Abi Feijó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abi Feijó
Nome completo Álvaro da Graça de Castro Feijó
Nascimento 18 de junho de 1956 (63 anos)
Braga
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Realizador e produtor cinematográfico

Álvaro da Graça de Castro Feijó, mais conhecido por Abi Feijó (Braga, 18 de Junho de 1956), é um cineasta e produtor cinematográfico português de animação.

Filiação[editar | editar código-fonte]

Filho de Rui Maria Malheiro de Távora de Castro Feijó (Viana do Castelo, 25 de Março de 1921), neto materno do 4.º Visconde da Carreira e sobrinho materno do 2.º Conde da Carreira, e de sua segunda mulher (Braga, 2 de Janeiro de 1954) Margarida Larcher da Graça (Braga, 22 de Setembro de 1930).

Formação[editar | editar código-fonte]

Abi licenciou-se na Escola Superior de Belas Artes do Porto em arte gráfica e design.

Foi o fundador d' O Filmógrafo, em 1987, assim como da Casa da Animação, no Porto, em 2000.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • Oh que Calma (1985)
  • A noite saiu à rua (1987)
  • Os Salteadores (1993)
  • Fado Lusitano (1995)
  • Clandestino (2000)

Museu da Imagem Animada[editar | editar código-fonte]

Com o apoio do programa comunitário Proder, Abi Feijó está a lançar um Museu da Imagem Animada no solar de família que herdou na freguesia de Vilar do Torno e Alentém, em Lousada, projectado para abrir até ao final de 2013.

O museu ocupa três salas no solar centenário. Uma delas é dedicada aos trabalhos do próprio Abi Feijó e de Regina Pessoa, desde a aventura do estúdio Filmógrafo até à actividade actual da Ciclope Filmes; a segunda sala é uma galeria para mostrar os desenhos de realizadores e animadores amigos de todo o mundo; e a terceira é destinada a ilustrar a história do ao pré-cinema, com várias lanternas mágicas, brinquedos ópticos e outras peças que mostrem a evolução das imagens em movimento.

Para esta sala, Abi Feijó espera poder contar com a colaboração da Cinemateca Portuguesa, com o empréstimo temporário de peças da sua colecção e espólio[1].

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Individual
    • Medalha de ouro de mérito cultural da Câmara Municipal do Porto (1996)
    • Prémio Reconhecimento no âmbito do “Prémio Nacional Manuel Pinto de Azevedo, Jr” (1999)
    • Prémio de Reconhecimento – Fantasporto (2000)
    • Prémio Boneco Rebelde - Amadora Cartoon (2000)
    • Prémio Ardenter Imagine nos Caminhos do Cinema Português (2001) em Coimbra
    • Prémio “Árvore” nos 30 Anos do 25 de Abril – reconhecimento do trabalho desenvolvido na área do Cinema.
    • Prémio La Luna de Valencia - Cinema Jove (2005) - Valência (Espanha)
    • Prémio António Maria – Cinanima (2005)
  • Realizador
    • Menção Honrosa para o filme “Oh que calma”, em Varna (1985) (Bulgária)
    • Prémio Agfa (Melhor Curta Metragem Portuguesa) para o filme “Oh que calma”, em Tróia (1985)
    • Menção Honrosa para o trabalho desenvolvido com as crianças do Arbusto, no Juvecine (1987) (Porto)
    • Menção Honrosa pela totalidade do seu trabalho, no Fantasporto (1988) (“A Noite saiu à Rua” e genérico do “Fantasporto”)
    • Menção Honrosa pela qualidade gráfica do filme “A noite saiu à rua”, em (1988) (Aveiro)
    • Prémio SACD para o projecto de “Os Salteadores”, em Annecy (1989) (França)
    • 2º Prémio 16mm para “Oh que calma” em San Roque (1991) (Espanha)
    • Prémio Cidade de Espinho (Prémio Especial do Júri) com “Os Salteadores”, no Cinanima (1993) (Espinho)
    • Menção Honrosa para “Os Salteadores”, no Festival Internacional de Curtas Metragens de Vila do Conde (1994)
    • Tatu de Ouro para “Os Salteadores”, em Jornada de Cinema da Bahia (1994) (Brasil)
    • Prémio Glauber Rocha para “Os Salteadores” em Jornada de Cinema da Bahia (1994) (Brasil)
    • Prémio Especial do Júri Cartoon d’Or para “Os Salteadores”, no Fórum Cartoon Açores (1994)
    • Espiga de Ouro para “Os Salteadores”, na 39ª Semana Internacional de Cine de Valladolid (1994) (Espanha)
    • 1º Prémio para “Os Salteadores”, no Festival Tous Courts (Aix-en-Provence) (França)
    • 2º Prémio para “Os Salteadores”, em Badajoz (1995) (Espanha)
    • Prémio Melhor Animação para “Os Salteadores”, no Festival Internacional de Cinema do Algarve (1995)
    • Menção Honrosa para “Os Salteadores”, em Annecy (1995) (França)
    • Ânfora Memória de Água (Escolha Livre do Júri) “Os Salteadores”, no Filmvideo (1995) (MonteCatini - Itália)
    • Prémio Alves Costa (Prémio da Crítica) para “Fado Lusitano”, no Cinanima (1995) (Espinho)
    • 1º Prémio para “Fado Lusitano”, no AnimaTeruel (1995) (Espanha)
    • Menção Honrosa para “Os Salteadores”, em San Roque (1996) (Espanha)
    • 1º Prémio para “Fado Lusitano”, no Festival de Larissa (1996) (Grécia)
    • Prémio da Crítica para “Fado Lusitano”, no Festival de Larissa (1996) (Grécia)
    • Prémio Júri Jovem para “Fado Lusitano”, no Festival Internacional de Cinema do Algarve (1996)
    • 2º Prémio para “Fado Lusitano”, no Festival de Badajoz (1996) (Espanha)
    • Tatu de Prata para a melhor montagem, para “Fado Lusitano”, no Festival da Bahia (1996) (Brasil)
    • Prémio do Público para “Os Salteadores”, na Semana do Cinema Português da Covilhã (1996)
    • 1º Prémio (Curtas Metragens) para “Fado Lusitano”, no Festival Internacional de Cinema do Uruguai (Uruguai)
    • Prémio Jules Cherêt – Annecy (1997) – melhor cartaz de Animação, “Fado Lusitano” (França)
    • Prémio FNAC – Melhor Argumento Português para “Clandestino”, CINANIMA (2000) (Espinho)
    • Prémio Cartoon Portugal – Melhor Filme de Animação Português para “Clandestino”, CINANIMA (2000) (Espinho)
    • Prémio onda Curta – Fantasporto (2001) para “Clandestino”
    • Prémio melhor Curta Metragem nos Caminhos do Cinema Português (2001) (Coimbra), para “Clandestino”
    • Prémio do Público nos Caminhos do Cinema Português (2001) (Coimbra), para “Clandestino”
    • Prémio Melhor Animação – Festival de Évora (2001), para Clandestino
    • Prémio melhor Animação – Matitta (2001) (Itália), para Clandestino.
    • Prémio Fabrizio Bellochio – Il Castelli Animatti (2001) (Itália), para Clandestino.
    • Menção Honrosa –32nd Roshd Int'l Film Festival (2002) (Irão), para Clandestino
    • Grande Prémio – Anifest (2003) (Trebon) (Républica Checa) – para Clandestino
  • Produtor
    • Gatofone - Menção Honrosa, Cinanima (1997)
    • Transformações - Prémio Jovem Cineasta Português, Cinanima (1997)
    • Abecedário - Menção Honrosa (Prémio Cartoon Portugal), Cinanima (1999)
    • A Casa do João - Menção Honrosa (Prémio Jovem Cineasta), Cinanima (1998)
    • Menção Honrosa (Competição Internacional), Cinanima (1998)
    • A Noite de Regina Pessoa - Prémio Jovem Cineasta Português, Cinanima (1999)
    • Menção Honrosa (Competição Internacional), Cinanima (1999)
    • Menção Honrosa (Prémio Cartoon Portugal), Cinanima (1999)
    • Prémio Onda Curta (RTP) Fantasporto (2000)
    • Melhor Filme de Animação Badajoz (2000) (Espanha)
    • Menção Honrosa do Júri Jovem Dresden (2000) (Alemanha)
    • Faro Jury Award, The Ulisses International Film and Television Festival for Children (2000)
    • Prémio Europeu “Massimo Troisi” 3º Concurso Cinematográfico Tirrenia (2000) (Itália)
    • Prémio Cortometragio Animate EUROPACINEMA e TV (2000) – Viarregio (Itália)
    • Interstícios - Prémio Cartoon Portugal (Melhor Filme de Animação Português)
    • Prémio Especial do Júri Festival Internacional de Cinema Experimental de Madrid (2002) (Espanha)
    • Melhor Curta Metragem Portuguesa – Festival de Angra do Heroísmo, Açores (2002)
    • Coisas & Loiças - Prémio FNAC (Melhor Argumento Português) Cinanima (2001)
    • Melhor Animação, Festivideo (2002) (Portugal)
    • OvarVídeo (2002)
    • História Trágica com Final Feliz - Prémio Especial do Júri / Cidade de Espinho – Cinanima (1995)
    • Prémio da Crítica /Alves Costa – Cinanima (2005)
    • Prémio Especial do Júri RTP2: Onda Curta – Cinanima (2005)
    • Prémio nacional António Gaio – Cinanima (2005)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências