A-dos-Negros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal A-dos-Negros  
—  Freguesia  —
Brasão de armas de A-dos-Negros
Brasão de armas
A-dos-Negros está localizado em: Portugal Continental
A-dos-Negros
Localização de A-dos-Negros em Portugal
Coordenadas 39° 20' 58" N 9° 06' 36" O
País  Portugal
Concelho OBD.png Óbidos
Fundação 2ª metade do século XVIII
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Heitor Carvalho da Conceição (G.C.E.)
Área
 - Total 16,82 km²
População (2011)
 - Total 1 489
    • Densidade 88,5 hab./km²
Código postal 2510-342 A dos Negros
Orago Santa Maria Madalena

A-dos-Negros é uma freguesia portuguesa do concelho de Óbidos, com 16,82 km² de área e 1 489 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é de 88,5 hab/km².

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de A-dos-Negros [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
720 851 1 163 1 354 1 411 1 550 1 735 1 858 2 033 2 107 1 756 1 851 1 713 1 493 1 489

História[editar | editar código-fonte]

A freguesia foi criada durante a segunda metade do século XVIII, possivelmente um pouco depois do terramoto de 1755. Segundo o investigador Pinho Leal o seu nome derivará de Cecílio Negro, um corajoso capitão lusitano, que viveu vinte anos antes de Jesus Cristo.

Antes de 1147, existiam várias povoações entre Leiria e Lisboa, onde residiam grandes núcleos judaicos, com sinagogas e hábitos de vida própria. Foi personagem importante um rabi-mor chamado Iáhia Aben-Yasich, e quem segundo o historiador Joaquim Veríssimo Serrão na sua obra História de Portugal, D. Afonso Henriques nomeou mordomo e cavaleiro-mor, em recompensa de serviços prestados na luta contra os Mouros, e concedeu a Aldeia dos Negros. Este historiador diz ainda "que esta doação se refere à tomada de Óbidos em 1148, tem que se aceitar a identificação com a actual povoação de A dos Negros, situada a 4 km". Sobre este assunto, outros autores estudaram, como Meyer Kayserling na obra História dos Judeus em Portugal e João Evangelista na sua obra A dos Negros: uma aldeia da Estremadura. Segundo este último autor, no século XIX, os campos desta freguesia estavam cobertos de matagais, com muitas árvores (sobreiros, azinheiras, loureiros e medronheiros).

No Cadastro da População do Reino, efectuado por D. João III em 1527, a Aldeia dos Negros era um pequeno aglomerado com 20 fogos (cerca de 90 habitantes). Em 1757, o número de fogos já era de 122, tendo o povoamento da aldeia sido feito pelos campos adjacentes.

No campo eclesiástico, a apresentação do pároco era de responsabilidade do povo que lhe doava de côngrua, noventa alqueires de trigo, trinta de cevada e duas pipas de vinho. Durante algum tempo, esta freguesia esteve subordinada à Colegiada de São João de Mucharro, cujo prior tinha o dever de ir anualmente à igreja de Santa Maria Madalena cantar a festa da santa padroeira.

Economia[editar | editar código-fonte]

As principais actividades económicas são a agricultura, construção civil e a indústria cerâmica.

Património[editar | editar código-fonte]

Nesta freguesia pode-se visitar a Igreja Matriz de Santa Madalena e a Capela do Espírito Santo (Sancheira Grande), para além do cruzeiro. Dignas também de visita são as quintas do Cabeço, da Botelheira, e do Rolin. Existem as fontes do Ulmeiro, Santa da Formiga e do Olival Santo. Na freguesia existem ainda várias capelas.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

As principais especialidades gastronómicas da freguesia são as misturadas. O vinho branco maduro é afamado. Na freguesia há a tradição da matança do porco.

Festas e Romarias[editar | editar código-fonte]

Apesar de pequena, existem várias feiras e romarias nesta freguesia. As principais são:

Colectividades[editar | editar código-fonte]

As principais colectividades da freguesia são:

Feiras[editar | editar código-fonte]

Existe na freguesia uma feira anual a 22 de Julho.

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Centro". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 1 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013 
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes