividades gratuitas e aberta a todos os públicos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Projeto Capoeira Angola Estudos e Práticas

Facebook

SIS

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um museu é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.