A Grande Valsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade. Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
The Great Waltz
A Grande Valsa (PT/BR)
 Estados Unidos
1938 •  p&b •  104 min 
Direção Julien Duvivier
Josef von Sternberg
(não creditado)
Victor Fleming
(não creditado)
Produção Bernard H. Hyman
(não creditado)
Roteiro Samuel Hoffenstein
Walter Reisch
Gottfried Reinhardt
Elenco Luise Rainer
Fernand Gravet
Miliza Korjus
Gênero Drama
Direção de arte Cedric Gibbons
Direção de fotografia Joseph Ruttenberg
Figurino Adrian
Edição Tom Held
Companhia(s) produtora(s) MGM
Distribuição MGM
Lançamento Estados Unidos 4 de novembro de 1938
Portugal 20 de fevereiro de 1940
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

A Grande Valsa[1][2] (em inglês: The Great Waltz) é um filme norte-americano de 1938, do gênero drama, dirigido por Julien Duvivier e estrelado por Luise Rainer e Fernand Gravet.

Notas sobre a produção[editar | editar código-fonte]

Hugh Herbert era originário, como tantos outros, do vaudeville e do teatro de comédia. Atuou em mais de cem filmes, a maioria em papéis coadjuvantes cômicos -- mas chegou a estrelar alguns deles. Movimentos bruscos e um som excitado -- uhh-uhh! -- eram as marcas registradas de seu estilo. Nascido em 1884, faleceu em 1952, em Los Angeles.[3]

Louis B. Mayer, amante da música de Johann Strauss, foi o principal incentivador de A Grande Valsa,[4] biografia tipicamente hollywoodiana do célebre compositor austríaco.

A equipe de produção era decididamente europeia: Luise Rainer de Viena, Fernand Gravet de Paris e Miliza Korjus de Budapeste. O diretor Duvivier era francês, enquanto Gottfried Reinhardt, que escreveu a história, veio da Alemanha. Finalmente, Dimitri Tiomkin, responsável pelas orquestrações, e o cinegrafista Joseph Ruttenberg eram russos.[4]

A estreante soprano Miliza Korjus revelou potencial dramático, porém só atuou mais uma vez no cinema, na produção mexicana Cabalería del Imperio, de 1942. Suas interpretações das canções de Strauss I'm in Love with Vienna e One Day When We Were Young tornaram-se grandes sucessos e foram pontos altos do filme.[4] Ela, inclusive, foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

Outro destaque é a câmera deslizante de Ruttenberg, cuja opulenta fotografia[5] valeu-lhe o primeiro de seus quatro prêmios Oscar.

A sequência mais lembrada é a do passeio de carruagem pelo campo, em que Gravet e Korjus improvisam sobre os "Contos dos Bosques de Viena.[5][6]

No total, são apresentadas dez composições de Strauss, todas com letras de Oscar Hammerstein II e cantadas, em sua maioria, por Miliza Korjus.

Em 1972, foi realizada outra produção com o mesmo título, estrelada por Horst Buchholz e dirigida por Andrew L. Stone, também sobre a vida do assim chamada Rei da Valsa.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Johan Strauss mantém um longo romance com a vocalista de ópera Carla Donner, enquanto sua esposa, Poldi Vogelhuber, sofre em casa. Entretanto, marido e mulher se reconciliam pouco antes de serem introduzidos na corte do Imperador Francisco José.[6]

Principais premiações[editar | editar código-fonte]

Patrocinador Prêmio Categoria Situação
Academia de Artes e Ciências Cinematográficas Oscar Melhor Atriz Coadjuvante (Miliza Korjus))
Melhor Fotografia
Melhor Edição
Indicado
Vencedor
Indicado

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Luise Rainer Poldi Vogelhuber
Fernand Gravet Johann Strauss (filho)
Miliza Korjus Carla Donner
Hugh Herbert Hofbauer
Lionel Atwill Conde Hohenfried
Curt Bois Kienzl
Leonid Kinskey Dudelman
Al Shean Violoncelista
Minna Gombell Senhora Hofbauer
George Huston Schiller
Bert Roach Vogelhuber
Greta Meyer Senhora Vogelhuber
Herman Bing Dommayer
Alma Kruger Senhora Strauss
Henry Hull Imperador Francisco José I

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. A Grande Valsa (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  2. A Grande Valsa (em português) no CineCartaz (Portugal)
  3. KATZ, Ephraim, The Film Encyclopedia, sexta edição, Nova Iorque: HarperCollins, 2008 (em inglês)
  4. a b c EAMES, John Douglas, The MGM Story, Londres: Octopus Books, 1982 (em inglês)
  5. a b Gomes de Mattos, Antonio Carlos (1991). Hollywood Anos 30. Rio de Janeiro: EBAL 
  6. a b ERICKSON, Hal. «The Great Waltz». AllMovie. Consultado em 30 de junho de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.