Abraham Senior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abraham Senior
Outros nomes Fernão Perez Coronel, Fernando Perez Coronel
Nascimento 1412
Reino da Espanha
Morte 1493
Reino da Espanha
Nacionalidade Flag of Spain.svg Espanha
Ocupação Rabino, Banqueiro

Abraham Senior (Segovia, c. 1412 - c. 1493) foi um banqueiro e o último rabino-mor da Espanha. Após o Decreto de Alhambra, foi forçado à conversão ao cristianismo e passou a adotar o nome de Fernão, Fernán ou Fernando Peres Coronel[1][2][3].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Abraham Senior teve importância significativa na corte espanhola, figurando como um dos personagens centrais nas negociações que levaram ao casamento dos Reis Católicos em 1469 e na reconciliação entre a rainha Isabel de Castela e seu meio-irmão, Henrique IV de Castela. Gozava de especial consideração por parte da rainha Isabel que, em gratidão por seus serviços, lhe concedeu uma pensão vitalícia[4].

Por ocasião do Decreto de Alhambra que oferecia aos sefarditas a opção de exílio ou conversão ao catolicismo, Abraham Senior tentou intervir, valendo-se de sua influência sobre os Reis Católicos, contando com a ajuda de seu amigo Isaac Abravanel. Senior e Abravanel clamaram pela revogação do decreto, oferecendo fortunas, sem êxito[5]. Por ter 80 anos na época do decreto, Senior optou pela conversão, enquanto Isaac Abravanel decidiu deixar o reino.

Em uma cerimônia intensamente divulgada como estratégia política, ocorrida no dia 15 de junho de 1492, Abraham Senior teve como padrinhos os reis em pessoa. Após a conversão, adotou o nome de seu padrinho, o rei Fernando e o sobrenome Coronel[6].

Um dos mais dedicados pesquisadores brasileiros sobre a biografia de Senior é o genealogista Cândido Pinheiro Koren de Lima que, em seu livro O Legado do Rabino Abraham Senior[7], informa que o personagem em questão foi um judeu responsável pela captação dos impostos na Espanha que, por ocasião do Decreto de Alhambra que determinava exílio ou conversão ao cristianismo, optou por esta última por ser já de idade avançada. Adotando o nome de Fernão Peres Coronel, tornou-se o primeiro deste sobrenome. Alguns de seus descendentes deixaram a Península Ibérica, deixando longa linhagem especialmente na Região Nordeste do Brasil[8][9].

Descendentes Notáveis[editar | editar código-fonte]

O cantor Chico Buarque e seu pai, o historiador Sérgio Buarque de Holanda são descendentes documentados de Abraham Senior[10].

Em um de seus livros, o pesquisador Cândido Pinheiro Koren de Lima aponta evidências documentais de que a portuguesa Branca Dias, processada pelo Tribunal do Santo Ofício de Lisboa e fugida para o Brasil no período colonial, teria sido descendente de Abraham Senior ou de um de seus irmãos[11]:

Uma pista sobre a origem familiar fornece-nos a filha Andreza Jorge que nos afirma chamar-se a mãe Branca Dias Coronel (...) que remete sua origem ao último rabino-mor da Espanha, Abraham Senior (...) (Branca Dias, Tomo I, página 25 - Fundação Gilberto Freyre: 2012).

Reparação Histórica[editar | editar código-fonte]

Entre 2015 e 2019, o governo espanhol aprovou uma lei[12] cujo objetivo era o de conceder cidadania aos descendentes de judeus prejudicados pelo Decreto de Alhambra. Pretendeu-se, assim, reparar os danos causados pela perseguição religiosa. Ao longo destes anos, mais de 130 mil pessoas de todo o mundo apresentaram requisição, demonstrando serem descendentes de sefarditas, dentre os quais vários brasileiros[13][14].

Referências

  1. Joseph Jacobs e Meyer Kayserling. «Jewish Enciclopedia: SENIOR, ABRAHAM» (em inglês). Consultado em 13 de maio de 2020 
  2. Cândido Pinheiro Koren de Lima. "O Legado do Rabino Abraham Senior" (Fundação Gilberto Freyre, 2014). [S.l.: s.n.] ISBN 978-85-85197-19-3 
  3. Daniela Tonello Levy (2008). «Judeus e Marranos no Brasil Holandês - Pioneiros na Colonização de Nova Iorque» (PDF). Consultado em 13 de maio de 2020 
  4. Yolanda Moreno Koch, Ricardo Izquierdo Benito. Del pasado judío en los reinos medievales hispánicos: afinidad y distanciamiento Universidad de Castilla La Mancha, 2005 (em espanhol). [S.l.: s.n.] ISBN 8484273881 
  5. Eloy Benito Ruano. Tópicos y realidades de la Edad Media, Volumen 1 - Real Academia de la Historia, 2000 (em espanhol). [S.l.: s.n.] ISBN 8489512809 
  6. Conversão ocorrida em Valladolid, segundo a Jewish Encyclopedia. Em Guadalupe, segundo o pesquisador Enrique de Diego op. cit. y Miguel Ángel Ladero Quesada (Coronel, 1492: de la aristocracia judía a la nobleza cristiana de los Reyes Católicos, Cahiers du CRIAR, n° 21, 2002, pg. 43, onde reproduz fonte contemporânea)|língua=Espanhol
  7. «Relação do acervo da Biblioteca Genealógica da ASBRAP». Consultado em 13 de maio de 2020 
  8. «Estudo genealógico traça origens do povo nordestino». Jornal O Povo. 17 de setembro de 2014. Consultado em 13 de maio de 2020 
  9. «No Recife, três livros sobre formação genealógica do NE são lançados». 10 de dezembro de 2014. Consultado em 13 de maio de 2020 
  10. Léa Vincour Freitag (2008). «O judeu em cada um de nós». Consultado em 13 de maio de 2020 
  11. Cândido Pinheiro Koren de Lima. "Branca Dias" (Fundação Gilberto Freyre, 2012). [S.l.: s.n.] ISBN 978-85-85197-21-6 
  12. «Solicitud de nacionalidad española para sefardies de origen español». Consultado em 13 de maio de 2020 
  13. «Mais de 130 mil sefarditas de todo o mundo pediram nacionalidade espanhola». 1 de outubro de 2019. Consultado em 13 de maio de 2020 
  14. Marilia Marasciulo (6 de julho de 2019). «Por que brasileiros estão tentando provar vínculo com judeus sefarditas». Consultado em 13 de maio de 2020