Adele Live 2016

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
ADELE LIVE 2016.png
Área externa do estádio de Wembley, que realizou o intitulado "The Finale", último concerto da turnê.
Turnê mundial de Adele
Álbum associado 25
Data de início 29 de fevereiro de 2016
belfast, irlanda do norte
Data de fim 29 de junho de 2017
londres, 22x20px inglaterra
Partes 4
N.º de apresentações 51 na Europa
58 na América do Norte
11 na Oceania
121 no Total
Receita US$ 167,700,000 (107 shows) [1]
Cronologia de turnês de Adele
Adele Live (2011)

Adele Live 2016 (renomeada como Adele Live 2017 para os shows de 2017) foi a terceira turnê da cantora britânica Adele, para promover seu terceiro álbum de estúdio, 25. Teve início em 29 de fevereiro de 2016, em BelfastIrlanda do Norte, na SSE Arena, e continuou pela Europa Ocidental, América do Norte e Oceania, antes de ser finalizada em 29 de Junho de 2017, em Londres, no Wembley Stadium.

A artista havia confirmado quatro shows no Wembley Stadium com o título "The Finale", como sendo os finais da turnê; contudo, devido a problemas de saúde em suas cordas vocais, Adele teve que cancelar as duas últimas apresentações na capital britânica.

Antecedentes e recepção comercial[editar | editar código-fonte]

Adele anunciou as datas principais da Europa Ocidental em 26 de novembro de 2015. Depois que os ingressos foram colocados à venda em 4 de dezembro, muitos locais relatavam ingressos esgotados, resultando em datas extras sendo adicionadas em várias cidades no itinerário.[2]

Os bilhetes foram totalmente vendidos quase instantaneamente. Os promotores para os concertos em Glasgow, na arena The SSE Hydro demonstraram relatórios que os 13.000 bilhetes extras para o local se esgotaram em dois minutos. Devido à alta demanda, filas on-line foram criadas, o que resultou em filas de mais de 50.000 pessoas para locais que só ocupam um quarto disso.[3]

Em 14 de dezembro de 2015, Adele anunciou a parte norte-americana da turnê. Esta parte incluiu seis noites no Madison Square Garden, em Nova York,[4] e oito noites no Staples Center, em Los Angeles. Adele quebrou o recorde de cinco shows de Taylor Swift pela maioria dos shows consecutivos esgotados no Staples Center.[5]

Panorâmica de um concerto da Adele Live 2017 realizado no ANZ Stadium, em Sydney na Austrália, março de 2017.

Dez milhões de pessoas tentaram comprar ingressos para a parte norte-americana da turnê mundial de Adele. Apenas 750.000 ingressos estavam disponíveis.[6]

Em 18 de março de 2016, Adele confirmou os rumores de que ela seria a atração principal do Festival Glastonbury 2016, em 25 de junho. Ela foi a quarta mulher solo a fazer um headline no festival e a primeira em um sábado. Adele confirmou a notícia ao vivo no palco do The O2 Arena, em Londres.[7]

Em julho de 2016, a Pollstar lançou o Mid Year Special 2016, com as turnês de maior bilheteria do ano até o momento. Adele foi anunciada como a sexta maior bilheteria mundial de 2016 até agora, com vendas de ingressos de $ 75,9 milhões de dólares e 709.498 de ingressos vendidos dos 49 shows da parte européia de sua turnê.[8][9] A Billboard informou que, no geral, com base nos ingressos vendidos na primeira semana de outubro de 2016, a turnê havia vendido na faixa de 150 milhões de dólares e que o total bruto dos primeiros 15 locais da turnê norte-americana foi de $ 67.599.098.[10]

Datas australianas da turnê foram anunciadas em 15 de novembro de 2016. Adele irá realizar uma série de concertos por estádios em cinco grandes cidades em fevereiro e março de 2017.[11] Os shows da Nova Zelândia foram anunciado em 18 de novembro de 2016.[12] Os dois primeiros shows na Nova Zelândia esgotaram em 23 minutos e um terceiro show foi anunciado, com todos os ingressos vendidos em menos de 30 minutos.[13] Em janeiro de 2017, mais de 600.000 ingressos foram vendidos para os shows australianos da turnê.[14]

De acordo com o StubHub, um site de revenda de ingressos, a turnê classificou a turnê de concertos mais popular de 2016.[15]

A Adele Live 2016 ficou em 5º lugar na parada anual da Topstar da Year Up Top Tours Worldwide, com $ 167,7 milhões.[16]

A Adele Live 2017 ficou em 30º lugar na parada anual de final de ano da Topstar, com 59 milhões de dólares arrecadados e 600.000 ingressos vendidos.[17]

Adele se apresentou para seu maior público em turnê, tanto em termos de quantidade em um único concerto, quanto em uma cidade, com seus dois shows no ANZ Stadium de Sydney, que atraiu 95.544 pessoas por show.[18] Este é também o maior público que o local tem visto desde os Jogos Olímpicos de Sydney em 2000, quebrando o recorde de Taylor Swift em 2015, com 75.980 espectadores.[19] O show estava tão lotado que causou enormes atrasos nos transportes públicos em toda a cidade e ambos os shows foram atrasados ​​em até 45 minutos para permitir que os participantes tivessem mais tempo para chegar ao show.[20]

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

Noite de abertura[editar | editar código-fonte]

Adele cantando "Set Fire to the Rain", março de 2016.

A turnê no Reino Unido recebeu críticas muito positivas. Bernadette McNulty do The Daily Telegraph deu uma nota cinco estrelas ao show de abertura na SSE Arena, em Belfast. Ela fez referência aos caros preços do ingresso do mercado secundário para a turnê, dizendo que "Adele vale cada centavo". McNulty afirma que "Adele, sem dúvida, tem a popularidade para preencher infinitas arenas, mas mantendo a atenção de milhares de pessoas acostumadas com as extravagâncias de alta tecnologia estabelecidas pelos gostos de artistas como Taylor Swift e Beyoncé, pode exigir mais luzes intermitentes, rotinas de dança e sistemas hidráulicos do que qualquer talento natural. Sua entrada era certamente teatral, emergindo do centro da arena embaixo de um palco principal ladeado por uma projeção orwelliana de seus olhos gigantes piscando. Mas entre isso e alguns efeitos visuais, chuva de papéis, Adele se manteve notável e eficazmente simples, deixando nada ficar no caminho do que era quase uma comunhão religiosa com seus fãs." O repórter de música Mark Savage da BBC News disse que "Adele teve uma recepção arrebatadora quando abriu sua turnê mundial com um show de arena íntima em Belfast."[21]

Continuando sua avaliação positiva, ele disse que "mesmo os mais fortes dos corações teriam sido forçados a admitir que ela havia trazido o que promete".[22] Amanda Ferguson, do Belfast Telegraph, disse que "Adele é divertida, carismática e excepcionalmente talentosa" em sua crítica de quatro estrelas.[23] Alexis Petridis do The Guardian abriu sua crítica dizendo que Adele "oferece um show sólido - se não surpreendente - na primeira noite de sua turnê". Em sua crítica de quatro estrelas, Petridis observou Adele dizendo "Eu sei que alguns de vocês foram arrastados para cá esta noite, mas eu vou conquistá-los", antes de concluir que "a julgar pela reação, ela finalmente desaparece - na mesma plataforma em que ela apareceu - ela conseguiu". The Independent, deu ao show três estrelas, dizendo que "ela tenta movimentos de soul sobre piano gospel, mas deve mais a Shirley Bassey do que a Aretha". Dando uma crítica positiva, Hasted concluiu a revisão dizendo "Adele precisa de coragem para dar um salto decisivo, para se tornar a pessoa obscena e corajosa que está no palco quando escreve. O pop está morrendo por isso".[24]

The 02 Arena[editar | editar código-fonte]

Visão do palco central e do palco principal, ao fundo.

A resposta crítica foi também positiva quando Adele realizou seis shows no The O2 Arena em sua cidade natal, Londres. Ashley Percival, do Huffington Post, deu a um dos shows cinco estrelas: "Como ela própria admite, a maior parte de seu catálogo é "fodidamente miserável", e eu questionei como a cantora nascida no Tottenham iria prender a atenção do público na 02 Arena sem ser capaz de confiar em rotinas exaustivas de dança ou cantar alguns pop-bangers para aumentar a energia. Mas no segundo em que ela emergiu pelo chão de um pequeno palco B proferindo aquelas palavras imortais "Olá, sou eu", quaisquer preocupações simplesmente evaporaram - cada pessoa na sala estava completamente maravilhada, e assim permaneceria por todo o tempo do set de 18 músicas."[25] David Smyth do London Evening Standard disse que "Adele mudou constantemente de ser um e párarraios para emoção para um artista de luz" em sua crítica de quatro estrelas. Ele também elogiou a performance de abertura do concerto "Olá", dizendo que "isolado, com sua grande banda escondida atrás da tela,[26] Ludovic Hunter-Tilney do Financial Times declarou em sua resenha de quatro estrelas que o show "tinha um ar de profissionalismo old-school, suntuosamente montado e impecavelmente ensaiado". Hunter-Tilney também disse que "efeitos especiais chamativos foram mantidos ao mínimo, como a queda de água que a cercou por 'Set Fire to the Rain' no final. A ausência de espetáculos de arena de alta tecnologia ajudou o show. Permitiu que a personalidade de Adele ganhasse vantagem sobre seu profissionalismo".[27]

Genting Arena[editar | editar código-fonte]

Adele se apresentou em Birmingham no Genting Arena nos dias 29 e 30 de março e 1 de abril de 2016 em uma performance descrita como "hipnotizante", "de cair o queixo" e "de tirar o fôlego".[28][29]

Staples Center[editar | editar código-fonte]

Chris Willman, da Billboard , apontou os críticos anteriores da turnê, que haviam criticado Adele por ter falado demais durante o show, em sua crítica positiva sobre a estréia de sua estréia no Staples Center, em Los Angeles, ele disse: "Alguns críticos nas primeiras paradas em sua primeira turnê nos EUA fizeram sugestões do tipo "cale-se e cante"... uma possível medida corretiva que é improvável que seja desejada por quase todos os seus fãs, que certamente reconheça que eles estão na presença não apenas de um dos grandes cantores da história pop, mas de uma das grandes atrações".[30]

Estádio Domain[editar | editar código-fonte]

A primeira apresentação de Adele na Austrália, no estádio Domain, em Perth, foi recebida com críticas universalmente positivas. Heather McNeill do The Sydney Morning Herald disse que Adele "foi notavelmente humilhada pela enorme multidão [a maior da história de um concerto na Austrália Ocidental], admitindo em suas primeiras conversas espirituosas com os fãs que ela estava um pouco nervosa". Ela descreveu as apresentações de "I'll Be Waiting", "Rumour Has It" e "Water Under the Bridge" como destaques chamando-as de "impecável" e "soulful", bem como "Sweetest Devotion" e "Take It All". McNeill deu o concerto cinco estrelas.[31] Simon Collins do The West Australian deu ao concerto quatro estrelas, alegando que "para muitas pessoas, o primeiro show australiano de Adele e o primeiro concerto de estádio será o melhor que eles já viram até então". Ele disse que, embora "para muitas pessoas, este foi um concerto de cinco estrelas", para ele "não tanto... mas como todos os confetes após o show, eu fui envolvido pela febre Adele". Ele concluiu que "o artista de uma geração única e a personalidade única e ao mesmo tempo realista deixaram os fãs de Perth impressionados".[32] Em uma resenha do The Guardian, Bob Gordon afirma que "Perth estava fascinada e adulterada por Adele 48 horas antes de seu show", de modo que "por showtime, impasse ou não, Perth estava em condições de aparecer".[33]

Setlist[editar | editar código-fonte]

Este setlist é representativo do concerto do dia 29 de fevereiro, em Belfast.[34] Pode não representar todos os shows da duração da turnê.

  1. "Hello"
  2. "Hometown Glory"
  3. "One and Only"
  4. "Rumour Has It"
  5. "Water Under The Bridge"
  6. "I Miss You"
  7. "Skyfall"
  8. "Million Years Ago"
  9. "Don't You Remember"
  10. "Send My Love (To Your New Lover)"
  11. "Make You Feel My Love"
  12. "Sweetest Devotion"
  13. "Chasing Pavements"
  14. "Someone Like You"
  15. "Set Fire To The Rain"

Encore

  1. "All I Ask"
  2. "When We Were Young"
  3. "Rolling In The Deep"

Banda[editar | editar código-fonte]

Adele performando no Estádio de Wembley.
  • Adele – vocais
  • Tim Van Der Kuil – diretor musical/guitarras
  • Amanda Brown – vocal de apoio
  • Martine Celisca – vocal de apoio
  • Katie Holmes-Smith – vocal de apoio
  • Ben Thomas – guitarra
  • Aaron Draper – percussão
  • Peter Randall – contrabaixo
  • Eric Wortham II – piano
  • Derrick Wright – bateria
  • Rosie Danvers – cello/líder das cordas
  • Wired Strings – cordas

Datas[editar | editar código-fonte]

Data Cidade País Arena Entradas vendidas Arrecadação
Europa
29 de Fevereiro de 2016 Belfast Irlanda do Norte SSE Arena 21,593 / 21,593 $2,326,160[35]
1 de março de 2016
4 de marzo de 2016 Dublin  Irlanda The O2 25,290 / 25,290 $2,617,060
5 de março de 2016
7 de março de 2016 Manchester  Inglaterra Manchester Arena 63,209 / 63,209 $7,243,160[36]
8 de março de 2016
10 de março de 2016
11 de março de 2016
15 de março de 2016 Londres The O2 Arena 126,043 / 126,043 $14,759,300[37]
16 de março de 2016
18 de março de 2016
19 de março de 2016
21 de março de 2016
22 de março de 2016
25 de março de 2016 Glasgow Escócia The SSE Hydro 22,292 / 22,292 $2,410,390
26 de março de 2016
29 de março de 2016 Birmingham  Inglaterra Genting Arena 52,562 / 52,562 $6,426,580
30 de março de 2016
1 de abril de 2016
2 de abril de 2016
4 de abril de 2016 Londres The O2 Arena
5 de abril de 2016
29 de abril de 2016 Estocolmo  Suécia Tele2 Arena 30,772 / 30,772 $2,406,130
1 de Maio de 2016 Oslo  Noruega Telenor Arena 21,005 / 21,005 $1,785,430
3 de Maio de 2016 Copenhague  Dinamarca Forum Copenhagen 11,907 / 11,907 $1,146,490
4 de Maio de 2016 Herning Jyske Bank Boxen 12,123 / 12,123 $1,430,260
7 de maio de 2016 Berlim  Alemanha Mercedes-Benz Arena 23,798 / 23,798 $2,319,340
8 de maio de 2016
10 de maio de 2016 Hamburgo Barclaycard Arena 23,267 / 23,267 $2,343,370
11 de maio de 2016
14 de maio de 2016 Colônia Lanxess Arena 29,119 / 29,119 $2,734,650
15 de maio de 2016
17 de maio de 2016 Zúrich Suíça Hallenstadion 26,480 / 26,480 $2,730,090
18 de maio de 2016
21 de maio de 2016 Lisboa Portugal Portugal MEO Arena 36,081 / 36,081 $2,692,990
22 de maio de 2016
24 de maio de 2016 Barcelona Flag of Spain.svg Espanha Palau Sant Jordi 31,075 / 31,075 $2,858,760
25 de maio de 2016
28 de maio de 2016 Verona  Itália Arena de Verona 25,512 / 25,512 $2,008,990
29 de maio de 2016
1 de junho de 2016 Amsterdam  Países Baixos Ziggo Dome 51,777 / 51,777 $4,810,120
3 de junho de 2016
4 de junho de 2016
6 de junho de 2016
9 de junho de 2016 Paris  França Bercy Arena 26,113 / 26,113 $2,798,970
10 de junho de 2016
12 de junho de 2016 Amberes  Bélgica Sportpaleis 52,130 / 52,130 $5,713,100
13 de junho de 2016
15 de junho de 2016
América do Norte
5 de julho de 2016 Saint Paul  Estados Unidos Xcel Energy Center 30,685 / 30,685 $3,376,247
6 de julho de 2016
10 de julho de 2016 Chicago United Center 46,635 / 46,635 $5,074,208
11 de julho de 2016
13 de julho de 2016
16 de julho de 2016 Denver Pepsi Center 27,313 / 27,313 $2,999,334
17 de julho de 2016
20 de julho de 2016 Vancouver  Canadá Rogers Arena 28,959 / 28,959 $3,238,209
21 de julho de 2016
25 de julho de 2016 Seattle  Estados Unidos KeyArena 25,003 / 25,003 $2,890,817
26 de julho de 2016
30 de julho de 2016 San José SAP Center 28,002 / 28,002 $3,224,583
31 de julho de 2016
2 de agosto de 2016 Oakland Oracle Arena 14,577 / 14,577 $1,722,672
5 de agosto de 2016 Los Angeles Staples Center 118,149 / 118,149 $13,821,741
6 de agosto de 2016
9 de agosto de 2016
10 de agosto de 2016
12 de agosto de 2016
13 de agosto de 2016
16 de agosto de 2016 Phoenix Talking Stick Resort Arena 14,166 / 14,166 $1,573,459
20 de agosto de 2016 Los Angeles Staples Center 28,648 / 28,648 $1,342,838
21 de agosto de 2016
6 de setembro de 2016 Auburn Hills The Palace of Auburn Hills 28,812 / 28,812 $3,007,199
7 de setembro de 2016
9 de setembro de 2016 Filadelfia Wells Fargo Center 31,251 / 31,251 $3,698,133
10 de setembro de 2016
14 de setembro de 2016 Boston TD Garden 27,183 / 27,183 $3,022,975
15 de setembro de 2016
19 de setembro de 2016 Nova York Madison Square Garden 86,652 / 86,652 $9,829,597
20 de setembro de 2016
22 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016
25 de setembro de 2016
26 de setembro de 2016
30 de setembro de 2016 Montreal  Canadá Centre Bell 32,155 / 32,155 $3,370,793
1 de outubro de 2016
3 de outubro de 2016 Toronto Air Canada Centre 62,653 / 62,653 $6,749,131
4 de outubro de 2016
6 de outubro de 2016
7 de outubro de 2016
10 de outubro de 2016 Washington D. C.  Estados Unidos Verizon Center 29,043 / 29,043 $3,279,706[35]
11 de outubro de 2016
15 de outubro de 2016 Nashville Bridgestone Arena 26,434 / 26,434 $2,828,954
16 de outubro de 2016
25 de outubro de 2016 Miami American Airlines Arena 27,906 / 27,906 $3,199,011
26 de outubro de 2016
28 de outubro de 2016 Atlanta Philips Arena 26,507 / 26,507 $2,924,777
29 de outubro de 2016
1 de novembro de 2016 Dallas American Airlines Center 27,823 / 27,823 $3,143,958
2 de novembro de 2016
4 de novembro de 2016 Austin Frank Erwin Center 25,267 / 25,267 $2,725,292
5 de novembro de 2016
8 de novembro de 2016 Houston Toyota Center 25,577 / 25,577 $3,032,246[38]
9 de novembro de 2016
14 de novembro de 2016 Cidade do México  México Palacio de los Deportes 34,585 / 34,585 $3,259,064
15 de novembro de 2016
21 de novembro de 2016 Phoenix  Estados Unidos Talking Stick Resort Arena 14,154 / 14,154 $1,445,379
Oceania
28 de fevereiro de 2017 Perth  Austrália Domain Stadium
4 de março de 2017 Brisbane The Gabba
5 de março de 2017
10 de março de 2017 Sydney ANZ Stadium
11 de março de 2017
13 de março de 2017 Adelaide Adelaide Oval
18 de março de 2017 Melbourne Etihad Stadium
19 de março de 2017
23 de março de 2017 Auckland  Nova Zelândia Mt Smart Stadium
25 de março de 2017
26 de março de 2017
Grã Bretanha
28 de junho de 2017 Londres  Inglaterra Wembley Stadium
29 de junho de 2017
TOTAL 1,548,639 / 1,548,639 (100%) $166,978,825

Shows Cancelados[editar | editar código-fonte]

Lista de concertos cancelados, data, cidade, país, local e motivo
Data Cidade País Local Razão
1 de Julho de 2017 Londres  Inglaterra Wembley Stadium Danos nas cordas vocais[39]
2 de Julho de 2017

Referências

  1. «Bruce Springsteen, Beyoncé post top-grossing tours of 2016». LA Times. 24 de Novembro de 2017 
  2. «Adele's Ticket Sales Strategy, Looking to Stop Scalpers, Draws Criticism (and a Lot of Fans)». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  3. «Adele adds eight dates to UK tour after tickets sell out in seconds». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  4. «Adele's 2016 North American tour will play 6 nights in L.A.». Los Angeles Times. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  5. «Just how hyped are Adele's fans for her eight-night run at Staples Center?». Los Angeles Times. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  6. «Ten million tried to buy tickets for Adele's American tour». TMZ. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  7. «BBC News, London». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  8. «2016 Mid Year Top 100 Worldwide Tours» (PDF). Consultado em 4 de fevereiro de 2018. Arquivado do original (PDF) em 9 de março de 2017 
  9. «2016 Mid Year Special Features». Consultado em 4 de fevereiro de 2018. Arquivado do original em 13 de novembro de 2016 
  10. «HOT TOURS - OCTOBER 18, 2016». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  11. «Adele Announces First Ever Australian Tour Dates - Music Feeds». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  12. «Pop sensation Adele is coming to New Zealand for one show only». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  13. «Tickets for third Adele concert sell out». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  14. «2017: a year painted Adele». 26 de janeiro de 2017. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  15. «Adele, Justin Bieber Lead StubHub's Top Tours of 2016». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  16. «2016 Pollstar Year End Top 10 Worldwide Tours» (PDF). Pollstar. Consultado em 4 de fevereiro de 2018. Arquivado do original (PDF) em 13 de fevereiro de 2018 
  17. «2017 Year End Top 100 Worldwide Tours» (PDF). Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  18. McCabe, Kathy. «Sydney makes singer Adele its Queen at her concert at ANZ Stadium». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  19. «Adele blitzes the box office record for concerts at ANZ Stadium with 190,000 fans for two concerts». Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  20. «Hello (at last)! Adele forced to delay her Sydney concert for 45 minutes after transport chaos left thousands stranded and the 95,000-capacity stadium two-thirds EMPTY as she was due to start». Daily Mail Australia. Consultado em 4 de fevereiro de 2018 
  21. «Adele proves she's worth every penny: review». Telegraph 
  22. «Adele review: Pop's biggest star opens world tour in Belfast». BBC News 
  23. «Adele in Belfast review: Down to earth yet out of this world, class act thrills SSE Arena» 
  24. «Adele, SSE Arena, Belfast, review: Grateful music industry's remaining Force is with British singer». The Independent 
  25. «Adele Live 2016 Tour Review: 'A Night of Pure and Utter Class'». The Huffington Post 
  26. «Adele, tour review: Mesmerising return from one of the greatest voices and entertainers». Evening Standard 
  27. «Adele, O2 Arena, London - "Both regimented and spontaneous"». Financial Times 
  28. «Six superb things Adele did at Birmingham's Genting Arena». Birmingham Mail. Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  29. «We're SO Not Over Adele». Consultado em 6 de fevereiro de 2018. Arquivado do original em 19 de março de 2017 
  30. «Adele mixes Heartbreak with Huge Laughs in Opening of L.A. Eight-Night Stand». Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  31. «Review: Adele opens first Australian tour with flawless Perth performance». Sydney Morning Herald. Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  32. «Concert review: All hail, Queen Adele». West Australian. Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  33. «Adele's first Australian show review - Perth succumbs to charm and glory». The Guardian. Consultado em 6 de fevereiro de 2018 
  34. «Adele review: Pop's biggest star opens world tour in Belfast». BBC 
  35. a b http://www.billboard.com/biz/current-boxscore
  36. «Cópia arquivada». Consultado em 22 de março de 2016. Cópia arquivada em 22 de março de 2016 
  37. https://archive.is/N18Im
  38. http://www.billboard.com/biz/current-boxscore
  39. https://variety.com/2017/music/news/adele-cancels-shows-vocal-chord-damage-1202485261/