A Day at the Races (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Day at the Races
Um Dia nas Corridas (PT/BR)
Cartaz do filme
 Estados Unidos
1937 •  pb •  111 min 
Realização Sam Wood
Argumento Robert Pirosh
George Seaton
George Oppenheimer
Elenco Groucho Marx
Harpo Marx
Chico Marx
Allan Jones
Maureen O'Sullivan
Dudley Dickerson
Gênero comédia musical
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

A Day at the Races (em Portugal e no Brasil: Um Dia nas Corridas) é um filme de comédia musical estadunidense de 1937, realizado por Sam Wood. É o sétimo filme estrelado pelos Irmãos Marx e assim como o anterior, distribuído pela Metro-Goldwyn-Mayer, Uma Noite na Ópera de 1935, foi um grande êxito [1].

Elenco[editar | editar código-fonte]

Notas
  • Em My Life with Groucho: A Son's Eye View, Arthur Marx narra que em seus últimos anos de vida, Groucho se referia a ele mesmo com o nome de Hackenbush [2].

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Groucho Marx em cena do filme
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Hugo Z. Hackenbush é um veterinário da Flórida que é contratado como chefe dos médicos do Sanatório Standish pela proprietária, Judy Standish, por insistência da sua mais importante paciente, a hiponcondríaca milionária Emily Upjohn. O doutor conhecera a madame no passado e a namorara e ela achou que era um médico, e agora só quer ser tratada por ele. O sanatório está falido e o banqueiro J.D. Morgan quer comprá-lo para transformá-lo num cassino. Judy espera que Madame Upjohn fique satisfeita e faça uma grande doação para salvar o negócio. Enquanto isso, o namorado dela, o cantor Gil Stewart, compra um cavalo de corridas chamado Hi-Hat e espera conseguir o dinheiro necessário para saldar a dívida ganhando o grande prêmio. Mas o cavalo não treina bem e Gil não consegue pagar as despesas para cuidar do animal, sendo perseguido pelo Xerife. Ele é ajudado pelo vendedor trambiqueiro,Tony, e pelo jóquei Stuffy, que é despedido por Morgan ao se recusar a perder uma corrida. Tony e Stuffy descobrem que o Dr. Hackenbush é uma farsa mas resolvem ajudá-lo para que ele continue a agradar a Madame Upjohn. Mas o gerente de Judy, Whitmore, é aliciado por Morgan para que ajude a que o sanatório seja vendido então suspeita e tenta desmascarar Hackenbush de diversas maneiras. Em um de seus planos, ele contrata a prostituta Flo para que ela vá a quarto de hotel do veterinário enquanto ele chama a Madame Upjohn até lá, para que a ricaça se desiluda com o médico. Apesar de tudo, Judy, Gil e seus amigos conseguem se livrar atrapalhadamente de todas as trapaças e perseguições e inscrevem o cavalo dele no Grande Prêmio de Hipismo, no qual terão grandes chances de ganhá-lo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Os Irmãos Marx durante as filmagens, com o diretor Sam Wood.

O roteiro recebeu numerosas adaptações, melhoramentos e rascunhos antes de chegar à versão final. A maior parte foi escrita por Al Boasberg, mas por disputas com a MGM, optou por não receber qualquer crédito pelo seu trabalho. Ele havia escrito A Night At The Opera, com os Irmãos refinando o material durante uma excursão de vaudeville como pré-produção.

O personagem de Groucho era chamado originariamente de "Quackenbush" mas o nome foi trocado para "Hackenbush" por medo de um processo do verdadeiro Dr. Quackenbushes.

Durante a produção, Irving Thalberg,que havia levado os Irmãos Marx para a MGM, morreu repentinamente de pneumonia, com a idade de 37 anos. Após Thalberg, o estúdio nunca nais deu a atenção necessária aos comediantes, e os três filmes subsquentes que fizeram foram considerados bem inferiores aos dois primeiros lançados pela MGM [3]

O lançamento original de A Day at the Races apresentava as cenas do carnaval aquático em um tom sépia e a cena do balé com uma tonalidade azul [4]

Música[editar | editar código-fonte]

As canções do filme são de Bronislaw Kaper, Walter Jurmann e Gus Kahn: "On Blue Venetian Waters", "Tomorrow Is Another Day" e "All God's Chillun Got Rhythm" (com Ivie Anderson da Orquestra de Duke Ellington). Duas outras canções foram filmadas mas por acharem que a duração ficara muito longa, foram cortadas.Uma delas, "Dr. Hackenbush", foi cantada por Groucho e a letra era sobre um grande médico ("Não importa o tratamento que eu lhes dou que eles morrerão de alguma outra coisa"). A outra, "A Message From The Man In The Moon", cantada por Allan Jones, desaparece do filme mas a melodia é ouvida durante os letrieors de abertura, como música incidental, e é "reprisada" por Groucho durante a cena final. O DVD inclui o áudio gravado recentemente descoberto, com a interpretação de Allan Jones.

O filme apresenta também uma sequência de dança lindy hop (originária do Harlem) como acompanhamento da canção "All God's Chillun Got Rhythm", estrelada por Whitey's Lindy Hoppers e que incluem Willamae Ricker, Snookie Beasley, Ella Gibson, George Greenidge, Dot Miller, Johnny Innis, Norma Miller e Leon James [5]. Essa sequência foi indicada ao Óscar de Melhor Coreografia, categoria de curta duração.

Números musicais[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Resenhas contemporâneas continuam a avaliarem positivamente esse sétimo filme dos dos irmãos Marx. John T. McManus do The New York Times classificou-o de (em tradução livre, como as demais) "em comparação é um Marx ruim" embora ainda merecedor de um "muito melhor do que o exibido em geral" pois "qualquer imagem dos Irmãos Marx em movimento é uma melhoria de quase todos os pastelões do cinema"[6]. A Revista Variety declarou: "Filme infalivelmente divertido e acima da loucura usual dos Marxes "[7]. Harrison's Reports escreveu: "Muito bom! Os Irmãos Marx estão na sua melhor capacidade de divertir"[8]. John Mosher do The New Yorker também gostou, escrevendo que "Groucho, Harpo e Chico estão em plena explosão novamente" e o filme "está a um passo da febre mesmo além dos registros anteriores" [9]. O Chicago Tribune chamou de "farsa ridícula, embelezada com gags únicas, situações que provocam gargalhadas, ação rápida... O final deixa o público ir sorrindo e feliz"[10].

O filme foi reconhecido pelo American Film Institute nas seguintes listas:

Dr. Hugo Z. Hackenbush: "Se eu apertar mais, sairei pelas suas costas"
- Indicada[12]

Referências

  1. Giddins, Gary (18 de junho de 2000). There Ain't No Sanity Claus. The New York Times. Consultado em 3 de março de 2010 
  2. Marx, Arthur (Junho de 1991). My Life with Groucho: A Son's Eye View. Robson Book Ltd. ISBN 978-0-86051-494-7 
  3. Thames, Stephanie. "The Big Store" do TCM.com
  4. «A Day at the Races». Turner Classic Movies. Consultado em 27 de agosto de 2016 
  5. Manning, Frankie and Millman, Cynthia. Frankie Manning: Ambassador of Lindy Hop Philadelphia: Temple University Press, 2007
  6. The New York Times Film Reviews, Volume 2: 1932-1938. The New York Times & Arno Press. 1970. p. 1402 
  7. Film Reviews. Revista Variety. New York: Variety, Inc. p. 12 23 de junho de 1937 
  8. A Day at the Races. Harrison's Reports. New York: Harrison's Reports, Inc. p. 103 26 de junho de 1937 
  9. Mosher, John (June 19, 1937). The Current Cinema. The New Yorker. New York: F-R Publishing Corp. p. 79  Verifique data em: |date= (ajuda)
  10. Marx Brothers Go Fast Pace in 'Day at the Races'. Chicago Daily Tribune. Chicago: Chicago Daily Tribune. p. 9. 3 de julho de 1937 
  11. «AFI's 100 Years...100 Laughs» (PDF). American Film Institute. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  12. «AFI's 100 Years...100 Movie Quotes Nominees» (PDF). Consultado em 8 de agosto de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre A Day at the Races (filme)

Bibliografia

  • Buxbaum, Elisabeth: Veronika, der Lenz ist da. Walter Jurmann – Ein Musiker zwischen den Welten und Zeiten. Mit einem Werkverzeichnis von Alexander Sieghardt. Edition Steinbauer, Wien 2006, ISBN 3-902494-18-2
Outras
[1][2][3]