Adelina da Glória Berger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adelina da Glória Berger
Conhecido(a) por Ser uma das fundadoras e a primeira presidente do núcleo de Lagos da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas
Nascimento 28 de Março de 1865
Lagos
Morte 29 de julho de 1922 (57 anos)
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Cônjuge José Júlio Lapelier Berger
Ocupação Feminista

Adelina da Glória Berger, (Lagos, 28 de Março de 1865 - Lisboa, 29 de Julho de 1922), foi uma feminista portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascimento e casamento[editar | editar código-fonte]

Nasceu na cidade de Lagos, em 28 de Março de 1865.[1]

Em 4 de Fevereiro de 1890, desposou José Júlio Lapelier Berger.[1]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Foi na sua habitação que, na noite de 27 de Fevereiro de 1909, por seu convite, se realizou uma reunião de mulheres, tendo tido lugar a sessão inaugural da Liga Republicana da Mulheres Portuguesas em Lagos; Adelina Berger foi nomeada como presidente desta associação.[1] Nestas funções, enviou, em nome das sócias de Lagos, donativos para as vítimas da Catástrofe do Ribatejo, e um protesto pela morte de Francisco Ferrer; em 27 de Outubro de 1910, entregou, junto com os restantes membros da direção da Liga, as listas a pedir a Lei do Divórcio.[1]

Falecimento[editar | editar código-fonte]

Morreu em Lisboa, no dia 29 de Julho de 1922.[1]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

A Câmara Municipal de Lagos atribuiu, numa sessão de 27 de Setembro de 1995, o seu nome a uma rua na Freguesia de São Sebastião.[2][3] A placa toponímica foi descerrada numa cerimónia realizada no Dia Mundial da Mulher, em 8 de Março de 1996, na qual discursou a escritora Glória Marreiros, do Movimento Democrático de Mulheres.[3]

Referências

  1. a b c d e Ferro, 2002:55
  2. «Freguesia de São Sebastião» (PDF). Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 3 de Janeiro de 2012 
  3. a b Ferro, 2002:57

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FERRO, Silvestre Marchão (2002). Vultos na Toponímia de Lagos. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. 358 páginas. ISBN 972-8773-00-5