A Mentira de São João Crisóstomo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Mentira de São João Crisóstomo (em alemão: Die Lügend von S. Johanne Chrysostomo), publicada pela primeira vez por Martinho Lutero em 1537, é uma edição da "Vida de São João Crisóstomo" como um eremita, uma obra do final da Idade Média. Ela ficou famosa pelos comentários céticos e geralmente sarcásticos de Lutero nas margens. Sua publicação influenciou o declínio da popularidade das hagiografias a partir de então.

O título em alemão da edição de Lutero contém um trocadilho entre o termo "legend" ("hagiografia"), do alemão moderno, e o termo "lügend", que significa "mentindo". Este tipo de piada é característico da sátira e da polêmica do período da Reforma Protestante[1].

História[editar | editar código-fonte]

Lutero dedicou, de forma irônica, esta edição ao clero da Igreja Católica presente no Concílio de Mântua (1459), incluindo o papa[2]. Ele publicou sua edição com um comentário crítico — e até mesmo sarcástico — com o objetivo de expor a implausibilidade dos eventos contados na lenda do santo. O prefácio de Lutero acusa "a Igreja romana não apenas de ter propagado essas mentiras mas de ter recompensado com indulgências os fieis que as leram"[3].

A edição de Lutero foi publicada em Wittenberg, Augsburgo e Estrasburgo em 1537 com o título "Die Lügend von S. Johanne Chrysostomo, an die Heiligen Veter jnn dem vermeinten Concilio zu Mantua, durch D. Marti. Luther gesand".[4]. O texto que ele utilizou como base foi uma das muitas edições da coleção de hagiografias em alemão conhecida como "Der Heiligen Leben", presumivelmente uma versão similar à impressa em 1513 em Augsburgo por Johann Otmar[5].

Referências

  1. Schenda (1974), p. 187 n. 19.
  2. Kalinke (1996), p. 3.
  3. Kalinke (1996), p. 4.
  4. Fenelli (2013), p. 41, fn. 40
  5. Kalinke (1996), pp. 3-5.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Fenelli, Laura (2013). García García, Francisco de Asís; Walker Vadillo, Mónica Ann; Chico Picaza, María Victoria, eds. Animals and Otherness in the Middle Ages: Perspectives Across Disciplines. From the Vita Pauli to the Legenda Breviarii: Real and imaginary animals as a Guide to the Hermit in the Desert. Col: BAR International Series 2500 (em inglês). Oxford: Archaeopress 
  • Kalinke, Marianne E. (1996). The Book of Reykjahólar: The Last of the Great Medieval Legendaries (em inglês). Toronto: University of Toronto Press 
  • Schenda, Rudolf (1974). Brückner, Wolfgang, ed. Volkserzählung und Reformation. Ein Handbuch zur Tradierung und Funktion von Erzählstoffen und Erzählliteratur im Protestantismus. Hieronymus Rauscher und die protestantisch-katholische Legendenpolemik (em alemão). Berlin: Erich Schmidt Verlang 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]