Abdelmajid Lakhal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abdel Majid Lakhal
Abdelmajid Lakhal num café de Tunes
Outros nomes Abdelmajid Lakhal
Nascimento 29 de novembro de 1939
Bizerta, Tunisia Tunísia
Morte 27 de setembro de 2014 (74 anos)
Outros prêmios

  • 1983: 1° prêmio como protagonista no Festival das Televisões Árabes
  • 1989: Oficial de Mérito
Página oficial
IMDb: (inglês)

Abdelmajid Lakhal, nome transliterado também como Abdel Majid (Bizerta, 29 de novembro de 1939 - 27 de setembro de 2014), foi um ator e diretor de teatro e de cinema tunisiano popular não somente no mundo árabe, mas também na França e na Itália.

Aqui está um ator que nunca se aposentará
Jornal Presse Magazine, 7 de maio 2000

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Bizerta em 29 de novembro 1939, já com nove anos trabalha em Khatimatou Ennafaf ("O fim de um morfinomaníaco") e passa toda a juventude em Hammam-Lif.[1]

Quando està com dezesseis anos a «...paixão pelo Teatro pega ele definitivamente». Nesta época, trabalha no grupo teatral Jeunes Comediens no Círculo Estudantil de Hammam-Lif. Em 1960 entra oficialmente no Conservatório Nacional de Teatro, Música e Dança de Tunes. Em 1964 atende o Serviço Militar.

Em 1965 dirige Georges Dandin, ou o marido confundido de Molière com o Grupo Ennouhoud de Tunes e em 1968 na criação de Amleto em Hammamet é assistente à direção de Aly Ben Ayed.

Em 1971 atende a primeira direção profissional com Oito Mulheres de Robert Thomas e em 1974 diretor de O Mercador de Veneza de Shakespeare.

Abdelmajid Lakhal num momento de relax, 2007

Abdelmajid Lakhal falece[2][3] em 27 de setembro 2014, e foi enterrado no mesmo dia no cemetério de Boukornine, perto de Hammam Lif[4][5]

Televisão[editar | editar código-fonte]

As emissões de televisão na Tunísia começaram em 1966:

  • 1967 : O quarto ator de Noureddine Kasbaoui
  • 1967 : Le Médecin malgré lui de Molière
  • 1967 : L'Avare de Molière
  • 1970 : Interdit au public (Prohibido ao publico) de Roger Dornès e Jean Marsan
  • 1973 : J'avoue de Hamadi Arafa
  • 1974 : Histoire d'un poème de Noureddine Chouchane
  • 1976 : Ziadatou Allah II de Ahmed Harzallah (Novela em cuatro episódios)
  • 1983 : Yahia Ibn Omar de Hamadi Arafa (Novela em cuatro episódios) (Primeiro Prêmio pela interpretação)
  • 1984 : Cherche avec nous (Procurem conosco) de Abderrazak Hammami (Novela que durou cuatro anos)
  • 1985 : El Watek bellah el hafsi de Hamadi Arafa (Novela em cuatro episódios)
  • 1989 : Cantara de Jean Sagols (Novela da Televisão francesa Antenne 2)
  • 1991 : Les gens, une histoire de Hamadi Arafa
  • 1992 : Autant en emporte le vent de Slaheddine Essid (Novela de 14 episódios)
  • 1994 : Par précaution (Por precaução) de Safoudh Kochairi
  • 1996 : L'homme de la médina (O cara da cidade) de Paolo Barzman
  • 1996 : Abou Raihana de Fouaz Abdelki (30 episódios)
  • 1999-2001 : Souris à la vie (Sorriso à vida) de Abderrazak Hammami (Por duas vezes os trinta episódios)
Abdelmajid Lakhal numa entrevista, no Hotel Saint Georges em Tunes, 2006

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 1981: Mirages de Abdelhafidh Bouassida
  • 1987: La mort en face de Mohamed Damak
  • 1990: O primeiro guarda em Um menino de nome Jesus de Francesco Rosi
  • 1991: Le vent des destins (O vento do destino) d'Ahmed Jemaï
  • 1993: Échec et mat de Rachid Ferchiou
  • 2000: Fatma de Khaled Ghorbal
  • 2000: Une Odyssée de Brahim Babaï

Teatro[editar | editar código-fonte]

O teatro é, realmente, a verdadeira e mais importante paixão na vida de Abdelmajid Lakhal. Ele trabalhou muito como ator, mas a aspiração dele sempre foi a realização de clássicos, traduzidos e representados, completamente ou em parte, em árabe.

Realização não-profissional[editar | editar código-fonte]

  • 1960: Les femmes en danger de Ezzeddine Souissi com o Grupo Union générale des étudiants Tunisiens (União geral dos Estudantes Tunesinos)
  • 1965: Georges Dandin, ou o marido confundido de Molière
  • 1974: La Vie est belle (A Vida è bela (Operetta) com o grupo de Teatro El Manar
  • 1985: La Vie de temps à autre de Salah Zouaoui com o Grupo da Cidade de Bizerta
  • 1988: Nahar al jounun (Folia) de Frej Slama pegado de Taoufik Hakim com o grupo Casa da Cultura Ibn-Khaldoun

Realização profissional[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 1983: 1° prêmio como protagonista no Festival das Televisões Árabes
  • 1989: Oficial de Mérito

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Abdelmajid Lakhal falava árabe como língua materna e francês muito bem. Falava também um pouco de inglês e italiano.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Abdelmajid Lakhal
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Abdelmajid Lakhal