Acéfalos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Acéfalos (em latim: Acephali; do grego a-, "sem", e kephalos, "cabeça") é um termo aplicado a qualquer seita que não tem líder ou "cabeça"[1].

Usos

Um blêmio, tal com descrito por Plínio, o Velho

De forma mais comum, o termo se refere à seita estritamente monofisita que se separou da Igreja Católica no século V, a partir do reinado do patriarca de Alexandria Pedro Mongo, e que permaneceu "sem rei ou bispo" (uma alusão ao patriarca) até a reconciliação, sob Marcos II (799–819).

Outros usos incluem:

  • Os Clérigos vagantes (clerici vagantes), ou seja, os clérigos sem título ou benefício, vivendo como possível. Algumas pessoas na Inglaterra durante o reinado de Henrique I eram assim chamadas por não terem terras e nem reconhecerem nenhum lorde como seu superior[1].
  • O nome também é utilizado pelos antigos naturalistas para designar algumas raças lendárias que, supostamente, viviam na Líbia, não tinham cabeça, com os olhos e a boa localizados no peito, geralmente identificadas com os "blêmios" de Plínio, o Velho[2].

Referências

  1. a b Brewer, E. Cobham (1978 (reprint of 1894 version)). The Dictionary of Phrase and Fable (em inglês). Edwinstowe, England: Avenel Books. 9 páginas. ISBN 0-517-25921-4  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Matthews, John & Caitlin (2005). The Element Encyclopedia of Magical Creatures. [S.l.]: Harper Collins. p. 6. ISBN 0-00-720873-1 

Ligações externas