A Falecida (filme de 1965)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Falecida
Pôster do filme
 Brasil
1965 •  p&b •  85 min 
Direção Leon Hirszman
Produção Aloísio Leite Garcia
Joffre Rodrigues
Produção executiva Billy Davis
Roteiro Eduardo Coutinho
Leon Hirszman
Baseado em A Falecida
de Nelson Rodrigues
Elenco Fernanda Montenegro
Paulo Gracindo
Ivan Cândido
José Wilker
Gênero drama
Música Radamés Gnattali
Cinematografia José Medeiros
Direção de arte Régis Monteiro
Edição Nello Melli
Companhia(s) produtora(s) Meta Produções Cinematográficas Ltda.
Distribuição Herbert Richers
Meta Produções Cinematográficas Ltda.
Embrafilme
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

A Falecida é um filme brasileiro do gênero drama de 1965, dirigido por Leon Hirszman. Baseado na obra homônima de Nelson Rodrigues, o filme tem roteiro de Leon Hirszman e do documentarista Eduardo Coutinho. É o primeiro filme de Fernanda Montenegro. Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Zulmira é uma mulher obcecada pela ideia da morte e assim ter um enterro de luxo para compensar a sua vida simples e miserável num subúrbio do Rio de Janeiro. Ao saber que tem uma boa saúde, fica totalmente abalada e por fim acaba contraindo uma tuberculose. Como último pedido, pede ao marido desempregado um grande e luxuoso enterro. Para isso, precisa pedir dinheiro do homem mais rico do bairro, Guimarães (Paulo Gracindo). O homem não aceita pagar o funeral, e acaba contando que teve um caso com a falecida, isso sem saber que o sujeito com que esta falando é o viúvo. O marido, então enfurecido, passa a chantagear Guimarães.

Elenco [2][editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Atriz (Fernanda Montenegro) no Prêmio Governador do Estado de São Paulo - 1965.
  • Melhor Filme, Melhor Diretor (Leon Hirszman), Melhor Ator (Paulo Gracindo) e Melhor Argrumento (Nelson Rodrigues) no Segundo Festival de Cinema de Teresópolis - 1965.
  • Prêmio Gaivota de Ouro no Festival Internacional do Filme do Rio de Janeiro - 1965
  • Melhor Atriz (Fernanda Montenegro), Primeira Semana do Cinema Brasileiro
  • Quinto Lugar no Prêmio Governador do Estado de Guanabara, comissão de Auxilio à Indústria Cinematográfica do Rio de Janeiro - 1965.[carece de fontes?]

Referências

  1. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 
  2. Cinemateca Acessado em 4-5-14
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.