Academia Chinesa de Ciências Sociais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Academia Chinesa de Ciências Sociais
中国社会科学院
Prédio da Academia Chinesa de Ciências Sociais
Tipo Fundação de pesquisa

Think tank

Fundação 1977
Sede Pequim, República Popular da China China
Filiação Conselho de Estado da China
Presidente Xie Fuzhan
Empregados 3200
Sítio oficial casseng.cssn.cn

A Academia Chinesa de Ciências Sociais (ACCS), com origens históricas na Academia Sinica durante a era da República da China, é a principal organização de pesquisa acadêmica na República Popular da China na área de filosofia e ciências sociais, tendo como objetivo avançar e inovar a pesquisa científica de filosofia, ciências sociais e política. Foi descrita pela revista Foreign Policy como o principal think tank da Ásia.[1] É afiliada ao Conselho de Estado da China.

História[editar | editar código-fonte]

A Academia foi criada em maio de 1977, sob orientação de Deng Xiaoping, tendo como base as 14 unidades de pesquisa do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais da Academia Chinesa de Ciências, com o objetivo de promover o desenvolvimento da filosofia e das ciências sociais na China. O primeiro presidente foi Hu Qiaomu e o atual presidente é Xie Fuzhan.

A quantidade de estudiosos que participaram de intercâmbios acadêmicos passou de dezenas de pessoas divididas em 10 grupo em 1979, para mais de 4.100 pessoas divididas em 1398 grupos em 1995. Enquanto isso, a ACSS estabeleceu um relacionamento construtivo com mais de 200 organizações de pesquisa, comunidades acadêmicas, instituições de ensino superior, fundações e departamentos governamentais relacionados, cobrindo mais de 80 países e regiões.

O Escritório de Edição de Dicionário do Instituto de Linguística é responsável pela edição do Dicionário de Chinês Contemporâneo.[2]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Aparência do edifício da ACCS

A Academia Chinesa de Ciências Sociais compreende cinco divisões acadêmicas:

É composta por 35 institutos de pesquisa:

  • Academia de Marxismo
  • Instituto de Literatura
  • Instituto de Literatura Étnica
  • Instituto de Literatura Estrangeira
  • Instituto de Linguística
  • Instituto de Filosofia
  • Instituto das Religiões Mundiais
  • Instituto de Arqueologia
  • Instituto de História
  • Instituto de História Moderna
  • Instituto da História Global
  • Instituto de Ciência Política
  • Instituto de Etnologia e Antropologia
  • Instituto de Sociologia
  • Instituto de Direito
  • Instituto de Direito Internacional
  • Instituto de Economia e Política Global
  • Instituto de Economia
  • Instituto de Economia Industrial
  • Instituto de Desenvolvimento Rural
  • Instituto de Finanças e Economia Comercial
  • Instituto de Finanças e Bancos
  • Instituto de Economia Quantitativa e Técnica
  • Instituto de Economia Populacional e do Trabalho
  • Instituto de Estudos Urbanos e Ambientais
  • Instituto de Estudos de Comunicação e Jornalismo
  • Centro de Pesquisa para a História e Geografia das Fronteiras Chinesas
  • Instituto de Estudos de Taiwan
  • Instituto de Estudos Russos, da Europa Oriental e da Ásia Central
  • Instituto de Estudos Europeus
  • Instituto de Estudos da Ásia Ocidental e Africana
  • Instituto de Estudos Latino-Americanos
  • Instituto de Estudos da Ásia-Pacífico
  • Instituto de Estudos Americanos
  • Instituto de Estudos Japoneses

A ACCS também possui mais de 90 centros de pesquisa, uma escola de pós-graduação (Escola de Pós-Graduação da Academia Chinesa de Ciências Sociais) e uma universidade - a Universidade da Academia Chinesa de Ciências Sociais, estabelecida em 2017. Também é responsável por 105 comunidades acadêmicas nacionais em toda a China.

A Academia atualmente possui mais de 3.200 acadêmicos residente.[3] Os membros da ACCS e os membros honorários são títulos vitalícios e são os mais altos títulos acadêmicos da academia chinesa. Existem 47 membros e 95 membros honorários.

Editora[editar | editar código-fonte]

A Editora de Ciências Sociais da China (chinês simplificado: 中国社会科学出版社, pinyin: Zhōngguó Shèhuì Kēxué Chūbǎnshè) foi fundada em junho de 1978, já tendo publicado mais de 8.000 livros desde a sua criação.[4]

Lista de presidentes[editar | editar código-fonte]

  1. Hu Qiaomu (胡乔木): 1977-1982
  2. Ma Hong (马洪): 1982-1985
  3. Hu Qiaomu: 1985–1988
  4. Hu Sheng (胡绳): 1988-1998
  5. Li Tieying (李铁映): 1998-2003
  6. Chen Kuiyuan (陈奎元): 2003–2013
  7. Wang Weiguang (王伟光): abril de 2013 a março de 2018
  8. Xie Fuzhan (谢伏瞻): março de 2018 - atualmente

Fonte: Rede de Ciências Sociais da China[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Think Tank Index, Foreign Policy, cópia arquivada em 19 de janeiro de 2009 
  2. 中国社会科学院语言研究所词典编辑室, ed. (1 de setembro de 2016). 中国社会科学院语言研究所词典编辑室. [S.l.: s.n.] ISBN 978-7-100-12450-8 
  3. «《历史沿革》 [History and timeline], Chinese Academy of Social Sciences,». 14 de julho de 2010. Consultado em 22 de julho de 2012 
  4. 潘衍习 [Pan Yanxi] (17 de novembro de 2008), «中国社科出版社三十年硕果累累 [China Social Sciences Press' accumulated achievements of thirty years]», People's Daily, consultado em 14 de julho de 2010, arquivado do original em 21 de julho de 2011 
  5. «Leadership» [Líderança da Academia] (em Chinese) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]