A Hora e a Vez de Augusto Matraga (2011)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
A Hora e a Vez de Augusto Matraga
Pôster de divulgação do filme.
 Brasil
2011 •  cor •  110 min 
Direção Vinícius Coimbra
Produção
Coprodução África Filmes
Globo Filmes
Roteiro
Elenco
Gênero drama
Cinematografia Bárbara Alvarez
Edição Karen Harley
Companhia(s) produtora(s) Gullane
Distribuição Pandora Filmes
Lançamento Brasil 24 de setembro de 2015
Estados Unidos 28 de Agosto de 2015
Portugal 3 de Dezembro de 2015
Idioma português
Orçamento R$ 4 milhões
Receita R$ 6.2 milhões[1]

A Hora e a Vez de Augusto Matraga é um filme de drama brasileiro de 2015 dirigido por Vinícius Coimbra, a partir de um roteiro dele e Manuela Dias. O filme é baseado no conto de mesmo nome do livro Sagarana, de João Guimarães Rosa, que já havia sido adaptado décadas antes por Roberto Santos no filme de 1965.[2][3] É protagonizado por João Miguel, Vanessa Gerbelli, Irandhir Santos, Chico Anysio, José Wilker e Werner Schünemann.

O filme estreou no Festival do Rio em 14 de outubro de 2011, onde se saiu como o grande vencedor da edição, e foi lançado no Brasil apenas em 24 de setembro de 2015. Apesar de não alcançar um sucesso comercial, o filme foi bem elogiado pelos críticos que, em geral, deram destaque à adaptação do texto e as atuações do elenco, o qual reúne nomes de peso do país.[4] Ao todo, o filme gerou uma receita de R$ 34.440,19 em sua exibição nos cinemas e teve um orçamento estimado em R$ 4.074.045,00.[5]

Por sua atuação no filme, João Miguel recebeu indicações a diversos prêmios. Ele foi premiado com Troféu Redentor de Melhor Ator no Festival do Rio, com o LABRFF de Melhor Ator, com o Prêmio APCA de Melhor Ator em Cinema e foi indicado pela Academia Brasileira de Cinema ao Grande Otelo de Melhor Ator. Chico Anysio venceu o Troféu Redentor de Melhor Ator Coadjuvante e o Grande Otelo de Melhor Ator Coadjuvante, postumamente, por seu desempenho no filme.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Um fazendeiro valente e mulherengo, Augusto Matraga (João Miguel), está prestes a declarar falência. Em meio a crise, sua esposa Dionóra (Vanessa Gerbelli) toma a decisão de abandoná-lo, levando a filha do casal, após receber uma proposta de Ouvídio Moura (Werner Schünemann). Toda essa situação desperta a raiva de Augusto que o leva a ir até a casa de Ouvídio em busca de vingança. Chegando lá, ele é espancando pelos capangas do Major Consilva (Chico Anysio), que o marcam com ferram e o jogam em direção a um precipício. À beira da morte, Augusto é então encontrado por um casal que o resgata e cuida dele para que se recupere. Cincos anos se passam e ele deixa o local, agora totalmente diferente e temente a Deus.[6]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme é uma adaptação do conto homônimo escrito por Guimarães Rosa e publicado no livro Sagarana, sendo essa a segunda adaptação para cinema dessa história, a primeira foi em 1965. Este é o primeiro filme dirigido por Vinícius Coimbra, que antes havia apenas dirigido alguns episódios de seriados e novelas, como Insensato Coração. O filme é também o primeiro longa-metragem de ficção produzido pela empresa Prodigo Films.[7]

As filmagens do filme ocorreram inteiramente no sertão de Minas Gerais. Para ambientar o cenário da história, alguns postes de iluminação foram retirados da rua para reconstituição. As filmagens foram rodadas em um período de cinco semanas e meia. À época das gravações, a atriz Vanessa Gerbelli era casada com o diretor do filme. O roteiro do filme é assinado por Vinícius Coimbra e Manuela Dias e à época do lançamento do filme no Festival do Rio eles já estavam casados.[7]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio/Festival Categoria Resultado
2011 Brasil Festival do Rio [8]
Melhor Longa-metragem Ficção (Voto Popular) Venceu
Melhor Longa-metragem Ficção (Voto Juri Oficial) Venceu
Melhor Ator coadjuvante para José Wilker Venceu
Melhor Ator para João Miguel Venceu
Melhor Ator coadjuvante (Voto Juri Oficial) para Chico Anysio Venceu
2012 Estados Unidos Los Angeles Brazilian Film Festival Melhor Ator para João Miguel Venceu
2015 Brasil Troféu APCA[9] Melhor Ator para João Miguel Venceu
2015 Brasil Grande Prêmio do Cinema Brasileiro [10][11] Melhor Ator para João Miguel Indicado
Melhor Ator coadjuvante para Chico Anysio Venceu
Melhor Fotografia Indicado
Melhor Roteiro Adaptado Indicado
Melhor Figurino Indicado
Melhor Maquiagem Indicado
Melhor Som Indicado
Melhor Montagem Indicado

Referências

  1. Daniel Feix (22 de outubro de 2015). «Lista: os filmes brasileiros campeões de bilheteria em 2015». Zero Hora. Consultado em 12 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 12 de janeiro de 2016 
  2. Um dos grandes filmes do ano, estreia nos cinemas 'A Hora e a Vez de Augusto Matraga'. O Estado de S. Paulo, 24 de setembro de 2015
  3. A Hora e a Vez de Augusto Matraga. RioShow
  4. AdoroCinema, A Hora e a Vez de Augusto Matraga: Críticas imprensa, consultado em 14 de outubro de 2021 
  5. «Cinema | Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual». oca.ancine.gov.br. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  6. AdoroCinema, A Hora e a Vez de Augusto Matraga, consultado em 14 de outubro de 2021 
  7. a b AdoroCinema, A Hora e a Vez de Augusto Matraga: Curiosidades, consultado em 14 de outubro de 2021 
  8. «'A hora e a vez de Augusto Matraga' é o grande vencedor do Festival do Rio». Consultado em 7 de Novembro de 2016 
  9. «Associação Paulista de Críticos de Artes premia Que Horas ela Volta? e Guilherme Fontes». AdoroCinema. 3 de dezembro de 2015. Consultado em 3 de Dezembro de 2015 
  10. Patrícia Teixeira (4 de outubro de 2016). «'Que horas ela volta?' leva 7 troféus no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro». G1. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  11. «"Que horas ela volta?" é o grande vencedor do Prêmio do Cinema Brasileiro». UOL. Consultado em 5 de Outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.