Addio, addio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Itália "Addio, addio"
Festival Eurovisão da Canção 1962
País
Artista(s)
Língua
Italiano
Compositor(es)
Letrista(s)
Franco Migliacci
Performance das finais
Resultado da semifinal
------
Pontos da semifinal
------
Resultado da final
9.º
Pontos da final
3
◄ "Al di là" (1961)   
"Uno per tutte" (1963) ►

"Addio, addio" (em português:"Adeus, Adeus") foi a canção que representou a Itália no Festival Eurovisão da Canção 1962 que teve lugar no Luxemburgo.

A referida canção foi interpretada em italiano por Claudio Villa. Foi a décima-quinta e penúltima canção a ser interpretada na noite do evento, a seguir à canção do Luxemburgo "Petit bonhomme" , cantada por Camillo Felgen e antes da canção do Mónaco "Dis rien", interpretada por François Deguelt . Terminou a competição em 9.º lugar, tendo recebido apenas três pontos. No ano seguinte, em 1963, a Itália floi representada por Emilio Pericoli que cantou "Uno per tutte".

Autores[editar | editar código-fonte]

AUTORES
Letrista: Franco Migliacci
Compositor: Domenico Modugno
Orquestrador: Cinico Angelini

Letra[editar | editar código-fonte]

A canção é uma balada, na qual Villa tenta lidar com o fim de um relacionamento. Ele canta que "o nosso amor tornou-se como o sal da água do mar / Nossos lábios ressequidos não tenho palavras mais", mas se agarra à esperança de que "Não é verdade que o nosso amor acabou", ou mesmo como ele despedidas sua ex-amante para a última vez que ele canta "nós amamos uns aos outros e que está terminando".

Fontes e ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Portal A Wikipédia possui o
Portal da Música