Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em Tonga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (vulgarmente conhecida como A Igreja Mórmon[1] ) em Tonga refere-se à contribuição de Tonga na História d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias desde sua assimilação no final do século XIX até a atualidade. A Igreja foi estabelecida no país em 1891, e, com pouco mais de 55 000 Santos dos Últimos Dias, se constitui como o país com maior densidade de mórmons no mundo, correspondendo a quase metade de sua população adepta deste segmento cristão.[2]

Uma igreja de fundamentação cristã com características restauracionistas[3] , a comunidade mórmon é a maior denominação originária do Movimento dos Santos dos Últimos Dias.[4] A sede da Igreja situa-se em Salt Lake City[5] e estabeleceu congregações em todo o mundo. Em 2009, a Igreja relatou um pouco mais de 13,8 milhões de adeptos em todo o mundo[6] , um crescimento de 27,4% comparado ao ano de 2006, onde eram 12,5 milhões de adeptos mundialmente, enquanto em 1990 eram apenas 7,7 milhões[7] .

História[editar | editar código-fonte]

A Igreja SUD foi estabelecida em Tonga em 15 de julho de 1891.

Em 1891, o rei George Tupou I foi visitado pelos primeiros missionários Santos dos Últimos Dias que desembarcaram em Tonga. Os missionários tinham como objetivo obter permissão do rei para realizar o proselitismo mórmon no país, e a permissão foi concedida. A primeira propriedade mórmon no país foi comprada ainda no mesmo ano, sendo uma casa de missão, onde também foi construída uma escola e um barco foi fixado para as viagens entre as ilhas do arquipélago. Com o passar dos anos, a denominação mórmon em Tonga começou a elevar seu crescimento, destacando-se entre as religiões do país.[8]

O primeira pessoa de nacionalidade tonganesa a ser convertido ao mormonismo chamava-se Alipate, em 1892.[2] Os primeiros missionários mórmons, que adentraram no país, foram Brigham Smoot e Alva J. Butler, responsáveis também pela criação do Distrito de Tonga e da Missão Tonga, esta surgida após a divisão da Missão Samoa.[2]

Em 1897, a Missão Mórmon de Tonga deixou de ser operada pela Igreja. No mesmo ano, os missionários mórmons estrangeiros que viviam no país retornaram à Samoa.[2] William O. Facer e Heber J. McKay, dois mórmons idosos, reestabeleceram a Missão em 1907.[2]

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos soldados Mórmons que estavam nas proximidades de Tonga frequentaram as reuniões religiosas locais. Após a guerra, a Igreja recebeu um forte crescimento no país, sendo que muitos jovens tonganeses foram chamados para servir como missionários mórmons.[8]

Em 1946, O Livro de Mórmon foi publicado no idioma tonganês, assim como outras doutrinas e exemplares da denominação, como Doutrina e Convênios. A Pérola de Grande Valor foi traduzida somente em 1960.[2]

As escolas contribuíram para a expansão e o crescimento da religião mórmon nas ilhas de Tonga. Em 1907, uma escola em Neiafu foi construída e operada pela Igreja, que também passou a operar outra escola em 'Eua, esta inaugurada em 1924. Um novo complexo educacional, a Liahona High School, foi criada em 1952, tornando-se uma das maiores e mais bem sucedidas instituições de ensino em Tonga.[8] [2] Esta mesma instituição enviou centenas de estudantes tonganeses para a Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, também operada pela Igreja Santos dos Últimos Dias.[2]

Em agosto de 1983, foi dedicado o Templo de Nuku'alofa, primeiro e único templo mórmon no país.[8]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Em 2010, havia 55 173 Santos dos Últimos Dias no país, em sua maioria vivendo na ilha principal, Tongatapu. O país possui, ainda, 16 estacas, 2 distritos, 165 alas (congregações), 39 ramos, 17 Centros de História da Família, 1 Missão e 1 Templo. Os mórmons no país representam 46% do total da população do país, sendo a segunda maior religião dos habitantes de Tonga.[8]

O Censo de Tonga de 2006[9] coloca a A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias como o segundo maior corpo religioso do país, com 16,8% da população, seguidos pelos católicos que somavam 15,6% da população do arquipélago.[9] Embora a igreja dominante no território seja a Igreja Wesleyana Livre de Tonga, nos últimos anos houve uma diminuição no número de seus adeptos, o mesmo acontecendo com a Igreja Católica. Ao mesmo tempo que essas duas denominações perderam seguidores, as demais aumentaram em número de fiéis, com destaque para a Igreja Livre de Tonga e A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sendo que os Santos dos Últimos Dias superou a Igreja Católica e tornou-se a segunda maior entidade religiosa no país.[9]

Missões[editar | editar código-fonte]

Quando os missionários chegaram pela primeira vez em Tonga, em 15 de Julho de 1891, Tonga fazia parte da missão de Samoa. Em 8 de julho de 1916, foi organizada a Missão de Tonga, que incluía a maior parte do Sul do Pacífico. A Missão Tonga foi renomeada em 10 de Junho de 1970, passando a chamar-se Missão Tonga Nuku'alofa. Em 23 de julho de 1971, foi estabelecida a missão Fiji, derivada da Missão de Tonga.[2]

Templo[editar | editar código-fonte]

Templo de Nuku'alofa, construído em 1983.

O Templo de Nuku'alofa é o 23º templo construído pela Igreja Mórmon. Foi anunciado em 2 de abril de 1980 e terminou de ser construído em 18 de fevereiro de 1981. Foi dedicado em 9 de agosto de 1983 por Gordon B. Hinckley e rededicado em 4 de novembro de 2007 por Russell M. Nelson. Está localizado no centro da principal ilha de Tonga, a ilha de Tongatapu. A área onde está situado o templo é popularmente conhecida como Liahona, após a igreja ter construído uma escola com esse nome no local. O templo localiza-se ao sul da capital, Nuku'alofa.[10]

É o único templo da denominação mórmon em Tonga, e tem planta semelhante ao de outros templos do sul do Pacífico, assim como o Templo de Apia (reconstruído em 2005) e o Templo de Papeete, no Taiti. Foi construído com um design moderno, com torre única, semelhante ao Templo de Berna, na Suíça e de Londres, Inglaterra. A maior parte das obras de construção do templo foi realizada pelo trabalho de missionários da Nova Zelândia e outras ilhas do Pacífico Sul. O templo foi construído sobre uma área de 20.000 metros quadrados e tem uma superfície total de 1.358 metros quadrados. Entre seus cômodos sagrados, destacam-se três quartos de vedação.[10]

Referências

  1. UOL. «Igreja Mórmon guarda registros para pesquisas genealógicas». Consultado em 24 de junho de 2010. 
  2. a b c d e f g h i Mission. «Mission history». Consultado em 21 de janeiro de 2011. 
  3. Vooz. «A comunidade mórmon se constitui como uma religião cristã restauracionista». Consultado em 24 de junho de 2010. 
  4. Princípios do Evangelho. «A Igreja de Cristo Foi Organizada Novamente». Consultado em 13 de maio de 2010. 
  5. Viagens & Imagens. «Salt Lake City». Consultado em 24 de junho de 2010. 
  6. «Statistical Report 2009 (Estatísticas e registros de 2009)» (em inglês). 
  7. InfoEscola (24 de novembro de 2007). «Reestruturação da igreja Mórmon». Consultado em 24 de junho de 2010. 
  8. a b c d e Web site oficial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. «Tonga». Consultado em 26 de maio de 2010. 
  9. a b c «Population Census 2006» (em inglês). Tonga Department of Statistics (em português: Departamento de Estatísticas de Tonga). Consultado em 13 de agosto de 2010. 
  10. a b LDS Chuches. «Templo de Nuku'alofa». Consultado em 21 de janeiro de 2011. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal Santos dos Últimos Dias