A Grande Família (1972)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de A Grande Família, veja A Grande Família (desambiguação).
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Grande Família 
Informação geral
Formato Série
Gênero Comédia de costumes
Duração 40 minutos (aprox.)
Criador(es) [nota 1]
País de origem  Brasil
Idioma original (português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Milton Gonçalves (1972)
Paulo Afonso Grisolli (1973-1975)
Walter Lacet (imagem)
Produtor(es) Daniel Filho
Câmera José Alcântara
Hélio Pol
Jorge Luiz
Ricardo Gonzaga
Ailton Roberto
Orlando Carvalho
Elenco Eloísa Mafalda
Brandão Filho
Jorge Dória
Paulo Araújo
Osmar Prado
Luiz Armando Queiroz
Djenane Machado (1972)
Maria Cristina (1973-1975)
Tema de abertura "A Grande Família"
Tom e Dito
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)

P&B (1972-1975)
PAL-M (1975)

Transmissão original 26 de outubro de 197227 de março de 1975
N.º de temporadas 4
N.º de episódios 109
Cronologia
A Grande Família (2001-2014)
Programas relacionados All in the Family

A Grande Família foi uma série de televisão brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 26 de outubro de 1972 a 27 de março de 1975, às 21h00, tendo totalizado 109 episódios.

Foi baseada, a princípio, no seriado norte-americano de sucesso All in the Family, tendo sido escrita por Max Nunes, Roberto Freire, Oduvaldo Viana Filho, Armando Costa e Paulo Pontes, e dirigida inicialmente por Milton Gonçalves, e depois por Paulo Afonso Grisolli.

A narrativa dos episódios se concentrava numa família sempre muito unida, que tentava, à sua maneira, sobreviver às dificuldades financeiras e de relacionamento. As críticas sociais eram feitas de forma muito criativa, na tentativa de driblar a censura da época, embora nem sempre fosse possível fugir dos cortes implacáveis dos censores.

Em março de 1975, a série passou a ser transmitida em cores.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A série originalmente mostra o cotidiano de uma típica família de classe média brasileira: o veterinário Lineu e da dona-de-casa Nenê, moram com seus filhos Tuco, Bebel, casada com Agostinho, Júnior, além do Seu Flor, pai de Nenê. O resultado são confusões hilariantes.

Os temas abordados, voltados para a realidade brasileira atual. Porém, as confusões da família continuam conquistando o público pela identificação com os personagens em seus conflitos e situações familiares típicas das famílias brasileiras.

Produção[editar | editar código-fonte]

Mesmo agradando ao público, o programa não atingia a repercussão esperada pela emissora. Foi então que Paulo Afonso Grisolli assumiu a direção geral do programa, chamando Oduvaldo Viana Filho e Armando Costa para adaptá-lo aos típicos hábitos e costumes brasileiros, abordando assuntos como o alto custo de vida, o desemprego e a falta de perspectivas para os jovens. Para além disso, a família se mudou para um conjunto habitacional do subúrbio, em abril de 1973. O objetivo era aumentar os índices de audiência, que não estavam agradando à Rede Globo, e as mudanças surtiram efeito: em apenas dois meses a audiência do humorístico disparou,[1] vindo finalmente o sucesso popular e a total adesão da crítica ao programa.

Com a morte de Oduvaldo Viana Filho, em 1974, outro autor teatral, Paulo Pontes, assumiu o cargo de redator principal, mas o clima de consternação na equipe foi tão grande que a série foi cancelada no ano seguinte.

Elenco[editar | editar código-fonte]

O especial de Natal[editar | editar código-fonte]

Em 22 de dezembro de 1987, a Rede Globo exibiu um especial de Natal com A Grande Família, reunindo todo o elenco original mais convidados especiais. O programa mostrava como estava a família doze anos depois, com o nascimento dos netos de Lineu e Nenê.

Foi escrito por Marcílio Moraes e dirigido por Paulo Afonso Grisolli.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Fatos sobre a produção[editar | editar código-fonte]

  • Denise Bandeira e Aída Leiner interpretaram as esposas de Júnior e Tuco, respectivamente.
  • Neste especial, a música-tema foi interpretada por Beth Carvalho.
  • Curiosamente, o ator Pedro Cardoso apareceu no especial como o segundo marido de Bebel que, então, estava separada de Agostinho. Quatorze anos depois, Pedro Cardoso foi escolhido para ser o próprio Agostinho na nova versão do seriado.
  • O "Lineu Silva" do seriado de 1972, Jorge Dória, e o "Tuco" do seriado de 2001, Lúcio Mauro Filho, fariam juntos um quadro no programa Zorra Total, Maurição e seu filho Mauricinho, um homossexual a contragosto do pai.
  • Os atores que fizeram o Floriano nas versões de 1972 e 2001, respectivamente Brandão Filho e Rogério Cardoso, fizeram parte do mesmo elenco da Escolinha do Professor Raimundo da década de 90.

Elencos[editar | editar código-fonte]

1º elenco
2º elenco
3º elenco

Todos que já passaram pela Grande Família[editar | editar código-fonte]

e outros

Lista de episódios[editar | editar código-fonte]

Primeira temporada (1972)

Segunda temporada (1973)

Terceira temporada (1974)

Quarta temporada (1975)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde agosto de 2009).
  • Esta foi a primeira comédia de situação (sitcom) exibida pela Rede Globo.
  • Em sua fase inicial, A Grande Família foi uma versão da série americana All in the Family, porém, para haver uma maior identificação do público com os personagens e, consequentemente, uma melhor audiência, o programa e os personagens foram reformulados, para torná-los tipicamente brasileiros.
  • O programa foi ao ar todas as quintas - feiras. O primeiro episódio foi transmitido ao vivo. foram produzidos 112 episódios.
  • A presença do personagem Júnior (Osmar Prado) se justificava em uma necessidade política do autor do seriado, Oduvaldo Viana Filho, o Vianinha, para fazer críticas sociais. por conta disso, era quase sempre censurado, e alguns episódios chegaram a ser proibidos de irem ao ar.
  • Djenane Machado se negou a continuar no segundo ano da série. Disse que não queria ficar marcada pelo seriado. foi então substituída de um episódio para o outro por Maria Cristina Nunes. e durante o episódio não se falou nada da substituição. Apenas um dos personagens disse que ela estava "um pouco diferente"
  • A primeira versão estreou no mesmo dia que a série Shazan, Xerife e Cia.. A série infantil começava às 21h e A Grande Família às 21h30, ambas com 25 minutos de duração. Depois, Shazam, Xerife e Cia. mudou de horário e A Grande Família passou a ter 45 minutos e a começar às 21 horas.
  • Em março de 1975, em sua primeira versão, o programa passou a ser transmitido em cores, mas logo foi suspenso, por causa da morte de Oduvaldo Vianna Filho. No ano seguinte, Paulo Pontes, que substituiu Vianninha como redator principal, também viria a falecer.
  • Nos primeiros episódios da versão atual, a atriz Suely Franco participava da série como Juva, namorada de Seu Floriano. Na versão original a personagem chamava-se Joventina e era vivida por Elza Gomes.

Notas e referências

Notas

  1. Apesar de Max Nunes e Roberto Freire serem os criadores originais do seriado, a Rede Globo nunca os creditou. Na abertura usada entre 1973 e 1975, era creditado "um programa de Oduvaldo Vianna Filho", sendo que ele só começou a escrever o seriado a partir de 1973. No seriado de 2001, a emissora creditava Oduvaldo e Armando Costa como autores originais.

Referências

  1. «Memória Globo - Rede Globo». Consultado em 29 de Dezembro de 2010