A Vênus das Peles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde março de 2012). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

A Vênus das Peles é a obra mais conhecida de Leopold von Sacher-Masoch. O autor teve, em vida, o projeto de publicar uma coleção de livros chamada "O Legado de Caim", na qual trataria a condição humana na Terra.

A história de A Vênus das Peles é protagonizada por Severin, um jovem nobre, cujo pai possuía terras na região da Galícia (Europa Oriental); e Wanda, uma também jovem viúva que vivia em sua propriedade nos Cárpatos. A paixão entre os dois personagens se inicia com uma discussão sobre a possibilidade de efetiva felicidade das duas partes em uma relação duradoura entre homem e mulher. Wanda e Severin discutem a possibilidade de uma relação entre homem e mulher trazer efetiva felicidade para ambas as partes. Uma suposta tendência a dominação rege a discussão, frequentemente representada pela figura de um martelo que golpeia uma bigorna, acusando que no amor um necessariamente domina (o martelo) e o outro necessariamente é dominado (a bigorna). A solução para a discussão é o elemento que tornou célebre o livro de Sacher-Mascoh, Severin sugere a Wanda que seja o seu escravo, acordo que é selado com um contrato que põe a vida de Severin nas mãos de sua amada. A história é salpicada de cenas em que o personagem é amarrado e chicoteado por Wanda e, mesmo, por uma cena em que ele é posto a puxar uma arado sob chicotadas. Severin declara sentir prazer com tais experiências, durante as quais, pede que sua amante vista-se com roupas de peles de animais.

O prazer em sentir dor e humilhação relatados pelo escritor foram eternizados sob o termo derivado de seu nome masoquismo pelo psiquiatra Richard von Krafft-Ebing. Ficando ainda mais conhecido depois que Sigmund Freud o emprega. No entanto, esse aspecto parece ser apenas o pano de fundo para a discussão da dominação no seio de uma relação amorosa; a qual Sacher-Masoch conclui ao final do livro: "[...]a mulher, tal como a natureza criou e como o homem atualmente a educa, é sua inimiga, podendo tão-somente ser sua escrava ou sua déspota - jamais a sua companheira. Isto, só quando ela tiver os mesmos direitos que ele, só quando por nascimento, pela formação e pelo trabalho, for igual a ele.".

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SACHER-MASOCH, Leopold von. A Vênus das Peles. São Paulo: Hedra, 2008.