Abel Epalanga Chivukuvuku

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Abel Epalanga Chivukuvuku
Líder do CASA-CE
Período 2012 - 2019
Dados pessoais
Nascimento 11 de novembro de 1957
Bailundo, Huambo, Portugal Portugal Angola Portuguesa
Partido UNITA (1974-2012)
CASA-CE (2012-2019)
UNITA (2022-presente)

Abel Epalanga Chivukuvuku (Bailundo, 11 de novembro de 1957) é um linguista, administrador e político angolano, figura de destaque na oposição. É deputado da Assembleia Nacional desde 1992.

É também brigadeiro da Força Aérea Nacional de Angola.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Abel Chivukuvuku nasceu no município de Bailundo, província do Huambo, como filho de Pedro Sanjando Chivukuvuku e Margarida Chilombo Chivukuvuku. É casado com Maria Vitória Chivukuvuku e tem dois filhos.[1]

Frequentou, em Huambo, o Liceu Norton de Matos, que concluiu em 1975.[1]

Trajectória política[editar | editar código-fonte]

Integrou-se à União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) em 1974.[1] Durante a Guerra Civil Angolana, foi alistado (1979) no braço armado da UNITA, as Forças Armadas de Libertação de Angola (FALA).[1] Entre 1982 e 1986 foi promovido a tentente e chefe adjunto dos Serviços de Inteligência Militar das FALA, com escritório em Quinxassa.[1]

Em 1986 foi enviado à Alemanha Ocidental para receber treinamento em telecomunicações e serviços de inteligência militares, recebendo a partente de tenente-coronel.[1] Foi designado como representante adjunto da UNITA em Portugal em 1987, quando segue para o Reino Unido onde exerceu idênticas funções.[1] Neste país ingressou na Universidade de Cambrígia onde licenciou-se em língua inglesa.[1]

Já com a patente de brigadeiro, entre 1989 e 1991 representou a UNITA junto da Organização das Nações Unidas (ONU) e dos países do Leste Europeu, tendo sido depois nomeado chefe adjunto da delegação da UNITA na Comissão de Conjunta Político-Militar (CCPM).[1]

Em 1992, no início do multipartidarismo em Angola, foi designado secretário de relações externas da UNITA, desempenhando também as de cabeça de lista para as eleições parlamentares daquele ano.[1]

Em 1993, aquando da retomada da Guerra Civil, foi ferido em Luanda e mantido sob custória pelo governo angolano durante um ano.[1] A seguir, passou a ser assistente político do presidente da UNITA, Jonas Savimbi, em cujo nome manteve contactos com José Eduardo dos Santos, presidente de Angola.[1] Ao mesmo tempo, exerceu as funções de deputado, sendo líder da bancada da UNITA em 1997/1998.[1]

Em 2001 foi enviado pelo partido para licenciar-se em relações internacionais na Universidade da África do Sul, especializando-se na mesma instituição em administração do desenvolvimento.[2][3]

Terminada a Guerra Civil, em 2002, foi eleito para as funções de secretário para assuntos parlamentares, constitucionais e eleitorais da UNITA.[2][3]

Manifestando desde 2010 a sua insatisfação com e postura intransigente e pouco pragmática da UNITA e do seu presidente, Isaías Samakuva,[2] Chivukuvuku demitiu-se como membro deste partido,[2] fundando em março de 2012 um novo movimento partidário que culminou na Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE).[4][5] Liderança em franca ascensão, levou a coligação a surpreendentes resultados eleitorais em 2012[3] e 2017.[6]

Em fevereiro de 2019 Chivukuvuku foi destituído da liderança da CASA-CE, tomando seu lugar André Mendes de Carvalho "Miau",[7] e depois Manuel Fernandes.[8] Tentou fundar o "Partido do Renascimento Angolano-Juntos por Angola" (PRA JA-Servir Angola), mas teve o pedido indeferido e foi obrigado a refiliar-se à UNITA para participar das eleições gerais de Angola de 2022 como vice-cabeça de lista da agremiação, reelegendo-se para mais um mandato como deputado.[9]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m Lusa (14 de julho de 2007). «Angola/ UNITA: Dados biográficos de Abel Chivukuvuku». Jornal de Notícias 
  2. a b c d Abel Chivukuvuku quebra silêncio sobre candidatura. DN. 13 de março de 2012.
  3. a b c Abel Chivukuvuku (CASA/CE): Acabar com a pobreza e a corrupção. Euronews. 21 de agosto de 2017.
  4. Abel Chivukuvuku renuncia à Unita e cria novo partido, Angola Press, Política, 14 de Março de 2012
  5. «Abel Epalanga Chivukuvuku». Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral. Consultado em 22 de agosto de 2018. Arquivado do original em 22 de agosto de 2018 
  6. Lusa (25 de agosto de 2017). «MPLA vence com 61,70% dos votos em Angola». Diário de Notícias. Consultado em 7 de setembro de 2017 
  7. Abel Chivukuvuku destituído da liderança da CASA-CE. DW. 26 de fevereiro de 2019.
  8. Angola: Manuel Fernandes é o novo presidente da CASA-CE . 9 de fevereiro de 2021.
  9. Angola: Governo de Luanda rejeita marcha da oposição por riscos de segurança. DW. 29 de julho de 2022.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.