Abaré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para pelo grupo indígena, veja Abarés.
Município de Abaré
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 19 de julho de 1962 (55 anos)
Gentílico abareense
Lema Desenvolvimento com justiça social
Prefeito(a) Fernando Jose Teixeira Tolentino[1] (PT)
(2017–2020)
Localização
Localização de Abaré
Localização de Abaré na Bahia
Abaré está localizado em: Brasil
Abaré
Localização de Abaré no Brasil
08° 43' 15" S 39° 06' 54" O08° 43' 15" S 39° 06' 54" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Vale São-Franciscano da Bahia IBGE/2008[2]
Microrregião Paulo Afonso IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Chorrochó e Curaçá
Distância até a capital 550 km
Características geográficas
Área 1 693,690 km² [3]
População 17 072 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 10,08 hab./km²
Altitude 318 m
Clima Semi-Arido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,595 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 47 934,317 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 2 610,52 IBGE/2008[6]
Página oficial

Abaré é um município do estado da Bahia, no Brasil. Sua população estimada em 2004 era de 14 776 habitantes.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Abaré" é um termo da língua tupi antiga que significa "padre". Era o nome que os índios davam ao rio que formava o vale onde se acha a cidade. O nome "Abaré" foi conferido à cidade em 1891.[7]

História[editar | editar código-fonte]

A região era primitivamente habitada por indígenas. Na primeira metade do século XIX, Nicolau Tolentino, procedente de Salvador, chegou para administrar terras recebidas de seu pai por doação, organizando a fazenda Abaré, local onde posteriormente edificou a capela de Santo Antônio. Em torno da construção religiosa, foram erguidas outras moradias, formando-se um povoado com a mesma denominação da fazenda.

Município criado com parte dos territórios dos distritos de Abaré e de Ibó, desmembrados de Chorrochó por força de Lei Estadual de 19 de julho de 1962. A sede foi elevada à categoria de cidade quando da criação do município. E seu primeiro prefeito foi o jovem comerciante Edésio Tolentino.

Economia[editar | editar código-fonte]

Agricultura: 3º produtor baiano de cebola e produção expressiva de tomate. Na pecuária, destaca-se o rebanho ovino. Conforme registros na JUCEB, possui uma indústria, sendo o 144º lugar na posição geral do estado da Bahia, e 172 estabelecimentos comerciais, na 195ª posição dentre os municípios baianos. Seu parque hoteleiro registra 25 leitos. Registro de consumo elétrico residencial (Kwh/hab): 65,71 - 256º no ranking dos municípios baianos.

Escolas[editar | editar código-fonte]

Edésio Tolentino, Estevão Soares, Santo Antônio, Eminelvino Soares, Walter Augusto Jones, São josé (no distrito de Ibó), Josefina Gomes de Araújo (Ibó) e Isabel da Silva Resende (Ibó)

Turismo[editar | editar código-fonte]

Na zona urbana do município, existem igrejas do início do século XX. Na zona rural, há prática de passeios de barco pelo Rio São Francisco e a praia do Porto.

Há bares, lanchonetes e restaurantes, bem como serviços de aluguel de barcos e canoas.

Praia do Porto - Praia fluvial urbana com cerca de 400 metros de extensão e vegetação de caatinga. A areia é grossa e de cor dourada. Na margem do rio, funciona um ponto de ancoragem natural para pequenos barcos e canoas. Um grande cruzeiro com base de alvenaria e cruz de madeira, medindo cerca de 3 metros de altura, encontra-se localizado na praia. Passeios de Barco - Na Praia do Porto, existem barcos e canoas que podem ser alugadas para passeios no rio São Francisco.

Locais de interesse[editar | editar código-fonte]

Praça Nicolau Tolentino, Praça Municipal, Igreja de Santo Antônio, bares da cidade.

Artesanato[editar | editar código-fonte]

Bordado, crochê, cerâmica utilitária.

Folclore[editar | editar código-fonte]

Pastoril, Dança de São Gonçalo, quadrilha

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Acarajé, abará, peixe frito, peixada, buchada de bode ou de carneiro, galinha de capoeira, bode assado e guisado.

Festa populares[editar | editar código-fonte]

Festa do Agricultor, Festa de Santo Antônio (padroeiro), Festas de São João e São Pedro, carnaval e aniversário da cidade.

Esporte[editar | editar código-fonte]

A seleção de futsal é uma das melhores da Bahia: no ano de 2006, foi vice-campeã da Taça Rede Bahia de Futsal e campeã da zonal da Tv São Francisco.

Referências

  1. «Fernando Tolentino 13». Eleições 2016.com.br. Consultado em 22 de maio de 2017 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 541.