Abre-te Sésamo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Abre-te Sésamo
Álbum de estúdio de Raul Seixas
Lançamento outubro de 1980 (1980-10)
Gravação 1980
Estúdio(s) Estúdios CBS, no Rio de Janeiro
Gênero(s)
Duração 31:58
Idioma(s) Português
Formato(s)
Gravadora(s) Discos CBS
Produção Mauro Motta e Raul Seixas
Cronologia de álbuns de estúdio
Por Quem os Sinos Dobram
(1979)
Raul Seixas
(1983)
Singles de Abre-te Sésamo
  1. "Abre-te Sésamo / Abre-te Sésamo"
    Lançamento: 1980 (1980)
  2. "Anos 80 / Minha Viola"
    Lançamento: 1980 (1980)

Abre-te Sésamo é o décimo álbum de estúdio do cantor e compositor brasileiro Raul Seixas, com gravações realizadas em 1980 nos Estúdios CBS, no Rio de Janeiro, e lançado pela gravadora Discos CBS em outubro de 1980.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

No início de 1980, após o lançamento de dois discos com baixas vendagens - Mata Virgem, de 1978, e Por Quem os Sinos Dobram, de 1979 - e até problemas com a polícia, Raul é dispensado da gravadora WEA. Sem contrato de gravação e tentando se recuperar dos problemas que dificultavam sua carreira - principalmente uma pancreatite crônica que o afligia há alguns anos em decorrência do abuso de álcool e outras drogas - o cantor procura seu antigo parceiro, Mauro Motta, dos tempos em que era o produtor musical conhecido como "Raulzito". Motta era diretor artístico da gravadora Discos CBS e, assim, Raul assina um contrato para a gravação de um disco.[1]

Gravação e produção[editar | editar código-fonte]

Lá, Raul grava Abre-te Sésamo, com a parceria do velho amigo Cláudio Roberto.[2]

Resenha musical[editar | editar código-fonte]

O disco fez algum sucesso na época, com as músicas "Aluga-se" e "Rock das 'Aranha'", e vendeu razoavelmente bem.[3] Contudo, ambas as músicas foram censuradas. "Aluga-se" era uma forte crítica sobre a relação do governo brasileiro com outros países, principalmente os EUA.[4]"Rock das 'Aranha'" foi censurada devido à sua letra sexualmente explícita.[5] Raul chegou a declarar anos mais tarde que a canção é um plágio de "Killer Diller" do cantor Jimmy Breedlove.[6] A música "Angela" foi feita em homenagem à companheira de Raul, Kika Seixas.[carece de fontes?] O disco também inclui uma música de seu pai, Raul Varella Seixas, "Minha Viola".[7]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Porém, em 1981, Raul Seixas rescinde o contrato com a CBS, por pedirem que gravasse um LP em homenagem a Lady Diana. Raul ficaria 3 anos sem gravadora e apenas voltaria com um novo disco de músicas inéditas em 1983, no álbum Raul Seixas, da gravadora Eldorado.[8]

Relançamentos[editar | editar código-fonte]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções escritas e compostas por Raul Seixas e Cláudio Roberto Andrade de Azevedo, exceto onde especificado. 

Lado A
TítuloCompositor(es) Duração
1. "Abre-te Sésamo"    2:33
2. "Aluga-se"    2:38
3. "Anos 80"  Raul Seixas - Dedé Caiano 2:49
4. "Angela"    2:41
5. "Conversa pra Boi Dormir"  Raul Seixas 2:28
6. "Minha Viola"  Raul Varella Seixas 2:57
Duração total:
16:07
Lado B
TítuloCompositor(es) Duração
1. "Rock das 'Aranha'"    1:50
2. "O Conto do Sábio Chinês"  Raul Seixas 1:50
3. "Só pra Variar"  Raul Seixas - Cláudio Roberto - Kika Seixas 2:39
4. "Baby"    3:05
5. "É Meu Pai"    3:42
6. "À Beira do Pantanal"    2:42
Duração total:
15:51

Créditos[editar | editar código-fonte]

Créditos dados pelo Discogs.[9]

Músicos[editar | editar código-fonte]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Medeiros 2019
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de outubro de 2013. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  3. http://raulsseixas.wordpress.com/biografia-raul-seixas/
  4. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de outubro de 2013. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  5. Ricardo Cravo Albin (2002). Driblando a censura: de como o cutelo vil incidiu na cultura. [S.l.]: Gryphus. 155 páginas. 9788575100141 
  6. Carmem Cacciacarro. Fala Rock. [S.l.]: Editora Garamond. 35 páginas. 9788576170747 
  7. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de outubro de 2013. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  8. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de outubro de 2013. Arquivado do original em 4 de outubro de 2013 
  9. «Raul Seixas - Abre-te Sésamo». Discogs. N.d. Consultado em 7 de dezembro de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Medeiros, Jotabê (2019). Raul Seixas: Não diga que a canção está perdida. São Paulo: Todavia. ISBN 658030961X 
  • Mauro, André (1980). Raul Seixas: A teimosia braba do guerreiro. Rio de Janeiro: Revista Música 
  • Jorge, Cibele Simões Ferreira Kerr (2012). Raul Seixas: Um produtor de mestiçagens musicais e midiáticas. São Paulo: Tese de Doutorado. PUC-SP