Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de ABEVD)
Ir para: navegação, pesquisa

ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas)[1] é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 1980 cujo objetivo é promover e desenvolver a venda direta no Brasil.[2]

Código de Ética[editar | editar código-fonte]

O Código de Ética orienta a conduta das empresas[3] nos relacionamentos com os vendedores diretos, assim como no relacionamento entre as próprias empresas e os consumidores. O objetivo maior do Código de Ética é contribuir para a promoção da concorrência leal e a melhora na percepção da sociedade sobre a venda direta como uma oportunidade de trabalho e geração de renda.

Setor[editar | editar código-fonte]

O setor de venda direta no Brasil conta com mais de 4,5 milhões de empreendedores em sua força de vendas, gera cerca de 8 mil empregos diretos no país e atingiu, em 2013, R$ 41,6 bilhões em volume de negócios.[2][4]

As empresas associadas atuam nos mais diversos setores da economia – de cosméticos e produtos de limpeza a recipientes plásticos para alimentos e suplementos nutricionais.[4]

Atuação Internacional[editar | editar código-fonte]

A ABEVD é membro da World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA)[5] [4]organização que congrega todas as associações nacionais de vendas diretas existentes no mundo.

A WFDSA é uma organização não governamental e voluntária. Atualmente, reúne entidades de vendas diretas de mais de 60 países diferentes. A ABEVD é um membro atuante desta entidade internacional.

Referências

  1. «Vendas diretas caem 2,2% no 1º semestre para R$ 19 bilhões, diz ABEVD - ISTOÉ DINHEIRO». www.istoedinheiro.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  2. a b «Conheça a ABEVD». ABEVD. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  3. «Empresas associadas». ABEVD. Consultado em 23 de setembro de 2016 
  4. a b c «Vendas diretas podem ser a saída para quem quer fugir da crise». Consultado em 23 de setembro de 2016 
  5. «Mercado diferente do tradicional vive ascensão no Brasil | A TRIBUNA – O melhor jornal da região». www.atribunamt.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2016