A.C. Milan em competições internacionais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O AC Milan é o clube italiano mais vencedor em competições internacionais. Os rubro-negros de Milão já venceram sete Liga dos Campeões, duas Recopas, quatro Supercopas Européias e três Copa Intercontinental.

Liga dos Campeões da UEFA[editar | editar código-fonte]

O Milan é o clube italiano com maior sucesso na Copa dos Campeões da Europa. É também a segunda equipe com mais conquistas nesta competição continental, com sete taças (1962/1963, 1968/1969, 1988/1989, 1989/1990, 1993/1994, 2002/2003, 2006/2007).

Era 1955-69[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira época gloriosa para o Milan, que neste período de 14 anos chegou a três finais e ganhou duas.

1955/56 Na primeira participação do Milan na Copa dos Campeões, o clube italiano chegou até as semifinais contra o Real Madrid. Na primeira partida, na Espanha, o clube merengue goleou os italianos por 4x2. No segundo jogo, o Milan venceu os espanhóis, por 2 a 1, resultado que deixou os rubro-negro de fora da grande decisão.

Primeira fase FC Saarbrücken ALE 3-4 4-1
Quartas-de-final SK Rapid Viena AUT 1-1 7-2
Semifinal Real Madrid CF ESP 2-4 2-1

1957/58 Com uma bela campanha, o Milan alcançou a final da competição pela primeira vez. Mas a equipe milanista teve o azar de cruzar com o Real Madrid novamente. O clube espanhol foi um dos maiores esquadrões do século XX, com atletas do como Alfredo Di Stefano, Ferenc Puskas, Raymond Kopa e Francisco Gento. A grande final aconteceu no Heysel Stadium, em Bruxelas (Bélgica), com um total de 67 mil presentes,, no dia 28 de maio de 1958. No tempo normal, o Milan esteve duas vezes a frente (com gols de Schiaffino aos 69' e Grillo aos 78'), mas os merengues empataram duas vezes (Di Stefano aos 74' e Rial aos 79'). Na prorrogação, Gento (aos 107') fez o gol do terceiro título europeu para o clube espanhol.

Primeira fase SK Rapid Viena AUT 4-1 2-5 4-2
Segunda fase Glasgow Rangers ESC 4-1 2-0
Quartas-de-final Borussia Dortmund ALE 1-1 4-1
Semifinal Manchester United ING 1-2 4-0

Schiaffino (69'), Di Stefano (74'), Grillo (78'), Rial (79') e Gento (107')

   Soldan; Fontana, Cesare Maldini, Beraldo; Bergamaschi, Radice;
   Danova, Liedholm, Schiaffino, Grillo, Cucchiaroni.

Técnico: Gipo Viani

1959/60 Em sua terceira Copa dos Campeões, o Milan fez uma campanha pífia. Os rubro-negros caíram diante do fortíssimo FC Barcelona, dos míticos jogadores da Seleção Húngara de Futebol Zoltán Czibor, Sándor Kocsis e László Kubala, com duas goleadas na Primeira Fase.

Fase preliminar Olympiakos CFP GRE 2-2 3-1
Primeira fase FC Barcelona ESP 0-2 1-5

1962/63 A primeira taça europeía para os milanistas viria nesta temporada. O Milan não teve problemas para chegar à grande final, contra o SL Benfica, atual bicampeão europeu na época. O duelo foi realizado no Estádio de Wembley (Londres), no dia 22 de maio de 1963, com cerca de 45 mil espectadores presentes. O Benfica abriu o placar com Eusebio (aos 19min). Mas o brasileiro Altafini brilhou, fazendo os dois gols da virada italiana (aos 58 e 70min). Altafini também foi o artilheiro da competição, com 14 gols (oito deles feitos US Luxembourg).

Primeira fase US Luxembourg LUX 8-0 6-0
Segunda fase Ipswich Town FC ING 3-0 1-2
Quartas-de-final Galatasaray SK TUR 3-1 5-0
Semifinal Dundee FC ESC 5-1 0-1

Eusebio (19') e Altafini (58' e 70')

   Ghezzi; David, Maldini, Trebbi; Benitez, Trapattoni;
   Pivatelli, Sani, Altafini, Rivera, Mora.

Técnico: Rocco

1963/64 O Milan jogou a Copa dos Campeões da temporada seguinte na condição de atual campeão europeu. O clube classificou-se diretamente para a segunda fase. Mas mais uma vez, os rossoneri cairiam em uma fase eliminatória diante do Real Madrid. No jogo de ida, o clube italiano perdeu por 4 a 1. Na partida de volta, venceu apenas por 2 a 0 e acabou eliminado prematuramente.

Segunda fase IFK Norrköping SUE 1-1 5-2
Quartas-de-final Real Madrid ESP 1-4 2-0

1968/69 O segundo título continental milanista veio cinco anos depois. Até as semifinais, o Milan não teve muito trabalho, até enfrentar o Manchester United, campeão europeu na temporada anterior. No San Siro uma vitória por 2 a 0 e no Old Trafford uma derrota por 0 a 1. Com estes resultados, o Milan chegou a sua terceira final na Copa dos Campeões. O duelo pelo título europeu seria contra o Ajax, de Johan Cruijff, uma equipe em ascensão na época. A final aconteceu no Estádio Santiago Bernabeu, em Madrid, no dia 28 de maio de 1969, com um público total de 31 mil espectadores. No jogo, pesaram a inexperiência do clube holandes e um dia inspirado de Pierino Prati. O jogador marcou duas vezes para o Milan no primeiro tempo (aos 7 e 40 min). Vasovic, de pênalti, diminui (aos 60 min). Sormani (aos 67min) e Prati (aos 75min) encerraram o placar em 4 a 1 para o clube italiano, que conquistava assim seu segundo campeonato na Europa.

Primeira fase Malmö FF SUE 1-2 4-1
Segunda fase não disputou
Quartas-de-final Glasgow Celtic ESC 0-0 1-0
Semifinal Manchester United ING 2-0 0-1

Prati (7', 40' e 75'), Vasovic (60'pen) e Sormani (67')

   Cudicini; Malatrasi, Anquilletti, Schnellinger, Rosato, Trappattoni;
   Lodetti, Gianni Rivera; Hamrin, Sormani, Pierino Prati.

Técnico: Rocco.

Era 1970-88[editar | editar código-fonte]

Durante os dezoito anos seguintes, o Milan disputou apenas duas vezes a Copa dos Campeões. E com desempenhos ruins.

1969-70 No ano seguinte ao seu segundo título europeu, a equipe rubro-negra caiu logo na segunda fase, ao perder para o Feyenoord.

Primeira fase FC Avenir Beggen LUX 5-0 3-0
Segunda Fase Feyenoord HOL 1-0 0-2

1979/80 Dez anos depois do fiasco na temporada 1969/70, o Milan voltou a decepcionar na competição. Desta vez, o clube italiano foi eliminado logo na primeira fase, diante do Porto.

Primeira Fase FC Porto POR 0-0 0-1

Era 1989/97[editar | editar código-fonte]

Outro período de glórias para o Milan. O clube chegou a cinco finais e venceu três.

1988/89 Após amargar anos de insucessos da Copa dos Campeões, o Milan voltou a ser o senhor da Europa. Nas semifinais, o clube italiano enfim derrotou o Real Madrid na competição e em grande estilo: 5 a 0, na segunda partida, no San Siro. A final foi contra a FC Steaua Bucharest, de Hagi, no Estádio Nou Camp (Barcelona), no dia 24 de maio. No estádio, dos 97 mil presentes, estimou-se que 80 mil eram torcedores milanistas. Franco favorito, o Milan goleou a equipe romena por 4 a 0, com uma espetacular atuação da dupla holandesa Ruud Gullit e Marco Van Basten. Ambos marcaram duas vezes na partida e coroaram a grande temporada do clube italiano.

Primeira Fase FC Vitosha BUL 2-0 5-2
Segunda fase FK Crvena Zvezda IUG 1-1 1-1 (4-2 pênaltis)
Quartas-de-final SV Werder Bremen ALE 0-0 1-0
Semifinais Real Madrid ESP 1-1 5-0

Gullit (17'), Van Basten (26'), Gullit (38') e Van Basten (46')

   G.Galli, Tassotti, Costacurta (F.Galli '74), Franco Baresi, Paolo Maldini; Colombo, Frank Rijkaard,
   Carlo Ancelotti, Roberto Donadoni; Ruud Gullit (Virdis '60) e Marco Van Basten.

Técnico: Arrigo Sacchi.

1989/90

Primeira fase HJK Helsinki FIN 4-0 1-0
Segunda fase Real Madrid ESP 2-0 0-1
Quartas-de-final KV Mechelen BEL 0-0 2-0
Semifinais Bayern Munique ALE 1-0 1-2
  • Final (Prater Stadium, Viena), 23 de maio de 1990, 57500 presentes

SL Benfica (POR) 1-0 Rijkaard (68')

G.Galli; Tassotti, Costacurta, Baresi, Maldini; Colombo (F.Galli '89), Rijkaard, Ancelotti (Massaro '72), Evani; Gullit, Van Basten.

Técnico: Arrigo Sacchi

1990/91

Primeira fase não disputou
Segunda fase) Club Brugge KV BEL 0-0 1-0
Quartas-de-final Olympique Marseille FRA 1-1 0-3*
  • Floodlights failed with 2 mins remaining with Marseille leading 1-0. Milan refused to return to the field when power was restored, match awarded to Marseille.

1992/93

Primeira fase SCT Olimpija Ljubljana ESL 4-0 3-0
Segunda fase Slovan Bratislava TCH 1-0 4-0
Terceira Fase (Grupo B) IFK Gotëborg SUE 4-0 1-0
Terceira Fase (Grupo B) PSV Eindhoven HOL 2-1 2-0
Terceira Fase (Grupo B) FC Porto POR 1-0 1-0

Boli ('44)

   Rossi; Tassotti, Maldini, Albertini, Costacurta, Baresi, Lentini, Rijkaard,
   Van Basten (Eranio '86), Donadoni (Papin '55), Massaro.

Técnico: Fabio Capello

1993/94

Primeira fase FC Aarau SUI 1-0 0-0
Segunda fase) FC Copenhagen DIN 6-0 1-0
Terceira fase (Grupo B) RSC Anderlecht BEL 0-0 0-0
Terceira fase (Grupo B) FC Porto POR 3-0 0-0
Terceira fase (Grupo B) SV Werder Bremen ALE 2-1 1-1
Semifinais AS Monaco FRA 3-0
  • Final (Spiros Louis Stadium, Atenas) 18 de maio de 1994 70000 presentes
  • FC Barcelona (ESP) 4-0

Massaro (22', 45'), Savicevic (47') e Desailly (59')

   Rossi; Tassotti, Panucci, Albertini, Galli, Maldini (Nova '84),
   Donadoni, Desailly, Boban, Savicevic, Massaro.

Técnico: Fabio Capello

1994/95

(Primeira fase (Grupo D) AFC Ajax HOL 0-2 0-2
(Primeira fase (Grupo D) SV Áustria Salzburg AUT 3-0 0-1
(Primeira fase (Grupo D) AEK (Athens) GRE 0-0 2-0
Quartas-de-final SL Benfica POR 2-0 0-0
Semifinais Paris Saint-Germain FRA 1-0 2-0
  • Final (Ernst Happel Stadium, Viena), 24 de maio de 1995
  • AFC Ajax (HOL) 0-1

Kluivert (85')

   Rossi, Panucci, Baresi, Desailly, Maldini, Donadoni, Boban (Lentini '86),
   Albertini, Costacurta, Massaro (Eranio 90), Simone.

Técnico: Fabio Capello

1996/97

(Primeira fase (Grupo D) FC Porto POR 2-3 1-1
(Primeira fase (Grupo D) Rosenborg BK NOR 4-1 1-2
(Primeira fase (Grupo D) IFK Göteborg SUE 1-2 4-2

Era 1999/2005[editar | editar código-fonte]

1999/2000

Primeira fase (Grupo H) Chelsea ING 0-0 1-1
Primeira fase (Grupo H) Galatasaray SK TUR 2-1 2-3
Primeira fase (Grupo H) Hertha Berlim ALE 1-1 1-0

2000/01

Primeira fase (Grupo H) Besiktas TUR 4-1 2-0
Primeira fase (Grupo H) Leeds United ING 0-1 1-1
Primeira fase (Grupo H) FC Barcelona ESP 2-0 3-3
Segunda fase (Grupo B) Galatasaray SK TUR 2-2 2-0
Segunda fase (Grupo B) Deportivo La Coruña ESP 0-1 1-1
Segunda fase (Grupo B) Paris Saint-Germain FRA 1-1 1-1

2002/03

Fase preliminar FC Slovan Liberec TCH 1-0 1-2
Primeira fase (Grupo G) RC Lens FRA 2-1 1-2
Primeira fase (Grupo G) Deportivo La Coruña ESP 4-0 1-2
Primeira fase (Grupo G) Bayern München ALE 2-1 2-1
Segunda fase (Grupo C) Real Madrid ESP 1-0 3-1
Segunda fase (Grupo C) Borussia Dortmund ALE 1-0 0-1
Segunda fase (Grupo C) Lokomotiv Moskva RUS 1-0 1-0
Quartas-de-final Ajax HOL 0-0 3-2
Semifinais Internazionale ITA 0-0 1-1

Pênaltis Juventus: Birindelli, Del Piero [gols]; Trezeguet, Zalayeta, Montero [perderam] Milan: Serginho, Nesta, Shevchenko[gols]; Seedorf, (Kaladze)[perderam]

   Dida, Alessandro Costacurta (Roque Júnior '66), Alessandro Nesta, Paolo Maldini, Kakha Kaladzhe;
   Gennaro Gattuso, Andrea Pirlo, (Serginho '71), Rui Costa (Massimo Ambrosini '87), Clarence Seedorf;
   Andrey Shevchenko, Filippo Inzaghi.

Técnico: Carlo Ancelotti

2003/04

Primeira fase (Grupo H) AFC Ajax HOL 1-0 0-1
Primeira fase (Grupo H) RC Celta Vigo ESP 0-0 1-2
Primeira fase (Grupo H) Club Brugge KV BEL 0-1 1-0
Oitavas-de-final AC Sparta Praha TCH 0-0 4-1
Quartas-de-final Deportivo La Coruña ESP 4-1 0-4

2004/05

Primeira fase (Grupo F) Shakhtar Donetsk UCR 1-0 4-0
Primeira fase (Grupo F) Glasgow Celtic ESC 3-1 0-0
Primeira fase (Grupo F) FC Barcelona ESP 1-0 1-2
Oitavas-de-final Manchester United ING 1-0 1-0
Quartas-de-final Internazionale ITA 2-0 3-0
Semifinal PSV Eindhoven HOL 2-0 1-3

Paolo Maldini (1'),Hernán Crespo (38' e 43'), Steven Gerrard (54'), Vladimir Smicer (56'), Xabi Alonso (60')

Pênaltis: Milan: Tomasson, Kaká [gols], Serginho, Pirlo, Shevchenko [perderam] Liverpool: Hamann, Cissé, Smicer [gols], Riise [perdeu]

  Dida; Cafu, Jaap Stam, Alessandro Nesta, Paolo Maldini; Clarence Seedorf (Serginho '85), Gattuso
  (Rui Costa '111), Andrea Pirlo, Kaká; Hernán Crespo (Jon Tomasson 85), Andriy Shevchenko;
  Técnico: Carlo Ancelotti.

2005/06

Primeira fase (Grupo E) Fenerbahçe SK TUR 3-1 4-0
Primeira fase (Grupo E) Schalke 04 ALE 2-2 3-2
Primeira fase (Grupo E) PSV Eindhoven HOL 0-0 1-0
Oitavas-de-final Bayern München ALE 1-1 4-1
Quartas-de-final Olympique Lyonnais FRA 0-0 3-1
Semifinal FC Barcelona ESP 0-1 0-0