A Little More Personal (Raw)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de A Little More Personal)
Ir para: navegação, pesquisa
A Little More Personal (Raw)
Álbum de estúdio de Lindsay Lohan
Lançamento 6 de dezembro de 2005
Gravação 2005
Gênero(s) Pop rock, teen pop[1]
Duração 43:25
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, Download digital
Gravadora(s) Casablanca Records
Produção
Cronologia de Lindsay Lohan
Último
Speak
(2004)
Próximo
Singles de A Little More Personal (Raw)
  1. "Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)"
    Lançamento: 30 de setembro de 2005

A Little More Personal (Raw) é o segundo álbum de estúdio da cantora e atriz norte-americana, Lindsay Lohan, lançado pela Casablanca Records em 6 de dezembro de 2005. O álbum atingiu a posição #20 na Billboard 200 vendendo 82.000 cópias em sua primeira semana. [2] Inicialmente intitulado There's Only One Angel In Heaven, o álbum, produzido por Kara DioGuardi, Greg Wells, Ben Moody e Butch Walker, apresenta um material mais escuro do que o álbum anterior de Lohan, Speak, lançado em 2004. As sessões de gravação ocorreram em vários locais, incluindo o trailer de Lohan durante as filmagens de Herbie - Meu Fusca Turbinado, onde gravou o primeiro e único single do álbum, Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father).

O álbum foi certificado Ouro pela RIAA nos EUA depois de vender mais de 500 mil cópias no país.[3] O álbum não foi tão bem sucedido como Speak. O álbum também foi disco de Ouro em Taiwan por mais de 5 mil cópias vendidas. [4] No total, o álbum vendeu cerca de 2 milhões de cópias mundialmente.

Produção[editar | editar código-fonte]

Lohan começou a escrever canções para o álbum, em junho de 2005. Ela disse aos repórteres que o álbum seria mais pessoal do que seu álbum anterior. Lohan co-escreveu sete das doze faixas do álbum com Kara DioGuardi e Greg Wells. Ela também colaborou com Butch Walker, Andreas Carlsson, e Ben Moody em algumas das faixas. A produção do álbum terminou no final de agosto.

Estilo e temas[editar | editar código-fonte]

O álbum tem um tema mais dark do que seu álbum anterior. O primeiro single, "Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)", lida com seu relacionamento com seu pai. A canção, apesar de não mostrar a sua raiva por ele, mostra que ela ainda quer ter um relacionamento com ele. "Espero que ele veja o que digo na canção, é "eu te amo", tantas vezes, que eu preciso dele e as coisas loucas na minha vida. Espero que ele veja o lado positivo do vídeo em vez do negativo", disse Lohan. Outra canção é "My Innocence ", que também lida com seu relacionamento com ele.

"I Want You to Want Me" e "Edge of Seventeen" são covers de artistas, Cheap Trick e Stevie Nicks. "Fastlane" é sobre as estrelas, que passam por problemas para lidar com a fama. "If It's Alright", "If You Were Me" e "A Little More Personal" são todas canções sobre relacionamentos. "Black Hole" trata de perder alguém próximo a você e tentar conciliar com esse alguém. "I Live for the Day" é o oposto, descrevendo como ela tenta ser distante de alguém. "Who Loves You" é única canção pop no álbum, descrevendo o seu desejo por alguém. "A Beautiful Life (La Bella Vita)", uma faixa dedicada ao seu falecido avô materno, é sobre como ela ama sua vida, embora todos os problemas que tenha sofrido.

Recepção da critica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic (50/100)
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
allmusic 3 de 5 estrelas. [5]
Entertainment Weekly B−
Los Angeles Times 1.5 de 4 estrelas.
The New York Times Mista
PopMatters 3 de 10 estrelas.
Rolling Stone 2 de 5 estrelas. [6]
Slant Magazine 2.5 de 5 estrelas.

A Little More Personal (Raw) recebeu críticas mistas dos especialistas em música. O álbum contém uma pontuação de 50/100 baseado em 9 comentários, de acordo com o Metacritic.[7] Stephen Thomas Erlewine do AllMusic deu ao álbum três estrelas de cinco, dizendo: "Lindsay Lohan explicita claramente sua ambição no título de seu segundo álbum - A Little More Personal (Raw) - ela está se distanciando de seu álbum de estreia, Speak, cavando fundo em seu próprio coração, deixando sentimentos inundarem por todas as paginas". Erlewine também afirmou que o álbum "está longe de ser totalmente bem sucedido, é um intrigante mash-up do coração e do comércio, e com isso sugere algo que Speak não conseguiu: Lindsay Lohan pode ter uma real visão artística como cantora, que é de fato um enorme passo em sua carreira".[8] Leah Greenblatt do Entertainment Weekly disse que "como tantos discos de música pop atualmente, Personal tem mais de sua parcela de enchimento, e como todos os adolescentes, Lohan contradiz a si mesma. [...] Talvez a vulnerabilidade de Personal seja calculada, e sua crueza um equívoco, ou talvez ela esteja realmente se abrindo. Nós provavelmente nunca saberemos. Lindsay pode não estar mais na beira dos 17, mas, tendo 19, problematica, e ridiculamente famosa, isso ser muito profundo, então solte-a e deixe-a sangrar - só um pouco."[9]

Brian Hiatt da Rolling Stone disse que Lohan "comete um erro fatal em seu segundo álbum: Ela tenta, meio que se expressar",[10] enquanto um critico do Los Angeles Times também deu ao álbum uma crítica negativa, afirmando que, "no álbum quase que inteiro, [Lohan] soa como qualquer outro adolescente auto-destrutivo, ansiando por ser uma Alanis, Gwen e até mesmo Stevie Nicks."[11] Whitney Strub do PopMatters afirmou, "o que se pode esperar de um álbum que promete entregar algo mais pessoal, mas inclui letras, declarando: “no one knows how I feel inside/And I’m keeping it that way” (de “Fastlane”)?", e comentando que "com A Little More Personal, Lindsay Lohan nos lembra que, apesar de tais flores, pop ainda tem potencial para subir nas paradas enquanto combinando suavidade e banalidade".[12] Sal Cinquemani da Slant Magazine considerou A Little More Personal (Raw) "mais consistente do que o seu antecessor, e não é um pessimo disco a se ouvir, mas que depois de todos os pesares, não há muito de carne nesses ossos".[13]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

A Little More Personal (Raw) estreou em #20 na Billboard 200 no dia 24 de dezembro de 2005 com vendas de 82 mil cópias,[14] e permaneceu na parada por sete semanas. O álbum estreou na mesma semana também em numero #20 nas tabelas de álbuns digitais da Billboard, saindo da parada na semana seguinte.[15] A Little More Personal (Raw) foi certificado Ouro nos Estados Unidos pela RIAA depois de vender mais 500 mil cópias no pais.[16] Também foi certificado Ouro em Taiwan.[17]

Singles[editar | editar código-fonte]

"Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)" foi lançado como o primeiro single do álbum em 30 de setembro de 2005. Foi a primeira música de Lohan a entrar nas paradas americanas da Billboard Hot 100, atingindo a posição #57. O vídeo da música fez muito sucesso na MTV's Total Request Live, onde chegou ao número #1.

Originalmente, Lohan queria "Who Loves You" como o segundo single do álbum. Em vez disso, "I Live for the Day" foi lançado em 13 de janeiro de 2006 como o segundo single apenas na Austrália. Alcançou a posição #2 na Billboard E.U. MuzeTunes na sua data de abertura, e a posição #27 na Austrália ARIA Charts.

Um terceiro single foi anunciado, "Fastlane", que seria a música tema do filme de Lohan, "Just My Luck". A canção apareceu no trailer do filme, mas não entrou para a trilha. Não foi lançada como o terceiro single e todos os singles mais tarde foram cancelados. Assim, a divulgação do álbum terminou.

Faixas[editar | editar código-fonte]

A Little More Personal (Raw)
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Confessions of a Broken Heart (Daughter to Father)"  
  • Wells
  • DioGuardi
3:41
2. "Black Hole"  
  • DioGuardi
  • Louise Goffin
  • Wells
  • Wells
  • DioGuardi
4:02
3. "I Live for the Day"  
  • Wells
  • DioGuardi
3:10
4. "I Want You to Want Me"   Rick Nielsen
3:09
5. "My Innocence"  
  • Lohan
  • DioGuardi
  • Wells
  • Wells
  • DioGuardi
4:19
6. "A Little More Personal"  
  • Lohan
  • DioGuardi
  • Walker
  • Walker
  • DioGuardi
2:59
7. "If It's Alright"  
  • Lohan
  • DioGuardi
  • Walker
  • DioGuardi
  • Walker
4:07
8. "If You Were Me"  
  • Lohan
  • DioGuardi
  • Wells
  • Wells
  • DioGuardi
2:55
9. "Fastlane"  
Moody 3:23
10. "Edge of Seventeen"   Stevie Nicks Moody 4:22
11. "Who Loves You"  
  • DioGuardi
  • Wells
  • Wells
  • DioGuardi
3:50
12. "A Beautiful Life (La Bella Vita)"  
  • Lohan
  • Michelle Lewis
  • Charlton Pettus
  • DioGuardi
  • Wells
  • DioGuardi
3:28

Arte do Álbum[editar | editar código-fonte]

A capa do álbum apresenta um símbolo chinês 生 (Pinyin: Sheng; Cantonês: Sang), que significa "cru", há vários outros significados dependendo do contexto, incluindo a "vida" e "dar à luz".

Informações[editar | editar código-fonte]

A música "Black Hole" foi enviada a Kelly Clarkson para entrar em seu terceiro álbum, My December (2007), mas ela recusou. A faixa "A Beautiful Life" deste álbum, é destaque na trilha sonora da série americana The Hills.

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Posições[editar | editar código-fonte]

Chart (2005/2006) Posição
 Estados Unidos - Billboard 200 20
 Austrália - ARIA Charts 88
 Japão - Oricon 44
 Canadá - (Canadian Albums Chart) 23

Certificações[editar | editar código-fonte]

País (Empresa) Certificação
 Estados Unidos (RIAA) Ouro[18]

Referências

  1. http://www.allmusic.com/album/a-little-more-personal-raw-mw0000260413
  2. Billboard (24 de dezembro de 2005). «"Eminem Scores Fourth No.1 Album In A Row"» (em inglês). Billboard. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  3. «"American album certifications – Lindsay Lohan".» (em inglês). Recording Industry Association of America. 26 de novembro de 2005. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  4. «"Lindsay Lohan Ready for A Taiwan Tour".» (em inglês). Entertainment News Staff. 26 de dezembro de 2005. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  5. Avaliação no allmusic
  6. Avaliação na Rolling Stone
  7. http://www.metacritic.com/music/a-little-more-personal-raw
  8. Stephen Thomas Erlewine (6 de dezembro de 2005). «"A Little More Personal (Raw) - Album Review"» (em inglês). AllMusic. Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  9. Leah Greenblatt (9 de dezembro de 2005). «"Music Review - A Little More Personal (Raw)".» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  10. Brian Hiatt (28 de dezembro de 2005). «A Little More Personal (Raw) by Lindsay Lohan"» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  11. Randy Lewis (6 de dezembro de 2006). «"Reflections that don't cut deeply"» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 20 de setembro de 2012. 
  12. Whitney Strub (21 de dezembro de 2005). «"Lindsay Lohan: A Little More Personal (Raw)"» (em inglês). PopMatters. Consultado em 20 de agosto de 2011. 
  13. Sal Cinquemani (26 de novembro de 2005). «"Lindsay Lohan: A Little More Personal (Raw)"» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  14. Billboard (24 de dezembro de 2005). «"Eminem Scores Fourth No.1 Album In A Row"» (em inglês). Billboard. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  15. Billboard (24 de dezembro de 2005). «"Lindsay Lohan Album & Song Chart History".» (em inglês). Billboard. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  16. «"American album certifications – Lindsay Lohan".» (em inglês). Recording Industry Association of America. 26 de novembro de 2005. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  17. «"Lindsay Lohan Ready for A Taiwan Tour".» (em inglês). Entertainment News Staff. 26 de dezembro de 2005. Consultado em 20 de agosto de 2015. 
  18. «RIAA – Gold and Platinum – A Little More Personal (Raw)» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 11 de janeiro de 2016.