Abraão I de Agebatanque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abraão I
Bandeira da Igreja Apostólica Armênia
Nascimento
Agebatanque
Morte 610/611 ou 615[1]
Nacionalidade Armênio
Ocupação Bispo
Religião Igreja Apostólica Armênia

Abraão I de Agebatanque (em armênio/arménio: Աբրահամ Ա Աղբաթանեցի) foi católico de todos os armênios da Igreja Apostólica Armênia de 607 até 610/611 ou 615. Foi sob seu catolicossato que ocorreu a ruptura entre a Igreja Armênia e a Igreja Ortodoxa Georgiana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Abraão era originário de Agebatanque, no cantão de Rechtunique, na província armênia de Vaspuracã.[2] Com a morte do católico Moisés II em 604, Abraão foi o candidato do marzobam Simbácio IV Bagratuni, mas o sínodo responsável pela eleição do novo pontífice estava dividido e incapaz de chegar a um consenso; um lugar-tenente, Vertanes, o Gramático, foi designado para administrar a Igreja Armênia até 30 de abril de 607, quando um novo sínodo levou à eleição de Abraão.[3] O novo católico, anti-calcedônio, herdou o anti-católico calcedônio imposto pelo falecido imperador bizantino Maurício I (r. 582–602), João de Bagarã; João, no entanto, viria a falecer sem sucessor em 611,[4] e seus partidários uniram-se com Abraão.[5]

Abraão, porém, teve que enfrentar o fim da comunhão entre a Igreja Armênia e a Igreja da Geórgia, cujo católico Círio I (que já havia recebido uma reprimenda de Vertanes), concordou com o calcedonismo, apesar de uma intensa correspondência entre os os dois prelados; Abraão excomungou-o por este motivo o que findou as relações religiosas com os ibéricos como foi declarado em um concílio em Dúbio em 608/609.[6] Abraão reuniu-se com o metropolita de Siunique para manter a comunhão com o catolicossato da Albânia.[7]

Abraão foi o patrocinador da reconstrução da catedral de São Gregório de Dúbio, concluída sob seu sucessor.[8] Quando o católico de todos os armênios faleceu em 610/611 ou 615[1] foi sucedido por Comitas.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Vertanes, o Gramático
(como lugar-tenente)
Católico de todos os armênios
607-610/611 ou 615
Sucedido por
Comitas

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Boisson-Chernorhokian, Patricia (1996). «Vision chalcédonienne et non chalcédonienne de la liste des patriarches de l'Église arménienne jusqu'au xe siècle». In: Nina Garsoian. L'Arménie et Byzance : histoire et culture. Paris: Publicações da Sorbona. ISBN 2-85088-017-5 
  • Grousset, René (1947). Histoire de l’Arménie des origines à 1071. Paris: Payot 
  • Hovannisian, Richard G. (1997). Armenian People from Ancient to Modern Times vol. I: The Dynastic Periods: From Antiquity to the Fourteenth Century. Nova Iorque: Palgrave Macmillan. ISBN 978-1-4039-6421-2 
  • João V de Drascanaqueta (2004). Histoire d'Arménie, Introduction, traduction et notes par Patricia Boisson-Chernorhokian. Lovaina: Peeters Publishers. ISBN 978-9042913691 
  • Redgate, Anne Elizabeth (2000). The Armenians. Oxford: Blackwell Publishing. ISBN 0-631-22037-2