Família Accioli de Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Accioli de Vasconcellos)
Ir para: navegação, pesquisa
Genealogia da família Acciaioli (ou Accioli) de Vasconcellos

Accioli de Vasconcelos (ou Accioli de Vasconcellos) é uma família brasileira do período colonial, de origem italiana e portuguesa, cujos membros se distinguiram nas guerras contra os holandeses e na Guerra dos Mascates em Pernambuco, e depois como políticos, juristas e intelectuais.

Origens e ramos[editar | editar código-fonte]

A família brasileira Accioli de Vasconcelos descende de Gaspar Achioli de Vasconcelos (1588-1668), madeirense que se casa na Capitania de Pernambuco em 1618 com D. Ana Cavalcanti de Albuquerque. Gaspar Achioli ou Gaspar Acciaioli era o quarto filho de Zenóbio Achioli (c. 1531 - 1598), fidalgo madeirense, e de D. Maria de Vasconcelos, e neto paterno de Simone Acciaioli ou Simão Achioli, florentino com status nobre radicado na Madeira.

Os ramos que mantêm o nome Accioli de Vasconcelos no Brasil provêm todos do filho segundo do casal Gaspar e Ana, João Baptista Achioli (1623-1677), que lutou nas batalhas dos Guararapes e casou-se com a antiga (possivelmente) common-law wife de Gaspar von Neuenhof von der Leyen ou Gaspar Wanderley, D. Maria de Mello.

  • O ramo masculino descende de outro Gaspar Achioli de Vasconcelos, filho do casal supra, alcaide-mor da Paraíba, casado com D. Joana Fernandes César, filha bastarda de João Fernandes Vieira.
  • Um extenso ramo feminino descende do casamento de D. Maria Achioli (filha de João Baptista e de D. Maria) com José de Barros Pimentel. Este ramo floresce na Vila das Alagoas e depois se espalha no Brasil.

O ramo alagoano[editar | editar código-fonte]

Convento do vilarejo de Santa Maria Madalena, construído em terras do engenho Novo.

O ramo alagoano descende do coronel Francisco de Barros Pimentel, ou Francisco de Barros Pimentel Achioli (n. 1689, fal. após 1735 na Vila das Alagoas), terceiro filho homem de José de Barros Pimentel e de D. Maria Achioli, nascido quando Alagoas ainda integrava o território da Capitania de Pernambuco. Barros Pimentel Achioli casou-se na primeira década do século XVIII com D. Antonia de Moura (fal. 1723), filha do cel. Manuel de Chaves Caldas e de outra D. Antonia de Moura, proprietários do engenho "Novo" ou engenho de N. S. do Rosário, situado no local onde está hoje Marechal Deodoro. Os engenhos Novo, Pilar, Sumaúma, Gurjaú e Ingazeiras (este perto de Mangabeiras, na divisa do município de Pilar) pertenceram, entre outros, a essa família. As terras do engenho Novo foram em parte cedidas, em 1732, pelo coronel Francisco de Barros Pimentel, já viúvo, aos carmelitas, para a construção de um hospício (hospital) que atendesse à população de Santa Maria Madalena da Lagoa do Sul; é onde hoje fica o cemitério local. Na porção cedida achava-se a capela de N.S. do Ó do engenho Novo.

De seu filho primogênito Inácio Achioli de Vasconcelos (c. 1712 - qntes de 1802), casado duas vezes e com sucessão do segundo casamento, com D. Ana da Silveira de Albuquerque, filha do cap. Antônio de Toledo Machado, descendem os dois principais ramos de nome Accioli de Vasconcelos de Alagoas, conhecidos até o século XX. Também deles provêm as famílias Toledo Accioli e Casado de Lima Accioli, entre outras.

Linha primogênita[editar | editar código-fonte]

Provem do capitão José de Barros Pimentel, filho primeiro de Inácio Achioli de Vasconcelos e de D. Ana da Silveira de Albuquerque. Casa-se com D. Antônia, filha natural e legitimada do Cel. Mateus de Casado Lima, † antes de 1803. Teve, entre outros, ao filho desembargador Inácio Acioli de Vasconcelos, constituinte em 1823, e ao neto Inácio Accioli de Cerqueira e Silva, cronista e historiador.

Desta linha descendem os médicos Zulmar Antonio Accioli de Vasconcelos e João Justino Accioli de Vasconcelos, filhos do Juiz de Direito e escritor catarinense, Aulo Sanford de Vasconcellos.

Linha secundogênita[editar | editar código-fonte]

Provem de Inácio Achioli de Vasconcelos, filho segundo do homônimo e de D. Ana da Silveira; residente num dos engenhos Subaúma, na região de Santa Maria Madalena. Casou em primeiras núpcias com D. Josefa Vieira Cavalcanti, sua prima. Casou em segundas núpcias com D. Rosa Luzia do Bonfim, filha de Antonio de Holanda Cavalcanti de Albuquerque, parente dos Suassunas de Pernambuco. Em terceiras núpcias com D. Margarida Correia Maciel. Do segundo casamento foi filho o médico José de Barros Accioli Pimentel, casado com D. Ana Carlota de Albuquerque Mello, e netos por estes, Francisco de Barros e Accioli de Vasconcelos e Inácio de Barros e Accioli de Vasconcelos, este poeta e teatrólogo, e aquele, militar e político.

E enfim, Floriano Peixoto, segundo presidente do Brasil, era neto materno de Inácio Achioli de Vasconcellos e de sua mulher Rosa Luzia.

Referências

  • Francisco Antonio Doria, com a colaboração de Cássia Caraúta de Albuquerque e Fábio Arruda de Lima, Acciaiolis no Brasil, Rio (2009).