Academia Itanhaense de Letras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Academia Itanhaense de Letras (AIL)[1] é uma academias de letras brasileira, fundada em 19 de julho de 1997, na histórica Casa de Cadeia e Câmara, conhecida como Casa da Memória, por 19 escritores moradores de Itanhaém, no estado de São Paulo, com o objetivo de congregar pessoas com destaque nas atividades literárias de Itanhaém, ou a ela ligadas, incentivando e divulgando a prosa e o verso, além de desenvolver o interesse pelas letras.

Desde o dia 22 de abril de 1999 a Academia Itanhaense de Letras tem sua sede localizada na Biblioteca Municipal Poeta Paulo Bonfim, à Rua Dr. Cunha Moreira, no centro da cidade.

O lema da academia é Talento e criação, e foi criado pela acadêmica Izabel Salles, e o logotipo é da autoria de Geraldo Arruda de Castro, também acadêmico.

Em 2000, a academia publicou o livro Flores de Pedra, uma coletânea de autores da Academia Itanhaense de Letras, com contos, crônicas e poesias, e em 2006 foi lançado o segundo livro nomeado como "Um toque de literatura".

Referências

  1. «Academia Itanhaense de Letras dará posse a novos integrantes neste sábado». G1 Santos. 29 de Abril de 2017. Consultado em 10 de Outubro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre academias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.