Abrigada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Abrigada  
—  Freguesia portuguesa extinta  —
Brasão de armas de Abrigada
Brasão de armas
Abrigada está localizado em: Portugal Continental
Abrigada
Localização de Abrigada em
Coordenadas 39° 08' 41" N 9° 01' 07" O
Concelho primitivo Alenquer
Concelho (s) atual (is) Alenquer
Freguesia (s) atual (is) Abrigada e Cabanas de Torres
Extinção 2013
Área
 - Total 39,23 km²
População (2011)
 - Total 3 320
    • Densidade 84,6 hab./km²
Orago Nossa Senhora da Graça

Abrigada foi uma freguesia portuguesa do concelho de Alenquer, com 39,32 km² de área e 3 320 habitantes (2011)[1]. A sua Densidade populacional era 84,4 hab/km².

Foi extinta (agregada), em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia de Cabanas de Torres, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Abrigada e Cabanas de Torres da qual é sede.[2]

Antiga Freguesia de Abrigada

História[editar | editar código-fonte]

Inicialmente conhecida pelo nome de "Amieiro" por causa das árvores até ao século XVI, o novo nome Abrigada parece derivar de "A brigada" devido à presença de brigantes nesta zona, perto da estrada que vai desde Alenquer até Leiria no fim do século XVI, durante o período das guerras de sucessão de Portugal depois da morte do rei-cardeal D. Henrique. Antiga possessão da família Gorjão Henriques do Bombarral, o morgado da Abrigada foi depois no século XIX atribuído por casamento a José Maria Camilo de Mendonça, que foi o 1º Visconde da Abrigada por Decreto de D. Luís I de Portugal de 17 de Janeiro de 1870. Portanto, a quinta senhorial fica possessão da família Gorjão Henriques, cuja figura mais iluste é o ministro da Marinha e do Ultramar do rei de Portugal D. Carlos I, D. Manuel Rafael Gorjão Henriques.

O primeiro batismo realizado na freguesia, cujo registo chegou aos nossos dias, foi realizado em Dezembro de 1636, e é referente a Maria, filha de Ambrósio Nobre e Maria Pereira, moradores na Abrigada. O primeiro casamento foi realizado a 22 de Junho de 1636, e é referente a Francisco da Facha e Maria Rodrigues, natural do lugar da Atouguia. E o primeiro óbito tem data de Julho de 1636, e é referente a Maria Gomes, solteira, filha de António Gomes e de Brites Nunes, moradores em Cabanas do Chão.[3]

Abrigada era, em 1747, um lugar da freguesia de Nossa Senhora da Graça da Atouguia das Cabras, termo da vila de Alenquer. No secular estava subordinada à Comarca de Alenquer, e no eclesiástico ao Patriarcado de Lisboa, pertencendo à Província da Estremadura. Constava então de 45 vizinhos, e tinha uma ermida de São Roque, e outra de Nossa Senhora do Rosário, na Quinta da Abrigada, nome que tomou da vizinhança do lugar.[4]

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Abrigada [5]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 470 1 749 1 966 2 045 2 244 2 404 2 645 2 888 3 264 3 184 2 963 3 317 3 291 3 416 3 320

Evolução da  População  1864 / 2011; Variação da População  1864 / 2011; Variação da População  1864 / 2011;

Economia[editar | editar código-fonte]

Em termos económicos, Abrigada vive da agricultura, vitivinicultura, pecuária, avicultura, indústria, comércio e serviços.

Património edificado[editar | editar código-fonte]

Aldeias[editar | editar código-fonte]

A antiga freguesia da Abrigada era composta pelos seguintes lugares:

Colectividades[editar | editar código-fonte]

As principais colectividades existentes nesta localidade são:

  • Centro Musical e Recreio de Cabanas do Chão - Cabanas do Chão
  • Centro Popular de Recreio e Cultura do Bairro - Bairro
  • Sport Clube Estribeiro-Estribeiro
  • Atouguia Futebol Clube - Atouguia
  • Sociedade Filarmónica União e Progresso de Abrigada - Abrigada
  • Escola de Samba “Capricho” de Abrigada - Abrigada
  • Centro Social e Cultural Vozes Maduras-Abrigada

Festas e romarias[editar | editar código-fonte]

Referências