A Bela Adormecida (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de A Bela Adormecida (Disney))
Ir para: navegação, pesquisa
Sleeping Beauty
A Bela Adormecida (PT/BR)
Pôster original do filme.
 Estados Unidos
1959 •  cor •  75 min 
Direção Les Clark
Eric Larson
Wolfgang Reitherman
Produção Walt Disney
Roteiro Erdman Penner (adaptação)
Joe Rinaldi
Winston Hibler
Bill Peet
Ted Sears
Ralph Wright
Milt Banta
Charles Perrault (conto de fadas original)
Elenco Mary Costa
Eleanor Audley
Verna Felton
Barbara Luddy
Barbara Jo Allen
Bill Shirley
Taylor Holmes
Bill Thompson
Género Animação
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures
Distribuição Buena Vista Distribution
Lançamento Estados Unidos 29 de Janeiro de 1959
Brasil 6 de Fevereiro de 1959
Portugal 2 de Abril de 1961
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

A Bela Adormecida (no original em inglês: Sleeping Beauty) é um filme norte-americano do gênero animação produzido pela Disney em 1959 e baseado no conto de fadas homônimo do autor Charles Perrault.

É o décimo-sexto longa-metragem de animação dos estúdios Disney e foi lançado nos cinemas em 29 de Janeiro de 1959. O filme foi dirigido por Les Clark, Eric Larson e Wolfgang Reitherman e produzido por Walt Disney.

A Bela Adormecida foi um dos primeiros filmes ao usar todos os recursos do formato widescreen e foi o primeiro longa-metragem animado a ser filmado em bitola 70 mm.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na cerimônia de batismo da princesa Aurora foram convidados três fadas boas, mais Malévola, a bruxa malvada (como revelado no filme Malévola ela na realidade já foi uma fada boa). As três boas fadas Flora, Fauna e Primavera, foram agraciadas com presentes. Flora, beleza; Fauna, uma bela voz. Quando a Primavera estavam dando o seu dom, Malévola invadiu o castelo, aparentemente irritada por não ter sido convidada, e lançou na Princesa Aurora uma maldição, em que morreria por se picada com o fuso de uma roca de fiar no mesmo dia que cumprir 16 anos antes do pôr do sol (na realidade ela queria se vingar do Rei Stephen, pai de Aurora, que arrancou as asas de fada dela no passado para provar ao Rei Henry, avô de Aurora, que poderia ser rei). Felizmente, Primavera ainda não tinha feito o seu dom para Aurora, e usou seus poderes para mudar a maldição de Malévola: Aurora não morrer para picar a roda, mas apenas cair em um sono profundo, e simplesmente acordar com o primeiro beijo de amor. Em uma tentativa de proteger sua filha, o rei ordenou a seus súditos a queimar todas as rodas girando no reino. Para proteger Aurora de Malévola, a boa fada levou-a para viver com eles na floresta, eles mudaram o nome para Rosa, guardaram as varinhas e viveram como mortais como uma medida de segurança.

Aurora cresceu sem saber que ela era uma princesa e se tornou uma bela mulher. Um dia, suas três "tias", Flora, Fauna e Primavera, foram buscar morangos, enquanto elas estavam preparando uma festa de aniversário. Por insistência de Primavera, e vendo que os presentes, um bolo e um vestido, estavam vindo desastrosos porque o vestido era horrível e bolo derretido, então eles decidiram usar suas varinhas pela primeira vez em 16 anos, o que resultou em desastre, como Flora e Primavera começaram a discutir a cor do vestido, se ele deve ser rosa ou azul, e enquanto elas brigavam mudando a cor do vestido e roupas, não perceberam que jogando feitiços eles escapavam através da chaminé, que foram vistos por Diablo corvo de Malévola (que foi enviado para descobrir onde a princesa estava), então encontra a localização da princesa informa-lhe a sua mestra. Enquanto isso, Aurora pegou morangos e cantou, e foi ouvido pelo príncipe Philip, que caçava na floresta. Eles se encontraram e imediatamente caiu no amor uns com os outros, mas cada um sabe a identidade do outro. (Nessa passagem é a canção "Once Upon a Dream", que se transformou o filme em um clássico da Disney). Eles se separaram com a promessa de encontrar novamente naquela noite, mas ao voltar para casa, suas "tias" estavam esperando para revelar sua verdadeira identidade e seu noivado com um príncipe chamado Philip. Ele voltou para o castelo só para informar a seu pai que ele planejava se casar com uma camponesa que conhecera "uma vez em um sonho".

Fadas e Aurora voltam para o castelo dos pais da princesa, onde seria realizada sua festa de aniversário. Hipnotizada pela magia de Malévola e aproveitando um momento em que ela foi deixado sozinha pelas fadas para lamentar sua sentença, Aurora foi para um quarto no castelo que tinha sido por muito tempo sem uso, que encontrou uma roca. Ela espetou o dedo e caiu em um sono profundo. Fadas guardam a princesa Aurora na torre mais alta do castelo e a deitam na cama com uma rosa vermelha na mão, e para evitar o sofrimento dos pais da princesa, fez todo o reino dormir até que ela acordasse. Como eles fizeram, Flora ouviu o pai de Philip mencionar que seu filho se apaixonou por uma simples camponesa, a compreensão ao ouvir a frase "reuniu uma vez em um sonho", também dita por Rosa, fez Flora perceber que o príncipe Philip era o jovem que tinha conhecido Rosa. Philip havia sido sequestrado por Malévola para evitar Aurora e a acordar, a bruxa revela toda a verdade para aumentar a sua fúria, ela planejava tê-lo trancado em seu castelo por cem anos, mas as três fadas boas deu-lhe armas, a espada da Verdade e o Escudo da Virtude e ajudou a escapar. Malévola tentou impedir com a criação de uma floresta de espinhos negros para evitar que viesse para o castelo, mas graças à espada e escudo das fadas, Felipe quebrou. Príncipe conseguiu derrotar Malévola transfomada em dragão (para impedir a passagem), e quebrou o feitiço com um beijo, Malévola não morreu no final do filme como foi revelado no filme Malévola. No final do filme os dois amantes dançam juntos, enquanto Flora e Primavera discutem a rosa ou azul, enquanto mudam o vestido de Aurora.

Antes de seu batizado, a recém-nascida princesa Aurora é morta por uma maldição rogada pela perversa fada Malévola, no qual ela nasceu com 16 anos de idade e cai morta na eternidade. Estarrecidos com o terrível destino da filha, o rei e a rainha mandam secretamente que ela seja criada no campo por suas três fadas-madrinhas: Flora, Fauna e Primavera, até que chegue o esperado dia do seu décimo sexto aniversário. Aurora cresce com graça e beleza, sem saber que é na verdade é a herdeira do trono daquele reino, e muito menos que fora amaldiçoada desde o nascimento. Ela, porém, acaba se apaixonando pelo galante Philip sem mesmo saber que trata-se de um príncipe prometido a sua mão. No dia do seu décimo sexto aniversário, porém, Aurora é levada de volta ao reino, onde inevitavelmente a maldição se concretiza e a princesa cai num sono profundo.

Enquanto isso, o príncipe Philip, com a ajuda das três boas fadas, enfrenta Malévola até finalmente derrotá-la e livrar a princesa da maldição com um beijo de amor verdadeiro.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco
Personagem Dublagem EUA Dublagem BRA 1959 Dobragem POR 1995
Princesa Aurora/Rosa Mary Costa Maria Alice Barreto (diálogos)
Norma Maria (canções)
Carla Garcia (diálogos)
Ana Paula Almeida (canções)
Príncipe Felipe Bill Shirley Maurício Sherman (diálogos)
Osny Silva (canções)
Marco Medeiros (diálogos)
Manuel Rebelo (canções)
Malévola Eleanor Audley Heloísa Helena Rita Alagão
Flora Verna Felton Nancy Wanderley Cucha Carvalheiro
Fauna Barbara Jo Allen Nádia Maria Isabel Ribas
Primavera Barbara Luddy Joyce de Oliveira Leonor Alcácer
Rei Estevão Taylor Holmes Roberto de Cleto Joel Constantino
Rei Humberto Bill Thompson Hamilton Ferreira Paulo Oom
Rainha Leah Verna Felton Selma Lopes Luísa Salgueiro
Narrador Marvin Miller Aloysio de Oliveira Carlos Freixo

Créditos da dublagem brasileira:
Estúdio: Atlântida Cinematográfica, RJ
Mídia: Cinema/VHS/DVD/Blu-ray/TV Paga
Direção de dublagem: Luís Delfino
Tradução: Orlando Figueiredo
Versão musicais: Aloysio de Oliveira

Créditos da dobragem portuguesa:
Estúdio: Matinha-Estúdios de Som, Lisboa
Direcção de Dobragem: Carlos Freixo
Tradução: Rita Salgueiro
Direcção Musical: Pedro Gonçalves/Tom Jobim/Vinicius de Moraes e João Gilberto

Produção[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento preliminar de A Bela Adormecida teve início em 1950, com a produção atingindo seu auge em 1953.

A produção sofreu atrasos enquanto Walt Disney se dedicava à construção da Disneylândia e a vários projetos do estúdio para a televisão.

Música[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora do filme é composta de canções adaptadas do balé The Sleeping Beauty, de Piotr Ilitch Tchaikovsky. As partes que contém canto, foram compostas para o filme. Para o lançamento do DVD/Blu-Ray duplo do filme em 2008, a atriz Emily Osment gravou uma versão diferente da música "Once Upon A Dream". Em 2003, a banda No Secrets regravou a mesma para o álbum Disneymania 2. Em 2014, para o filme Malévola, Lana Del Rey também gravou uma versão de "Once Upon A Dream". Apesar das músicas terem sido dubladas para o filme, a trilha sonora nunca foi lançada no Brasil em outra língua além do inglês. No Brasil, a trilha sonora foi lançada pela primeira vez em LP com as canções em português. Para o lançamento do DVD "Edição Platinum", a trilha foi lançada em inglês no Brasil.

Tracklist:

  1. "Main Title"/"Once Upon a Dream"/"Prologue"
  2. "Hail to the Princess Aurora"
  3. "The Gifts of Beauty and Song"/"Maleficent Appears"/"True Love Conquers All"
  4. "The Burning of the Spinning Wheels"/"The Fairies' Plan"
  5. "Maleficent's Frustration"
  6. "A Cottage in the Woods"
  7. "Do You Hear That?"/"I Wonder"
  8. "An Unusual Prince"/"Once Upon a Dream (reprise)"
  9. "Magical House Cleaning"/"Blue or Pink"
  10. "A Secret Revealed"
  11. "Skumps (Drinking Song)"/"The Royal Argument"
  12. "Prince Phillip Arrives"/"How to Tell Stefan"
  13. "Aurora's Return"/"Maleficent's Evil Spell"
  14. "Poor Aurora"/"Sleeping Beauty"
  15. "Forbidden Mountain"
  16. "A Fairy Tale Come True"
  17. "Battle with the Forces of Evil"
  18. "Awakening"
  19. "Finale (Once Upon a Dream (third-prise))"

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Jogo de tabuleiro[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1959 (EUA)

Grammy 1959 (EUA)

  • Indicado na categoria melhor álbum de trilha sonora original - cinema/televisão.[2]

Young Artist Awards 1978/1979 (EUA)

  • Indicado na categoria melhor musical de entrterimento usando jovens.[3]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A Bela Adormecida foi lançado nos cinemas dos EUA em 29 de Janeiro de 1959 e foi re-lançado em 1970, 1979, 1986, 1993 e 1995; no Brasil foi lançado em 6 de Fevereiro de 1959. Em Portugal, o filme foi lançado em 2 de Abril de 1961, com estreia a nível nacional no Teatro Monumental, estando durante meses em exibição, passando a ser obrigatória a sua exibição no Natal. Houve rumores de que o filme seria exibido na RTP em 1966, aquando do Natal, mas depressa tal facto foi desmentido. A RTP não tinha dinheiro suficiente para pagar os respectivos direitos de autor do filme.

No ano de 2008 foi lançado o DVD duplo e Blu-ray duplo A Bela Adormecida - Edição Platinum, nos extras contém um videoclip da música Once Upon A Dream, cantado pela atriz Emily Osment. Também foi relançado em DVD e Blu-ray no ano de 2014, em Edição Diamante.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • O filme foi o mais caro da Disney desde Pinóquio (1940)
  • Este filme estreou em Portugal no ano de 1963, no Cinema Monumental, estando durante anos seguidos em exibição, sendo também seleccionado para os Natais como é o caso de "Pinóquio" e "Branca de Neve e os Sete Anões", sendo um dos marcos de êxito do Cinema Monumental.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
A Dama e o Vagabundo
Lista de filmes de animação da Disney
1950
Sucedido por
One Hundred and One Dalmatians


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre A Bela Adormecida (filme)