Abt Sportsline

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abt Sportsline
Razão social Abt Sportsline GmbH
Tipo Privada
Indústria Indústria automobilística
Fundação 1991 [1]
Fundador(es) Johann Abt
Sede Alemanha Kempten im Allgäu, Alemanha
Área(s) servida(s) Por todo o mundo, com ênfase no mercado Europeu
Pessoas-chave Jürgen Abt, Christian Abt
Empregados ± 100
Produtos Automóveis
Antecessora(s) Auto-Abt (1896)
Website oficial Abt-Sportsline.de
Abt Audi Q7
Abt Audi A4

A Abt Sportsline é uma companhia de corridas de automobilismo e de tuning automotivo com sede em Kempten im Allgäu, Alemanha. Abt trabalha, principalmente, com a Audi e com as marcas do Grupo Volkswagen (Volkswagen, Škoda e SEAT).

Entre 2014 e 2017, a companhia dirigiu uma equipe sob a bandeira Audi Sport no FIA Formula E Championship para os pilotos Lucas Di Grassi e Daniel Abt.

História[editar | editar código-fonte]

Johann Abt (* Dezembro 1935; † 11 Outubro 2003), foi um piloto de corridas da Abarth até 1970. Pouco tempo depois, voltou às corridas com carros da sua própria equipe, ganhando o "Trophée de l'Avenir" e outras séries.

Desde a morte de Johann , em 2003, a companhia , com 100 empregados, tem sido chefiada pelos irmãos Hans-Jürgen Abt (director) e Christian Abt (que também é um piloto de carros de corrida) filhos de Johann.

Depois de Christian Abt ter ganho o título do campeonato alemão de Supertouring STW em 1999 com um Audi A4, foi feita a decisão de se juntarem à Deutsche Tourenwagen Masters. O novo Abt-Audi TT-R inicialmente mostrou a sua falta de tempo de desenvolvimento, mas em 2002 a equipe celebrou o seu maior sucesso na história da companhia com o título de Laurent Aïello na DTM.

Na época da DTM de 2003, a Abt deu ao seu aprendiz de 19 anos Peter Terting a oportunidade de conduzir um dos seus carros de 470 cv, depois de o iniciado ter ganho a Taça ADAC VW Lupo em 2002. No entanto o jovem não conseguia lidar com a pressão nas competições profissionais ,mas a jogada da Abt é notável de qualquer maneira.

Mercado[editar | editar código-fonte]

A Abt usou muito do seu conhecimento nas corridas e adaptou-o para estrada, fazendo com que a companhia de tuning tenha sucesso para a inteira linha de produtos do Volkswagen (incluindo Audi).

Carros Notáveis[editar | editar código-fonte]

  • AS4-R - Um A4 Avant altamente modificado, o AS4-R possui um motor 2.7 V6 biturbo que produz 480 cv à 6800 rpm e 565 Nm de torque à 3300 rpm.
  • TT-R - Um Audi TT V6 sobrealimentado de segunda geração.
  • R8-R - Um Audi R8 da Abt que ainda não foi lançado para venda vai ter um supercompressor junto com o incrível motor 4.2 V8 da Audi para produzir 530 cv.
  • R8 GT R - Uma versão do Audi A8 V10 altamente modificada, que a Abt Sportsline chama "um campeão de corridas para a estrada". O Abt R8 GT R tem uma versão modificada do motor 5.2 V10, aumentando a potência de 525 cv para 620 cv. Muitas partes novas do exterior do carro foram feitas de fibra de carbono, baixando o peso do carro em 100 kg (220 lb). O interior tem muitas modificações para parecer mais com um carro de corridas, incluindo assentos de corrida, um extintor, um cinto de segurança de 4 pontos, uma barra de rolagem e um novo volante. Foram feitas outras modificações para tornar este carro de corrida legal nas estradas.[2]

Esporte[editar | editar código-fonte]

Fórmula E[editar | editar código-fonte]

Em 2014, a companhia criou a ABT Schaeffler Audi Sport Formula E Team (que a partir de 2015 passou a se denominar ABT Schaeffler Audi Sport para competir na categoria de corridas elétricas, a Fórmula E. Campeonato este que é organizado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A equipe alcançou com o piloto brasileiro Lucas Di Grassi, a primeira vitória da história da categoria. Di Grassi conquistou também pela ABT o título mundial de Fórmula E na temporada de 2016-17.[3]

Com sede em Kempten, Alemanha, a equipe era patrocinada pela Audi. Posteriormente, a montadora alemã intensificou a parceria com aporte financeiro e técnico. Culminando com o anúncio feito pela Audi, em 7 de julho de 2017, que ela assumiria o controle da equipe a partir da temporada de 2017–18, e a renomeação do time para Audi Sport ABT Schaeffler. Porém, a parceria entre as duas empresas continuou para a temporada 2017–18, com a equipe sendo coordenado in loco nos ePrixs pelo pessoal da ABT, mas com a montadora comandando as ações do time por completo.[4][5][6]

Ano Chassi Pneu No. Piloto 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Pontos da Equipe Pos. da Equipe
2014–15 Spark-Renault SRT 01E M BEI PUT PDE BNA MIA LBH MON BER MSC LON 165
11 Brasil Lucas di Grassi 1 2 3 Ret 9 3 2 DSQ 2 4 6
66 Alemanha Daniel Abt 10 10 15 13† 3 15 Ret 14 5 Ret 11
2015–16 Spark-ABT Schaeffler FE01 M BEI PUT PDE BNA MEX LBH PAR BER LON 221
11 Brasil Lucas di Grassi 2 1 2 3 DSQ 1 1 3 4 Ret
66 Alemanha Daniel Abt 11 7 8 13 7 3 10 2 Ret 2
2016–17 Spark-ABT Schaeffler FE02 M HKG MAR BNA MEX MON PAR BER NYC MTR 248
11 Brasil Lucas di Grassi 2 5 3 1 2 Ret 2 3 4 5 1 7
66 Alemanha Daniel Abt Ret 6 7 7 7 13 6 4 14 Ret 4 6
Notas

† – Os pilotos não terminaram a corrida, mas foram classificados pois completam 90% ou mais da prova.

Referências

  1. «History». Abt Sportsline. Consultado em 7 de abril de 2016 (em inglês)
  2. «ABT R8 GT R – A Racecar for the Road». AudiSite.com  (em inglês)
  3. «Lucas di Grassi conquista título mundial da Fórmula E». Consultado em 31 de julho de 2017 
  4. «Audi compra estrutura da ABT Sportsline e passa a ter equipe de fábrica na Formula E». Garagem 360. Consultado em 12 de julho de 2017 
  5. «Di Grassi comemora entrada oficial da Audi na Fórmula E». Autoracing. Consultado em 12 de julho de 2017 
  6. «Audi vai entrar de vez na Fórmula E na próxima temporada». fullpower. Consultado em 12 de julho de 2017 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Abt Sportsline