A Mulher Invisível (telessérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Mulher Invisível
Informação geral
Formato Série
Gênero comédia
Duração 30 minutos
Criador(es) Guel Arraes
Cláudio Torres
Sansa F.
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Cláudio Torres
Carolina Jabor
Selton Mello
Elenco Selton Mello
Débora Falabella
Luana Piovani
Álamo Facó
Deborah Wood
Tema de abertura "Quit and Go Home" - Secrets in Stereo
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 31 de maio de 2011 - 20 de dezembro de 2011
N.º de temporadas 2
N.º de episódios 13
Cronologia
Programas relacionados A Mulher Invisível (filme)

A Mulher Invisível é uma série de televisão brasileira produzida e exibida pela Rede Globo em 2011[1]

Baseada no filme homônimo, sua primeira temporada teve 5 episódios exibidos entre 31 de maio a 5 de julho de 2011. Com o sucesso da série, sua segunda temporada foi exibida entre 1 de novembro e 20 de dezembro de 2011[2].

Luana Piovani, Selton Mello e Debora Falabella interpretam os protagonistas da série.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A série conta a história de Pedro e de Amanda, uma mulher que apenas ele pode enxergar e que reúne todos os atributos da amante ideal. A situação de Pedro é complicada. O rapaz está casado com Clarisse e vai precisar lidar com o fato de ter duas mulheres em sua vida. Para piorar, além de esposa, Clarisse é nada menos que a chefe de Pedro, dona da agência de publicidade onde ele agora trabalha. Para conseguir levar a situação adiante, Pedro conta com a ajuda de Wilson, que também é funcionário da agência de Clarisse. No entanto, pode-se dizer que Wilson não tem muito talento para dar conselhos e acaba colocando o amigo nas maiores confusões. A equipe da agência conta ainda com Silvinha, que é apaixonada por Wilson, apesar de viver uma relação de amor e ódio em função das escapulidas do rapaz.

Final da primeira temporada

No último episódio da primeira temporada, Clarisse acha que Pedro inventou Amanda para se livrar dos compromissos chatos com ela, e então termina com Pedro e resolve ir viajar para Paris. Pedro não consegue um jeito de provar para Clarisse que Amanda existe, mas, numa última conversa com Pedro no aeroporto, Clarisse revela que gostava de Amanda, o que é necessário para ver Amanda. E então Amanda aparece no aeroporto com um livro que Pedro deu a Clarisse e ela adorava, e Clarisse descobre que Amanda existe. No fim, elas acabam se tornando amigas.

Final da segunda (última) temporada

Pedro (Selton Mello) e Clarisse (Débora Falabella) tiraram alguns dias de folga e decidiram viajar. O publicitário não abriu mão da companhia de Amanda (Luana Piovani), mas Clarisse afirmou que só aceitaria a presença da mulher invisível no passeio se ela ficasse em um quarto separado. Pedro aceitou a exigência da esposa e a viagem foi um verdadeiro sucesso.

Completamente apaixonados, Clarisse e Pedro viveram momentos inesquecíveis, e acabaram deixando Amanda de lado. Empolgada com tanta paixão, a publicitária começou a questionar a importância da mulher invisível no relacionamento do casal. Ao perceber que sua presença não era mais tão importante, Amanda fez as malas e decidiu ser a mulher ideal de outras pessoas.

Ela saiu em busca de outros homens abandonados e acabou encontrando Wilson (Álamo Facó), que teve uma briga feia com Silvinha (Deborah Wood) depois de tentar conquistar uma estagiária da agência. Ele ficou surpreso por conseguir ver a mulher ideal que sempre sonhou, mas não parava de pensar em conseguir o perdão de sua amada.

Em um momento de fraqueza, Pedro se arrependeu de ter deixado Amanda, mas Clarisse o consolou dizendo que ele fez a escolha certa. Amanda sofreu com a perda de seu “cacarico”, mas logo inventou um Pedro imaginário para suprir sua carência.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Selton Mello Pedro
Debora Falabella Clarisse
Luana Piovani Amanda (Mulher Invisível)
Álamo Facó Wilson
Deborah Wood Silvinha carnodinha

Audiência[editar | editar código-fonte]

1ª Temporada:

Meta: 17 pontos

Data de Exibição Horário Emissora Audiência
31 de maio de 2011 23:00 Rede Globo 25
7 de junho de 2011 23:00 Rede Globo **
14 de junho de 2011 23:00 Rede Globo 23
21 de junho de 2011 23:00 Rede Globo 20
28 de junho de 2011 23:00 Rede Globo 19
5 de julho de 2011 23:00 Rede Globo 23

Média: 22 pontos.

2ª Temporada:

Meta: 17 pontos

Data de Exibição Horário Emissora Audiência
1 de novembro de 2011 23:00 Rede Globo 22
8 de novembro de 2011 23:00 Rede Globo 20
15 de novembro de 2011 23:00 Rede Globo 22
22 de novembro de 2011 23:00 Rede Globo 22
29 de novembro de 2011 23:00 Rede Globo 22
6 de dezembro de 2011 23:00 Rede Globo 22
13 de dezembro de 2011 23:00 Rede Globo 20
20 de dezembro de 2011 23:00 Rede Globo 21

Média: 21 pontos.

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reapresentada no formato de telefilme no especial de 50 anos da Rede Globo, "Luz, Câmera, 50 Anos", em 2 capítulos entre, 26 de maio (primeira parte) a 28 de maio de 2015 (segunda parte), substituindo Suburbia e sendo substituída por Hoje é Dia de Maria[3].

Foi representada na íntegra pelo Canal Viva entre 22 de janeiro e 13 de abril de 2016[4].

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
2011 Prêmio Extra Melhor série A Mulher Invisível Indicado[5]
Melhor ator Selton Melo Indicado[6]
2012 Prêmio Emmy Internacional Melhor série de comédia A Mulher Invisível Venceu[7]

Referências

  1. Moreno, Vitor. «"A Mulher Invisível" traz Luana Piovani como garota ideal». Folha de S. Paulo (01/06/2011). Consultado em 14 de janeiro de 2014. 
  2. «Com o fim de O Astro, seriados voltam ao ar». R7. 23 de outubro de 2011. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  3. «'Luz Câmera 50 anos' exibe 'A Mulher Invisível'». Area Vip. 22 de maio de 2015. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  4. «'A Mulher Invisível' chega ao canal pago Viva». Agora UOL. 19 de janeiro de 2016. Consultado em 20 de dezembro de 2017. 
  5. globo.com: Prêmio Extra de TV: "Tapas & beijos" ganha como Melhor Série, Extra Online (29/11/2011). Página visitada em 14 de janeiro de 2014.
  6. globo.com: Prêmio Extra de TV: Gabriel Braga Nunes leva o prêmio de melhor ator pelo vilão Léo, Extra Online (29/11/2011). Página visitada em 14 de janeiro de 2014.
  7. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome G1

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]