Abel Sauerbronn de Azevedo Magalhães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Abel Magalhães
Interventor no Rio de Janeiro
Período 6 de novembro de 1945
até 10 de fevereiro de 1946
Antecessor Alfredo da Silva Neves
Sucessor Lúcio Meira
Dados pessoais
Nascimento 30 de maio de 1881
Cantagalo, Rio de Janeiro
Morte 1 de abril de 1969 (87 anos)
Niterói, Rio de Janeiro
Profissão magistrado

Abel Sauerbronn de Azevedo Magalhães ou simplesmente Abel Magalhães (Cantagalo, 30 de maio de 1881Niterói, 1 de abril de 1969[1]), foi um advogado, magistrado e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do desembargador José Alves de Azevedo Magalhães e de Ana Sauerbronn. Casou-se com Helena Meireles. Tiveram uma filha.

Iniciou e concluiu os seus estudos primários e secundários no Colégio Cunditt. Bacharelou-se em direito na Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais, no Rio de Janeiro, em 11 de janeiro de 1902.

Foi juiz de direito no estado do Rio de Janeiro; juiz do Tribunal Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro; juiz e desembargador do Tribunal de Apelação do estado do Rio de Janeiro, quando a capital era na cidade de Niterói; presidente do mesmo Tribunal; desembargador do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

No magistério, foi professor substituto de Economia Política; professor catedrático de Direito Administrativo e diretor da Faculdade de Direito de Niterói (UFF), no Estado do Rio de Janeiro, da qual foi um dos seus fundadores.

Quando exercia o cargo de presidente do Tribunal Regional Eleitoral, foi nomeado interventor federal no Rio de Janeiro, administrando o estado de 6 de novembro de 1945 a 10 de fevereiro de 1946.[2]

Também foi membro da Comissão de Revisão Jurídica dos Contratos do Ministério de Viação; membro da Comissão de Contratos do Estado do Rio de Janeiro; membro da Academia Fluminense de Letras, do Instituto dos Advogados Fluminenses (do qual foi 1º Vice-Presidente), da Associação dos Magistrados Brasileiros, do Instituto de Proteção e Assistência à Infância de Niterói (Diretor); e do Patronato dos Menores Abandonados.

Referências

  1. Jornal do Brasil, 6 de abril de 1969, p. 36.
  2. LACOMBE, Lourenço Luiz. Os chefes do Executivo Fluminense. Petrópolis, RJ : Museu Imperial, 1973.
Precedido por
Alfredo da Silva Neves
Interventor no Rio de Janeiro
6 de novembro de 1945 a 10 de fevereiro de 1946
Sucedido por
Lúcio Meira
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.