Academia Nacional do Tango da República Argentina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Frente da Academia, sobre Avenida de Maio, justo em cima do Café Tortoni.

A Academia Nacional do Tango da República Argentina foi criada em 28 de junho de 1990, por Decreto 1235 do Poder Executivo Nacional com o fim de recopilar, ordenar, estudar e salvar definitivamente de toda possibilidade de perda ou destruição do patrimônio cultural que o tango e suas expressões derivadas significam. Entre os considerados do decreto se pode ler:

“Que o Tango como arte musical, coreográfico, poético e interpretativo, leva um século de vigência inalterável como expressão autêntica e profunda do povo argentino.”

“Que esta vigência criadora do Tango está em no menos de cinqüenta mil (50.000) obras compostas, editadas e estreadas e que existem, desde fines do século XIX, mais de cinqüenta mil versões gravadas de ditas obras em diversos suportes fonográficos, cinematográficos e de outro tipo na República Argentina e em todo o mundo.”

“Que dita criação do Tango ha representado, como poucas artes nacionais e desde princípios de este século, a República Argentina em todo o mundo.”

“Que é de toda justiça que o Estado lhe outorgue a significação que corresponde a esta manifestação cultural, ratificando o amor e a adesão plena que nosso povo naturalmente lhe concede.”

A Academia Nacional do Tango é a décima – sexta na história das Academias Nacionais e funciona em sua sede de Avenida de Maio 833, sobre o tradicional Café Tortoni.

Atividades[editar | editar código-fonte]

A Academia conta com uma nutrida biblioteca e realiza periodicamente seminários, plenários, cursos e exposições.

Publicações[editar | editar código-fonte]

A Academia tem produzido una série de publicações em diferentes formatos (livros, revistas, quadros) e em forma mensal e permanente, os periódicos "El Chamuyo" e "El Chamuyito".

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]